Febre em crianças: saiba como agir

9 de dezembro de 2018
Ainda que a febre em crianças seja um tema de preocupação para os pais, na realidade é um mecanismo de defesa que permite que o organismo enfrente os processos infecciosos causados por vírus e bactérias.

É inevitável sentir preocupação diante da febre em crianças. Ainda que seja um sintoma que pode surgir por problemas comuns, costuma ser um dos principais motivos de consultas em urgências pediátricas. Como devemos agir diante destes casos?

Como pais é muito importante que aprendamos a atender a esta manifestação, já que nem sempre é necessário recorrer ao médico.

De fato, ainda que tenha a ver com uma infecção, a maior parte das vezes pode-se superar em casa com alguns cuidados básicos.

Confira nesse artigo alguns deles.

Por que dá febre em crianças?

Se fala de febre quando a temperatura corporal está acima dos 38 ºC. No caso da febre em crianças, acontece devido a infecções virais ou bacterianas.

Apesar de ser alarmante, a realidade permite ao corpo agir positivamente contra os agentes patógenos.

O que fazer diante de uma criança com febre

Os detonadores mais comuns deste sintoma são as infecções respiratórias, como a gripe e o resfriado. Porém, pode-se originar por algo que requer mais cuidado, por exemplo, uma infecção urinária ou de ouvido. Em casos reduzidos os detonantes são doenças graves.

Leia também: 6 dicas para fortalecer seu sistema imunológico

Como detectar a febre em crianças

O aumento da temperatura corporal é a principal característica de uma criança com febre. Porém, devido ao fato de que costuma ter causas subjacentes, frequentemente é possível identificar outros sinais de alerta. Os sintomas podem incluir:

  • Bochechas notoriamente avermelhadas
  • Batimentos cardíacos ou respiração acelerados
  • Sensação de frio ou calafrios
  • Fatiga e fraqueza
  • Pele pálida
  • Dores de cabeça
  • Mal-estar geral

É necessário tratar a febre em crianças?

A febre sempre é um indicador de alguma alteração no organismo. Por isso, controla-la com uma medicação pode impedir o reconhecimento de outros sintomas chave para o diagnóstico.

As funções deste sintoma são as de proteger, defender e acelerar o processo de recuperação das crianças, diante de processos infecciosos. Então, insistir em reduzir a temperatura pode ser improdutivo.

Devido a isso, antes de provar qualquer antitérmico ou fármaco específico, é conveniente seguir outras recomendações para manter a criança tranquila e cômoda.

Assim, ao não interromper os mecanismos de defesa, ocorre uma ótima recuperação.

Tratar uma criança com febre

Nota: o uso de medicamentos para tratar a febre deve ser feio sob supervisão médica. Uma avaliação adequada permite determinar se é necessário medicar.

Recomendações para agir diante de uma criança com febre

Apesar de a recomendação geral ser deixar a febre transcorrer, não é preciso ignorar que a criança se sente mal e requer certos cuidados.

Um manejo inadequado do sintoma pode incidir no risco de complicações. Assim, o melhor é aplicar os seguintes conselhos:

Um banho de água morna

Por motivo nenhum deve-se tentar diminuir a temperatura da criança com água fria ou compressas de gelo. As quedas bruscas de temperatura são prejudiciais e interferem nas funções da febre como mecanismos de defesa.

Porém, uma ducha de água morna pode dar bem-estar à criança.

Líquidos saudáveis

A febre pode vir acompanhada de sudoração excessiva e desidratação. Por isso, proporcionar líquidos saudáveis como a água, sucos naturais ou infusões pode apoiar o processo de recuperação.

Garantir um ambiente fresco

Um dos grandes erros na hora de tratar a febre em crianças é cobri-las muito. Apesar de ser normal aplicar esta medida nos casos de resfriados, não é correto.

Para manter a comodidade do menor o ideal é colocar roupa fresca e afastá-lo de fontes de calor. Quanto mais alta for a temperatura, menos coberto deve ficar.

Usar remédios apenas se necessário

O uso de medicamentos antitérmicos só é recomendado quando o sintoma vem acompanhado de mal-estar geral ou dor.

Com frequência os fármacos recomendados pelo pediatra são o ibuprofeno e o paracetamol infantil.

As doses variam em função da idade e peso da criança; por isso, o melhor e consultar um médico.

Vigie a temperatura

O termômetro é uma ferramenta imprescindíveis para agir contra a febre em crianças.

Ele permite vigiar de forma contínua a temperatura caso surja alguma complicação.

Caso os níveis marquem mais de 40 ºC é essencial procurar um médico imediatamente.

Te recomendamos ler: 5 recomendações para tratar a gripe em crianças

Seu filho passa por algum episódio de febre recorrente ou prolongado? O melhor é averiguar a causa.

Por isso, se depois de aplicar estas recomendações não notar uma melhora, solicite a intervenção do pediatra.