Acne ou rosácea? Dicas para diferenciá-las

Você tem dúvidas se uma lesão é acne ou rosácea? É normal, pois elas podem ser confundidas. Aqui te contaremos algumas dicas para diferenciá-las.
Acne ou rosácea? Dicas para diferenciá-las

Última atualização: 22 maio, 2022

A maioria das pessoas considera a pele como um dos aspectos mais importantes a nível estético. Principalmente a pele do rosto. No entanto, este órgão é suscetível a inúmeras patologias, como acne ou rosácea.

Apesar de serem geralmente caracterizadas pelo aparecimento de espinhas no rosto, a verdade é que existem diferenças entre as duas. Mas em várias ocasiões é difícil distinguir se é uma ou outra. Neste artigo explicamos o que você deve saber para identificá-las.

O que é acne?

A acne é um dos motivos mais frequentes de consulta em dermatologia, constituindo quase 30% das abordagens da especialidade. É uma patologia que afeta o folículo piloso, que é a área da pele onde o cabelo cresce.

O que acontece é que esses folículos ficam entupidos com células mortas da pele e gordura. Isso faz com que uma reação inflamatória se desenvolva na área e que o folículo seja infectado. Por isso se diz que é uma doença multifatorial, pois não pode ser atribuída a um único fator, nem é tratada com uma abordagem que deixe de lado suas múltiplas origens.

Outro aspecto importante no desenvolvimento da acne são os hormônios. De acordo com os estudos disponíveis, um excesso de andrógenos estimula as glândulas sebáceas presentes no folículo piloso. Isso faz com que elas aumentem e produzam mais sebo, o que culmina no entupimento do folículo.

A principal lesão da acne são os comedões, que podem ser abertos ou fechados. Um comedão é uma coleção de pus sob a pele, em relação a um folículo, em sua área próxima. Os fechados são os típicos cravos, que possuem essa cor devido à reação do oxigênio com o sebo do poro. Os abertos são os que drenam o pus.

Acne em uma jovem
A principal lesão da acne são os comedões, que podem ser abertos ou fechados

Como é a rosácea?

A rosácea é uma patologia em que ocorrem lesões semelhantes à acne, mas que se caracterizam por uma dilatação dos vasos sanguíneos da face. Isso causa edema, que é o acúmulo de líquidos nos tecidos moles, e vermelhidão na área. É o principal sinal que nos ajuda a saber se é acne ou rosácea.

Embora possa ocorrer em qualquer pessoa, geralmente afeta mais as mulheres de meia-idade. A pele fica mais sensível e quente do que o normal. Além disso, esta doença pode afetar os olhos fazendo com que eles fiquem secos e irritados.

Pode até causar uma mudança na forma do nariz. Este sintoma particular é chamado rinofima, que ocorre devido ao espessamento da pele como resultado de todas as mudanças na patologia. Este aumento de espessura é evidente nas asas do nariz.

Como saber se é acne ou rosácea?

Embora o diagnóstico deva sempre ser feito por um dermatologista, existem alguns detalhes que podem nos guiar para saber se é acne ou rosácea. Em primeiro lugar, o tipo de lesão, pois, embora em ambos os distúrbios possa haver espinhas na face, elas não são idênticas.

Em pessoas com acne, as lesões geralmente se espalham para as costas, ombros e até o peito. A rosácea afeta apenas a área do nariz e das bochechas, como regra. Além disso, nesta última patologia observa-se uma cor avermelhada que é típica dela.

Esta última é importante porque outra informação para distinguir se é acne ou rosácea é o chamado flushing. É um fenômeno que consiste na vermelhidão da pele facilmente em determinadas situações, como mudanças de temperatura ou estresse. Está relacionado à vasodilatação e só ocorre na rosácea, mas não na acne.

Outro aspecto fundamental a observar é quem sofre com a patologia. A rosácea, como referimos, é mais comum em mulheres com mais de 30 anos, mas por outro lado, a maioria das consultas de acne ocorre durante a puberdade ou juventude.

Rosácea na pele da bochecha
A rosácea tende a ser localizada no rosto em mulheres com mais de 30 anos

Você pode gostar: Tratamentos para acne

Acne ou rosácea: mais diferenças

A nível sintomático também existem diferenças entre ambas as patologias. Por exemplo, é importante notar que a acne afeta apenas a pele, no entanto, a rosácea pode causar sintomas oculares associados.

Além disso, ao iniciar um tratamento, é essencial ter certeza se é acne ou rosácea. Os tratamentos utilizados para acne moderada ou grave são muito agressivos com a pele. Na rosácea, a pele do rosto fica mais sensível que o normal e esses medicamentos são contraindicados.

O caso de referência é o medicamento chamado isotretinoína. Este medicamento é indicado para acne, mas deixa a pele mais seca e irritada. É indicado apenas na rosácea em pacientes nos quais nenhuma outra abordagem funcionou.

Da mesma forma, outros medicamentos indicados na rosácea, como a ivermectina, não apresentam resultados em pessoas com acne. De qualquer forma, devemos lembrar que deve ser o dermatologista quem escolha o tratamento mais adequado.

Pode interessar a você...
Máscara caseira para a pele oleosa com acne ou cravos
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Máscara caseira para a pele oleosa com acne ou cravos

A pele oleosa pode ser um problema, por isso neste artigo vamos mostrar como fazer uma máscara caseira para tratá-la naturalmente. Confira!



  • Acné de causas endocrinológicas. (n.d.). Retrieved July 3, 2020, from https://www.scielo.sa.cr/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1409-00152016000100211&lng=en&nrm=iso
  • Ivars Lleó, M., Lera Imbuluzqueta, J. M., Bernad Alonso, I., & España Alonso, A. (2014). Adnexal disease: Acne vulgaris and rosacea. Medicine (Spain), 11(48), 2823–2839. https://doi.org/10.1016/S0304-5412(14)70704-8
  • Rueda, R. A., & Dermatología, P. (n.d.). EI ACNÉ Y LA ROSÁCEA. Retrieved from www.clinicalili.org.coABRIL2OOI
  • de Zaputovich, Fatima Agüero, and Margarita Samudio. “Características clínicas y epidemiológicas de pacientes que consultan por acné.” Memorias del Instituto de Investigaciones en Ciencias de la Salud 13.1 (2015).
  • Maza-Ramos, Gibert, et al. “Acné juvenil, tratamiento por el pediatra.¿ Cuándo enviar al especialista?.” Acta Pediátrica de México 39.5 (2019): 307-313.
  • Gaitán Jiménez, Martha Isabel. “Hipótesis sobre la causa de rosácea.” (2019).
  • Dávalos, Concepcion Isabel Pereira, Reinaldo Rogelio Díaz Valle, and Agustín Rodríguez Soto. “Clasificaciones del rinofima.” Archivos del Hospital Universitario” General Calixto García” 7.2 (2019): 247-259.
  • van Zuuren, Esther J. “Rosacea.” New England Journal of Medicine 377.18 (2017): 1754-1764.
  • Rainer, Barbara M., Sewon Kang, and Anna L. Chien. “Rosacea: Epidemiology, pathogenesis, and treatment.” Dermato-endocrinology 9.1 (2017): e1361574.
  • Sbidian, Emilie, et al. “A randomized-controlled trial of oral low-dose isotretinoin for difficult-to-treat papulopustular rosacea.” Journal of Investigative Dermatology 136.6 (2016): 1124-1129.