Biblioterapia: características e benefícios

07 Outubro, 2020
A biblioterapia consiste em tentar recuperar a saúde através da leitura.

A característica mais relevante da biblioterapia é o uso de livros, materiais de leitura e ferramentas de ensino como recursos terapêuticos para ajudar os pacientes da esfera emocional e psicológica a entender melhor a sua doença, o que favorece a sua melhoria.

Em um mundo dominado pelo audiovisual, no qual crianças, jovens e não tão jovens são constantemente bombardeados por esses meios de comunicação, não surpreende que os distúrbios da esfera mental e emocional estejam se tornando mais frequentes.

O audiovisual não requer a nossa compreensão. Eles nos dão a cena completa do começo ao fim e a intervenção da nossa consciência é mínima e, em muitos casos, nula. Pelo contrário, a leitura requer compreensão e reflexão, e suas mensagens têm uma profundidade muito maior.

A implementação da biblioterapia como recurso terapêutico envolve profissionais de saúde mental e atenção primária, bibliotecários, associações e os próprios pacientes. Tem como grande desafio a seleção de textos por faixas etárias e patologias.

Jovem estudando em biblioteca

História da biblioterapia

Embora pareça muito atual e algo novo para nós, a biblioterapia já era conhecida na Grécia antiga, onde as bibliotecas eram definidas como “locais de cura para a alma”. Também havia recomendações de que os soldados feridos na Segunda Guerra Mundial lessem enquanto se recuperavam.

A biblioterapia foi introduzida nos Estados Unidos na década de 1930 com títulos sugestivos como “A Prescrição da Literatura”. Nas décadas seguintes, cada vez mais livros surgiram nessa especialidade.

No início, isso era algo utilizado como material didático para que o paciente pudesse ter um conhecimento mais completo da sua doença. A partir dos anos 90, com o surgimento da Medicina e da Psicologia Baseada em Evidências, a leitura passou a ser utilizada para fins terapêuticos.

Você pode se interessar: Como despertar o interesse pela leitura na criança

Os benefícios da leitura

O Reino Unido é a referência mundial na prescrição de livros através do sistema de saúde e de bibliotecas, e atualmente está desenvolvendo novas iniciativas.

Na Espanha, embora ainda sejam poucas, iniciativas estão surgindo em várias comunidades autônomas. Destacamos a Literapia, do Hospital de Santiago de Compostela, um projeto no qual grupos de leitura e voluntários são integrados.

Digno de nota é um livro muito popular de Lou Marinoff, Mais Platão e menos Prozac, que em 2000 recomendou o uso da filosofia para entender o nosso mundo interior.

Características da terapia do livro

  • Demonstrou sua utilidade no tratamento de doenças da esfera emocional e psicológica.
  • Pode ser usada em casos leves como o único tratamento, com a supervisão correspondente, ou como complemento de medicamentos e psicoterapia em outros processos.
  • Sua implementação pode ser realizada em hospitais, creches e outros espaços de saúde, ou buscar o apoio de bibliotecas públicas e centros educacionais.
  • Os textos e materiais devem ser cuidadosamente selecionados e relacionados às diferentes patologias e idades.
Biblioterapia

  • Muitos dos materiais existentes têm como objetivo reduzir os níveis de estresse e sua responsabilidade na ansiedade e na depressão.
  • Utiliza os fatores emocionais com mensagens positivas para ajudar o paciente a resolver seus conflitos e recuperar o bem-estar.
  • O objetivo é contribuir com o pensamento positivo no dia a dia do paciente afetado por distúrbios da esfera mental ou emocional. Isso tem sido chamado de literatura de autoajuda.
  • Busca-se que a leitura se torne um meio de modificar a maneira de pensar do paciente e contribuir para a sua melhoria.

Leia também: 6 benefícios da leitura que você vai gostar de conhecer

Benefícios da biblioterapia

  • A leitura ativa várias áreas do cérebro, como as áreas de Broca e Wernicke e o cíngulo. As áreas do cérebro são ativadas de acordo com a atividade realizada na leitura. É por isso que alguns atletas usam a imaginação para treinar seus músculos.
  • A leitura promove a empatia e a resiliência.
  • Aumenta o vocabulário e melhora a comunicação.
  • Estimula o aprendizado e a curiosidade, aumenta a reserva cognitiva e atrasa os sintomas de doenças neurodegenerativas, como demência e Alzheimer.
  • Reduz os níveis de estresse. Acredita-se que isso se deva ao efeito de manter a mente atenta à leitura, algo como meditar através da leitura.
  • Promove descanso e o sono: Ativa os mecanismos do sono noturno no cérebro. É um bom remédio para a insônia para muitas pessoas.
  • A leitura diminui o sentimento de solidão “enganchando” o leitor na discussão e fazendo-o interagir com ela.
  • Fornece ao leitor conhecimento, sabedoria e liberdade de escolha, o que influencia sua autoestima e segurança na vida.

Como dizia esse slogan, “tudo está nos livros”. Neles há conhecimento, aventura, viagens, intrigas, história, amor e, além disso tudo, a possibilidade de curar doenças da esfera mental e emocional. Boa leitura!

  • Alonso, A. (2008). Biblioterapia y desarrollo personal. La Habana, Cuba: Editorial Ciencias Médicas.
  • Bry, I. (1942). Medical aspect of literature. A bibliographical outline. Bulletin of the Medical Library Association; 30, 252-266.
  • Gamboa, S. (2000). Nuevo rol para el profesional de la biblioteca del futuro. Biblios; 2(6), 1-9.
  • Núñez, M. (1994). Biblioterapia: cuentos infantiles terapéuticos. La Habana, Cuba: Editorial Científico Técnica.
  • Miñarro, L. (2000). Bibliotecas para pacientes. Recomendaciones de la IFLA. Métodos de Información; 7(37), 54-68.