O que acontece com o corpo ao parar de comer carboidratos?

As dietas com baixo teor de carboidratos se tornaram populares por seus efeitos na perda de peso. No entanto, é bom parar de comer carboidratos? Várias considerações devem ser feitas antes de tomar esta decisão. Conheça-as!

Última atualização: 23 Janeiro, 2021

As dietas com baixo teor de carboidratos estão na moda como diretrizes dietéticas para perder peso e melhorar alguns aspectos da saúde. O intenso marketing por trás delas faz muitas pessoas duvidarem do papel dos carboidratos na dieta alimentar. Eles são prejudiciais para a saúde? O que acontece com o corpo ao parar de comer carboidratos?

Os alimentos ricos em carboidratos fornecem energia ao corpo e são um componente de que ele precisa para funcionar normalmente. Parar de consumi-los completamente pode ter efeitos negativos para a saúde, mas uma presença muito alta deles também. Portanto, é necessário encontrar o equilíbrio e saber escolher as fontes mais adequadas.

O que acontece com o corpo ao parar de comer carboidratos? Os efeitos benéficos:

As dietas com baixo teor de carboidratos não apenas despertaram o interesse das pessoas. Elas também se tornaram objeto de pesquisas com o objetivo de determinar se são benéficas para a saúde.

Nos estudos realizados a esse respeito, bons resultados foram observados na perda de peso, além de outras melhorias no estado de saúde. As principais mudanças que ocorrem são as seguintes:

  • O corpo passa a utilizar a gordura como fonte de energia, pois diminui a disponibilidade imediata de glicose que os carboidratos oferecem.
  • Existem efeitos favoráveis na perda de peso. No início ocorre uma perda de fluidos e, em uma segunda fase, os depósitos lipídicos começam a diminuir.
  • Redução do risco de doenças cardiovasculares. Embora estudos de longo prazo sejam necessários, resultados positivos imediatos foram encontrados para o índice de massa corporal, circunferência abdominal, pressão arterial, triglicerídeos e insulina no sangue.
  • Ocorrem melhorias na gestão da diabetes tipo 2, conforme explica esta revisão de estudos sobre o assunto.
  • A sensação de fome é reduzida devido à maior presença de gorduras e proteínas.

A redução do consumo de carboidratos está associada a uma maior perda de peso e redução do risco de doenças.

 Leia mais: Como distribuir bem o consumo de carboidratos?

Os problemas das dietas com baixo teor de carboidratos

Uma dieta com menos carboidratos pode ser planejada de diferentes maneiras. A redução pode variar de muito estrita (como é o caso das dietas cetogênicas) a uma redução moderada. Em todos os casos, os estudos mostram o surgimento de uma série de sintomas incômodos e pequenos desequilíbrios no organismo. Os mais comuns são os seguintes:

  • Dor de cabeça e confusão. 
  • Irritabilidade. 
  • Câimbras nas pernas. Geralmente aparecem devido à perda de magnésio e outros minerais. Não é nada sério, mas pode ser algo incômodo.
  • Desidratação devido ao aumento da perda de água.
  • Constipação pela menor quantidade de fibras e adaptação do aparelho digestivo. 
  • Mau hálito (se a dieta for muito pobre em carboidratos).

Nos estudos citados, também foram encontrados possíveis efeitos negativos quando a dieta é seguida por mais tempo. As principais preocupações dos especialistas são as seguintes:

  • Não existem estudos de longo prazo sobre a segurança da dieta cetogênica, a forma mais restritiva de reduzir os carboidratos.
  • Se houver desidratação e qualquer forma de atividade física for iniciada, pode haver piora no desempenho, fadiga, aumento da temperatura corporal ou alterações na pressão arterial.
  • Uma ingestão muito baixa de carboidratos combinada com uma alta presença de proteína aumenta a produção de glicose hepática e diminui a resposta do tecido à insulina. Essas duas condições são marcadores de resistência à insulina.
  • Pode piorar a saúde cardiovascular se a presença de gordura saturada for muito elevada.

Você pretende parar de comer carboidratos? Saiba como manter uma dieta saudável

Uma dieta com poucos carboidratos pode ser um bom padrão alimentar se você seguir algumas orientações para evitar seus aspectos negativos. Além disso, pode se tornar uma forma de alimentação variada, saudável e satisfatória. O que deve ser considerado?

1. Presença de vegetais

Não há diferenças aqui em relação às recomendações para a população geral. Como não contém nenhum tipo de grão (ou uma quantidade muito baixa), você terá a oportunidade de adicionar vegetais a quase todas as refeições. Se a diretriz não for muito rígida, alguns vegetais com amido também podem ser adicionados.

2. Cuidado com o excesso de proteína

Uma dieta baixa em carboidratos não precisa ser muito rica em proteínas. Basta seguir a recomendação padrão e incluir um alimento proteico em cada refeição. As principais fontes serão ovos, peixes, carnes, oleaginosas e leguminosas.

Lembre-se de que o feijão, o grão-de-bico e a lentilha fornecem uma certa quantidade de carboidratos. Se você deseja seguir uma dieta muito pobre em carboidratos, estes devem ser ingeridos em pequenas quantidades ou evitados.

3. Aumente a quantidade de gordura na dieta

Quando você para de comer carboidratos, os lipídios se tornam a principal fonte de energia, e você não precisa ter medo de ingeri-los. Eles são necessários para uma boa saúde, proporcionam saciedade e facilitam a manutenção da dieta. 

Estas são as fontes mais adequadas para consumir diariamente:

  • Azeite e azeitona.
  • Abacate.
  • Peixes oleosos.
  • Oleaginosas.

4. Frutas e cereais

Frutas e cereais só podem ser incluídos em pequenas porções ao seguir um plano menos rígido de baixo teor de carboidratos. Em qualquer caso, deve-se eliminar alimentos e bebidas com adição de açúcares e qualquer tipo de produto processado.

5. Monitore o consumo de sal e água

A redução da presença de carboidratos pode levar a uma maior perda de água e eletrólitos, incluindo sódio. Isso pode causar uma série de efeitos adversos que devem ser evitados. Para isso, é necessário beber bastante água e garantir a presença de sal na dieta.

Evite produtos processados ​​com grandes quantidades de sódio. Ainda assim, em casa você pode cozinhar com esse tempero ao fazer receitas com baixo teor de carboidratos ou caldos para beber ao longo do dia.

Descubra também: 4 coisas que você deve saber sobre as dietas com baixo teor de sódio

É possível manter uma dieta saudável ao parar de comer carboidratos

As dietas com baixo teor de carboidratos estão em voga por seus efeitos positivos para a perda de peso. Além disso, elas também mostraram bons resultados no controle do diabetes tipo 2, reduzindo a circunferência abdominal e diminuindo a pressão arterial.

Apesar disso, é preciso saber que elas também têm riscos e efeitos negativos. Assim, é necessário levar em consideração uma série de recomendações alimentares para poder realizá-las com segurança. Nesse sentido, é conveniente garantir a ingestão ideal de vegetais frescos, juntamente com fontes de gordura e proteína.

De qualquer forma, antes de adotar esse tipo de dieta, é melhor ir ao nutricionista. Não se deve ignorar que esses padrões alimentares não são os mais adequados em todos os casos. O profissional é quem vai determinar se esta é uma boa escolha ou não.

Pode interessar a você...
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Dicas para reduzir os carboidratos da dieta

Para reduzir de maneira saudável a proporção de carboidratos da dieta é possível reduzir a presença de alimentos ricos em açúcares substituindo-os.



  • Bilsborough S.A, Crowe T.C. Low-carbohydrate diets: what are the potential short- and long-term health implications? Asia Pacific Journal of Clinical Nutrition. 2003.12(4):396-404.
  • Ebbeling CB, et al. Effects of a low carbohydrate diet on energy expenditure during weight loss maintenance: randomized trial. The British Medical Journal. Noviembre 2018.363:k4583.
  • Hu T, et al. The effects of a low-carbohydrate diet on appetite: A randomized controlled trial. Nutrition Metabolism and Cardiovascular Diseases. Junio 2016.26(6):476-488.
  • Hu T, et al. Effects of low-carbohydrate diets versus low-fat diets on metabolic risk factors: a meta-analysis of randomized controlled clinical trials. American Journal of Epidemiology. Octubre 2012.176(Suppl 7):S44-S54.
  • Huntriss R, et al. The interpretation and effect of a low-carbohydrate diet in the management of type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials. European Journal of Clinical Nutrition. Diciembre 2017. 72:311-325.
  • Lonnie M, et al. Protein for Life: Review of Optimal Protein Intake, Sustainable Dietary Sources and the Effect on Appetite in Ageing Adults. Nutrients. Marzo 2018.10(3):360.
  • Santos F.L, et al. Systematic review and meta‐analysis of clinical trials of the effects of low carbohydrate diets on cardiovascular risk factors. Obesity Reviews. Noviembre 2012. 13(11):1048-1066.
  • Veldhorst M.A, et al. Gluconeogenesis and energy expenditure after a high-protein, carbohydrate-free diet. American Journal of Clinical Nutrition. Setiembre 2009. 90(3):519-26.