Anel vaginal: como usar e quais são os seus efeitos colaterais?

O anel vaginal é um dos muitos métodos anticoncepcionais hormonais que se tornaram populares devido ao seu nível de eficácia. No entanto, seu uso envolve alguns efeitos colaterais e contraindicações.
Anel vaginal: como usar e quais são os seus efeitos colaterais?

Última atualização: 29 Setembro, 2021

O anel vaginal é um método anticoncepcional de longa duração que foi adotado por milhões de mulheres em todo o mundo. Trata-se de uma peça plástica transparente e flexível que atua liberando hormônios nas paredes vaginais.

Sua eficácia é semelhante à das pílulas anticoncepcionais combinadas. Na verdade, se usado corretamente, sua eficácia na prevenção da gravidez é de 98%.

O Comitê Europeu de Farmacovigilância declarou os sistemas anticoncepcionais hormonais combinados, como o anel vaginal, como métodos eficazes na prevenção da gravidez. Seus riscos são menores do que os seus benefícios. No entanto, como acontece com qualquer outra alternativa anticoncepcional hormonal, seu uso tem efeitos colaterais.

Por isso, é importante saber em detalhes como funciona, quais são os passos para utilizá-lo corretamente e quais possíveis consequências ele pode causar.

Como funciona o anel vaginal?

O anel vaginal, também conhecido como NuvaRing, contém estrogênio e progesterona, que são semelhantes aos hormônios que o corpo produz naturalmente.

A peça é inserida na vagina, onde os hormônios são absorvidos pelas paredes.

O anel vaginal

Isso permite que a ovulação seja suprimida para evitar que os ovários liberem um óvulo que pode ser fertilizado. Além disso, torna o muco cervical mais espesso, o que impede a entrada de espermatozóides no útero.

Como usar o anel vaginal?

O anel vaginal deve permanecer na vagina por três semanas. Após esse período, ele é removido durante a quarta semana para que a menstruação ocorra. Após a menstruação, o processo é repetido com um novo anel.

Passos para colocá-lo

  • Encontre uma posição confortável, seja em pé com uma perna levantada, agachada ou deitada.
  • Abra os lábios vaginais com uma das mãos e, com a outra, aperte os lados opostos do anel com o polegar e o indicador.
  • Empurre o elemento na vagina, certificando-se de que não crie desconforto.
  • Não é necessário retirar o anel durante a relação sexual. No entanto, ele pode ser removido por até 3 horas e, em seguida, reinserido.
  • Após três semanas de uso contínuo, remova a peça com cuidado. Prenda seu dedo indicador sob a borda do anel e segure-o para removê-lo.
  • Jogue fora o anel usado e coloque um novo após o período menstrual.

Como obter melhores resultados com o uso do anel vaginal?

A principal recomendação para obter bons resultados com o uso do anel vaginal é usá-lo corretamente.

Embora a posição exata do anel dentro da vagina não modifique a sua eficácia, é essencial respeitar seu período de uso. Portanto, o ideal é adotar algum método para lembrar quando é preciso trocar por um novo.

Prazer no sexo

  • Baixe um aplicativo de controle de natalidade ou anote detalhes sobre o seu ciclo menstrual.
  • Peça a uma amiga ou membro da família para lembrá-la de trocá-lo.
  • Seu parceiro também pode ajudá-la a se lembrar disso.
  • Mantenha os novos anéis em um só lugar, de preferência onde você possa vê-los.
  • Armazene os anéis em temperatura ambiente e longe da luz solar direta. Guarde-os na geladeira se não for usá-los dentro de 4 meses.

Alguns medicamentos podem afetar o funcionamento do anel vaginal e reduzir a sua eficácia.

  • Antibióticos como rifampicina e rifamato.
  • Antifúngicos de griseofulvina.
  • Alguns medicamentos contra o HIV.

Cuide da sua saúde: Infecções vaginais: tipos e causas

O anel vaginal previne doenças sexualmente transmissíveis?

A resposta é não. Embora esse método anticoncepcional seja um dos mais eficazes na prevenção da gravidez, ele não oferece proteção contra doenças sexualmente transmissíveis. O mais aconselhável é usar camisinha durante as relações sexuais para evitar o contágio.

Efeitos colaterais do anel vaginal

Mulher estressada

A maioria das mulheres jovens que usa esse dispositivo hormonal não desenvolve nenhum efeito colateral. Muitos casos de reações indesejadas estão associados a outros hábitos prejudiciais à saúde, como o tabagismo.

As reações indesejadas que ocorrem são semelhantes às de tomar pílulas anticoncepcionais. Na verdade, elas geralmente desaparecem após dois a três meses de uso.

As mais comuns são:

  • Sangramento leve ou de escape.
  • Irritação ou infecção vaginal.
  • Aumento do corrimento vaginal
  • Dor de cabeça, tontura e náusea.
  • Depressão ou irritabilidade
  • Baixa libido.
  • Sensibilidade nos seios
  • Mudança de apetite
  • Maior risco de problemas de coagulação.

Contraindicações

Apesar das suas inúmeras vantagens como método anticoncepcional, esse dispositivo não é indicado em alguns casos especiais. Portanto, é essencial informar o médico sobre as suas doenças atuais e o seu histórico.

Evite seu uso se:

  • Você está prestes a se submeter a uma cirurgia.
  • Você está amamentando.
  • Você tem mais de 35 anos e fuma.
  • Você é sensível a qualquer um dos componentes hormonais.
  • Você sofre de diabetes ou doenças relacionadas aos vasos sanguíneos.
  • Você tem histórico de câncer de mama, útero ou fígado.
  • Você tem uma doença hepática.
  • Você sofre de enxaquecas com aura.
  • Você tem pressão alta.

O anel vaginal é um dispositivo relativamente seguro e fácil de usar. Sua eficácia depende muito da maneira como ele é usado.

Pode interessar a você...
9 efeitos colaterais mais comuns dos contraceptivos
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
9 efeitos colaterais mais comuns dos contraceptivos

Embora sejam muito usados ​​para prevenir a gravidez, os efeitos colaterais dos contraceptivos não são raros e afetam muitas mulheres.