Abscessos intra-abdominais: o que são?

19 de julho de 2019
Os abscessos intra-abdominais são formados principalmente após cirurgia, trauma ou doenças que envolvem infecção ou inflamação abdominal.

Os abscessos intra-abdominais são acúmulos de pus localizados dentro da cavidade abdominal. Eles podem estar localizados em qualquer parte do abdômen.

São formados principalmente após cirurgia, trauma ou doenças que envolvem infecção ou inflamação abdominal, particularmente quando ocorre peritonite ou perfuração.

Causas dos abscessos intra-abdominais

Homem com dor abdominal

Algumas das causas dos abscessos intra-abdominais são as seguintes:

  • Infecções em órgãos, como na vesícula biliar ou no apêndice, ou por perfuração do intestino delgado ou grosso.
  • Traumatismos abdominais graves.
  • Infecções que aparecem no pós-operatório de cirurgia abdominal.

Sintomas

Os sintomas mais frequentes dos abscessos intra-abdominais são mal-estar, febre e dor abdominal. Às vezes, ao realizar o exame físico, pode-se sentir massas no abdômen.

Abcessos intra-abdominais podem ser formados dentro de 1 semana após a perfuração ou peritonite. No entanto, os abscessos pós-operatórios podem não aparecer até 2-3 semanas após a cirurgia e, raramente, até vários meses depois.

Embora os sintomas sejam variáveis, a maioria dos abscessos surgem acompanhados de febre e dor abdominal. Os sintomas podem ser leves ou intensos, com náuseas, anorexia e perda de peso frequentes.

No entanto, outros tipos de abscessos, como os da bolsa de Douglas, podem causar diarreia. Além disso, a proximidade da bexiga pode causar micção urgente e polaquiúria.

Abscessos subfrênicos também podem causar sintomas torácicos, como tosse não produtiva, dor torácica e dispneia. Geralmente, há dor à palpação no local do abscesso. Abcessos grandes podem ser palpados como uma massa.

Também pode te interessar a leitura: 5 bebidas naturais para desinflamar o abdômen

Tipos de abscessos intra-abdominais

Abscessos intra-abdominais são classificados como intraperitoneal, retroperitoneal ou visceral. Muitos abcessos intra-abdominais aparecem após a perfuração de uma víscera ou câncer de cólon.

Outros são formados por extensão da infecção ou inflamação secundária a quadros como apendicite, diverticulite, doença de Crohn, pancreatite, doença inflamatória pélvica ou qualquer distúrbio que cause peritonite generalizada.

A cirurgia abdominal, particularmente aquela que afeta o sistema digestivo, é outro fator de risco significativo. O peritônio pode ficar contaminado durante ou após a cirurgia.

Abscessos intra-abdominais não drenados podem levar a danos a estruturas e vasos adjacentes, que podem levar a sangramento ou trombose.

Eles também podem se romper no intestino ou no peritônio e formar uma fístula cutânea ou geniturinária. No entanto, um abscesso abdominal inferior pode descer até a coxa.

Leia também: Como desinfetar uma ferida?

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através de uma tomografia axial computadorizada. Essa técnica também permite selecionar a melhor maneira de drenar e tratar a infecção.

A ressonância magnética é outro teste de imagem altamente preciso realizado em algumas situações. No entanto, existem outros testes mais simples, como a ultrassonografia abdominal, embora a qualidade das imagens não seja tão boa quanto a dos outros testes.

Qual é o tratamento?

Cirurgia abdominal

O tratamento inclui o uso de antibióticos e drenagem percutânea ou cirúrgica. Quase todos os abscessos intra-abdominais requerem drenagem, seja por cateteres percutâneos ou cirurgia.

A drenagem através de cateteres pode ser apropriada quando as cavidades do abscesso são grandes e quando a via de drenagem não passa pelo intestino, órgãos, pleura ou peritônio não contaminados.

Além disso, o uso de drenagem é apropriado quando a origem da infecção é controlada e o pus é suficientemente líquido para circular através do cateter.

Os antibióticos podem limitar a propagação da infecção pelo sangue e devem ser administrados antes e depois da intervenção. O tratamento requer drogas ativas para equilibrar a flora intestinal, como gentamicina e metronidazol.

Em resumo, o médico pode indicar o tratamento dos abscessos intra-abdominais baseados na drenagem do conteúdo purulento, acompanhada pela administração de antibióticos.

A drenagem é realizada através da pele, por meio de uma drenagem percutânea, e pode ser guiada por exames de imagem, como o ultrassom. Por fim, em alguns casos de maior gravidade, uma drenagem cirúrgica pode ser necessária, o que requer uma operação na sala de cirurgia.

  • Salud. (2018). Absceso intraabdominal. Https://Www.Clinicadam.Com/Salud/5/.

  • Pedro Chávez Pérez, J. (2002). Sepsis abdominal. Asociación Mexicana de.

  • del Pozo, J. L., Manubens, A., García-Quetglas, E., & Ramón Azanza, J. (2008). Absceso intraabdominal posquirúrgico con bacteriemia por Propionibacterium acnes. Enfermedades Infecciosas y Microbiología Clínica. https://doi.org/10.1157/13125647