Antibióticos: é necessário tomar um protetor gástrico?

30 Janeiro, 2020
Antibióticos podem causam diarreia em algumas pessoas. Por esse motivo, muitos pensam que é necessário tomar um protetor estomacal ao ingerir esses medicamentos. Isso é, de fato, um mito, já que a diarreia nesses casos não se deve a problemas estomacais.

Existem muitas dúvidas sobre o uso de antibióticos. Entre eles, circula a ideia de que é necessário tomar um protetor gástrico antes de tomar qualquer um desses medicamentos. Isso ocorre porque muitos problemas digestivos geralmente aparecem após o seu consumo.

Existem também muitos mitos e dúvidas sobre o que é um protetor gástrico e qual é a sua função. Os protetores de estômago são medicamentos frequentemente vendidos livremente e que algumas pessoas consomem sem consultar o médico.

Não é bom ou saudável tomar um protetor gástrico quando não for necessário. Também não é saudável combinar antibióticos com outros medicamentos, com base em crenças que podem não ser tão verdadeiras. Vamos ver tudo isso em maiores detalhes.

Protetor gástrico

Somente devemos tomar um protetor gástrico se isso for indicado pelo médico

Um protetor gástrico é um medicamento usado para evitar o desconforto causado pelos ácidos estomacais.

Existem vários tipos e cada um deles tem efeitos diferentes. Sua função central é proteger o estômago dos ácidos da digestão e do ácido pelo refluxo.

Acredita-se que existam protetores estomacais naturais, como bicarbonato de sódio ou sal de frutas. Isso não é certo. Nenhuma dessas substâncias protege contra a ação dos ácidos, mas neutraliza-os durante a digestão. Portanto, eles não podem ser considerados protetores gástricos.

Se houver problemas estomacais, apenas o médico poderá definir se um protetor gástrico deve ser usado e qual deles é o mais indicado. Dito isto, voltamos à pergunta inicial: é necessário tomar um protetor estomacal quando ingerimos antibióticos?

O efeito dos antibióticos no estômago

Há muitas pessoas que desenvolvem diarreia após a ingestão de antibióticos. Geralmente, são episódios leves, nos quais há movimentos intestinais simplesmente mais frequentes, com fezes mais moles do que o normal. O mais comum é que esses sintomas apareçam uma semana depois de começar a tomar os antibióticos.

Entretanto, o mais comum é que esse tipo de diarreia se resolva sem grandes consequências. Também é verdade que nem todos os antibióticos ocasionem esse problema. Isso ocorre com mais frequência com a ingestão, principalmente, de cefalosporinas e penicilinas. Quem já sofreu com esse tipo de diarreia tem maior probabilidade de sofrer de novo ao tomar antibióticos.

Os antibióticos são medicamentos usados ​​para atacar bactérias que causam danos. No entanto, sua ação é indiscriminada e, portanto, acaba atacando bactérias que são boas para o organismo. Esta parece ser a causa da diarreia pós-antibiótica.

A microbiota

Antibiótico altera microbiota

A microbiota, anteriormente conhecida como flora intestinal, está diretamente relacionada à saúde digestiva e ao sistema imunológico. É um ecossistema frágil, que é facilmente alterado por fatores como mudanças na dieta ou pelo uso de antibióticos, entre outros.

Descubra: Aumente a quantidade de bactérias benéficas no seu intestino

Os antibióticos destroem micro-organismos patogênicos, mas também a flora intestinal. Ao romper seu equilíbrio, não é incomum que surjam problemas como, por exemplo, diarreia. Estes não são problemas estomacais, mas sim, intestinais. A maneira de evitá-los é compensar a situação com uma dieta que ajude a regenerar a flora.

Os antibióticos raramente causam infecção por Clostridium difficile. É uma bactéria que cresce rapidamente na ausência de outras bactérias que a neutralizem. Nesses casos, ocorre diarreia mais grave, com febre, dor, náusea e perda de apetite.

Leia também: Os riscos inerentes aos antibióticos

É necessário um protetor gástrico ao tomar antibióticos?

Por tudo o que foi dito até agora, quando confrontada com a questão de saber se é necessário tomar um protetor estomacal quando os antibióticos são ingeridos, a resposta direta é não. Qualquer comprimido ingerido se decompõe com a ajuda da saliva e dos ácidos gástricos. Os antibióticos não são a exceção.

Sob condições normais, os antibióticos não afetam o estômago. Sim, existem medicamentos com ingredientes ativos nocivos para a mucosa gástrica, como a aspirina, o ibuprofeno ou o diclofenaco. No entanto, estes apenas causam danos se forem tomados em doses elevadas por períodos prolongados. É o mesmo que comer alimentos muito apimentados por muito tempo.

Os antibióticos podem causar um desequilíbrio na microbiota e este é o potencial dano digestivo. Entretanto, isso pode ser compensado aumentando o consumo de prebióticos e probióticos na dieta. Dessa maneira, é possível reduzir os efeitos negativos deste tipo de medicamento na flora intestinal.

  • Maguiña-Vargas, C., Ugarte-Gil, C. A., & Montiel, M. (2006). Uso adecuado y racional de los antibióticos. Acta Médica Peruana, 23(1), 15-20.
  • Berríos, C. S., & Ilabaca, R. G. (2019). ANTIBIÓTICOS. In MANUAL DE MICROBIOLOGÍA. https://doi.org/10.2307/j.ctvkjb56f.12
  • Fernandez, O. A., & Aladren, B. S. (2011). Diarrea postantibiótica. Colitis por clostridium difficile. Tratamiento de Las Enfermedades Gastroenterologicas.