7 dicas para não ganhar peso ao chegar à menopausa

19 Agosto, 2020
Devido às alterações hormonais, é muito mais fácil ganhar peso durante a menopausa. Contudo, você não deve se preocupar em excesso: existem dicas e recomendações para manter um bom peso.

Com os anos, é normal que o corpo passe por várias mudanças, tanto externas quanto internas. No entanto, quando as mulheres chegam à menopausa, o fato de engordar – quase que inevitavelmente – causa certo mal-estar. Não ganhar peso é, na verdade, mais difícil do que o normal.

Isso é especialmente perceptível durante a menopausa, o processo natural nas mulheres caracterizado pela diminuição dos hormônios femininos e o desaparecimento da ovulação.

O que acontece durante a menopausa?

A menopausa ocorre de forma natural entre os 44 e 55 anos, embora em casos raros ela possa se desenvolver de forma precoce.

Devido aos desequilíbrios hormonais que acarreta, inevitavelmente o corpo começa a passar por uma série de transformações que implicam uma mudança na forma de vida.

Os calores, a incontinência urinária e as mudanças constantes de humor são apenas alguns dos sintomas com os quais é preciso lidar nessa nova fase.

Contudo, há outro aspecto que a mulher deve enfrentar durante a menopausa: o ganho de peso. Essa é uma das maiores preocupações de quase todas as mulheres, uma vez que não as afeta apenas física, mas também psicologicamente.

Ao diminuir os níveis de estrogênio e progesterona, o corpo tende a acumular mais gordura e perder massa muscular. Por esse motivo, muitas mulheres ganham vários quilos (geralmente entre 5 e 10) durante a menopausa.

Felizmente, ao adotar bons hábitos de vida, é possível evitar o ganho de muitos quilos e, ao mesmo tempo, manter o bem-estar. Vamos ver alguns deles abaixo.

Dicas para não ganhar peso na menopausa

Além de levar em consideração as instruções do seu médico, é recomendável ter em mente os seguintes truques para evitar o ganho de peso durante a menopausa. Como você vai ver, constituem principalmente uma série de bons hábitos, que não só vão ajudar você a se sentir bem todos os dias, como também vão contribuir para prevenir desconfortos e até doenças.

1. Consumir mais carboidratos complexos

carboidratos-complexos-na-menopausa

Os carboidratos complexos são aqueles que não aumentam os níveis de açúcar no sangue e são de absorção lenta. São caracterizados por sua riqueza em fibras e vitaminas, elementos necessários para o bom funcionamento do corpo.

Dentre suas principais fontes, destacam-se:

  • Massas e farinhas integrais
  • Arroz e cereais integrais
  • Legumes
  • Batatas

Leia também: 5 alimentos que regulam os níveis de açúcar no sangue rapidamente

2. Incluir ácidos graxos ômega 3 na alimentação

Um dos principais erros que as pessoas cometem quando não querem ganhar peso é suprimir por completo toda fonte de gorduras de sua alimentação.

Ainda que seja bom reduzir ao máximo o consumo das gorduras saturadas, é primordial considerar que o organismo requer uma certa medida desse nutriente, principalmente as do tipo  insaturadas.

Os ácidos graxos ômega 3 estão entre as gorduras que não deveriam faltar na dieta das mulheres na menopausa. São essenciais para combater a inflamação e prevenir diferentes transtornos cardiovasculares.

3. Aumentar o consumo de fibras

consumo-de-fibras-na-menopausa

A fibra é essencial para todos os tipos de dietas. No entanto, durante a menopausa, deve ser consumida em abundância devido a todos os benefícios que proporciona ao corpo.

De acordo com esse estudo realizado pelo Dr. McRae, da National University of Health Sciences de Illinois, aumentando seu consumo, ajudamos a controlar os níveis de colesterol e a reduzir o risco de sofrer de doenças do coração.

Além disso, a fibra é perfeita para controlar a ansiedade por comer e não cair na tentação de consumir mais calorias do que as que você precisa.

Você pode encontrar fibras nos seguintes alimentos:

  • Cereais e legumes: lentilhas, milho, cereais integrais
  • Sementes: amêndoas
  • Frutas: mamão, ameixa, goiaba, cítricos, pera e maçã (com casca)
  • Vegetais e outros: casca de batata, cenouras (cruas), vegetais de folhas verdes

4. Não se esquecer das proteínas

A diminuição de massa muscular é um dos motivos pelos quais as proteínas não deveriam faltar na dieta, menos ainda durante a menopausa. Seu consumo é determinante para fortalecer os músculos e aumentar o rendimento físico.

Principais fontes de proteína:

  • Carnes magras
  • Peixes
  • Leite e derivados
  • Oleaginosas
  • Ovos

5. Consumir alimentos ricos em cálcio

consumo-de-calcio-na-menopausa

O cálcio é um mineral essencial para o organismo e, no caso das mulheres, ainda mais na menopausa. Segundo esse estudo realizado pelo Dr. Lugones Botell, seu consumo participa na prevenção da perda de densidade óssea e no desenvolvimento de doenças como a osteoporose.

Algumas fontes de cálcio são:

  • Leite e derivados
  • Peixes
  • Frutos secos
  • Legumes
  • Soja
  • Brócolis

Nota: o consumo de alimentos ricos em cálcio deve ser sempre realizado dentro de uma dieta balanceada, de acordo com as necessidades do organismo e as orientações do médico. Por outro lado, é preciso lembrar que não constitui, por si só, uma forma de prevenir ou tratar doenças como a osteoporose.

6. Tomar vitamina D

De acordo com essa pesquisa realizada por uma equipe de pesquisadores do Instituto Nacional de Perinatologia (México), Essa vitamina é responsável por facilitar a absorção do cálcio.

Fontes de vitamina D:

  • Peixes
  • Óleo de fígado de bacalhau
  • Tomar sol de 5 a 10 minutos por dia
  • Em forma de suplementos, sob recomendação médica

Visite o artigo: Como a deficiência de vitamina D afeta seu corpo?

7. Praticar atividades físicas

nao-ganhar-peso-na-menopausa

O sedentarismo nunca será uma boa opção quando se trata de cuidar da saúde. Portanto, especialistas da Organização Mundial de Saúde recomendam fazer tanto atividade física quanto exercícios regularmente.

Assim, evitar o sedentarismo e manter uma rotina de exercícios vem a ser uma das melhores dicas para evitar o ganho de peso e, ao mesmo tempo, cuidar da saúde em geral. Na verdade, os benefícios podem até ser refletidos no humor.

O exercício também beneficia o sistema cardiovascular e mantém a saúde dos ossos e das articulações.

O ideal é fazer 45 minutos de atividade física aeróbica moderada. Algumas das atividades mais recomendadas para evitar o sedentarismo são:

  • Dançar
  • Andar de bicicleta
  • Nadar
  • Caminhar a passos rápidos
  • Trotar

Isso deve ser complementado com trabalhos musculares e de flexibilidade:

  • Ginástica de manutenção
  • Pesos
  • Abdominais
  • Ioga
  • Pilates

Abandone os hábitos nocivos

Lembre-se de que, além dessas recomendações, devemos evitar ao máximo os hábitos ruins que influenciam de forma negativa a nossa saúde, como o sedentarismo, o tabagismo, o consumo de álcool e a ingestão regular de alimentos processados.

Seguindo esses conselhos como parte da rotina, não só conseguiremos evitar o ganho de peso como também melhoraremos a qualidade de vida em uma etapa de tantas mudanças.

  • Landa Goñi, J., Lopes Rauno, P., Hernandez Nunez, J., & Nunez Palomo, S. (2002). Menopausia. Atencion Primaria. https://doi.org/10.1016/S0212-6567(02)79072-0
  • Zárate, A., & Miranda, R. (1991). Osteoporosis y menopausia. Gaceta Medica de Mexico.
    Arriagada M., M., Arteaga U., E., Bianchi P., M., Brantes G., S., Montaño V., R., Osorio F., E., …
  • Villaseca D., P. (2005). RECOMENDACIONES DE TRATAMIENTO EN LA MENOPAUSIA. Revista Chilena de Obstetricia y Ginecología. https://doi.org/10.4067/S0717-75262005000500011
  • VV.AA. (2013). Papel de los ácidos grasos omega-3 en la prevención de enfermedades cardiovasculares. http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0212-16112013000100001
  • McRae, Marc. (Dietary Fiber Is Beneficial for the Prevention of Cardiovascular Disease: An Umbrella Review of Meta-analyses). https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5731843/
  • Lugones Botell, Miguel. (2001).Osteoporosis en la menopausia. Prevención y estrategias terapéuticas actuales. http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0138-600X2001000300004
  • VV.AA. (2015). Calcio y vitamina D en la paciente climatérica. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0187533715000187
  • Organización Mundial de la Salud. https://www.who.int/dietphysicalactivity/pa/es/