Melhor Com Saúde
 

7 propriedades da castanha portuguesa para a saúde do corpo

Falamos sobre algumas das muitas propriedades da castanha portuguesa que atuam positivamente em nossa saúde. Você ficará surpreso quando conhecer todos os benefícios deste delicioso fruto seco.

7 propriedades da castanha portuguesa para a saúde do corpo

Última atualização: 05 Novembro, 2019

As propriedades da castanha portuguesa não são tão conhecidas quanto às de outros frutos secos. Estes últimos são caracterizados por conter nutrientes benéficos para a saúde, vitaminas e qualidades antioxidantes.

Por sua vez, a castanha portuguesa também possui um conteúdo nutricional completo: fornece uma boa quantidade de carboidratos, fibras e aminoácidos essenciais. Você a apreciará por seu sabor agradável, levemente doce e de textura muito macia quando cozida.

Pode ser preparada de diferentes maneiras: cozida, torrada, assada. Aliás, também se pode preparar geleia de castanha que pode ser incluída em preparações doces ou salgadas. Sem dúvida, é um ingrediente que se adapta a todos os gostos. Entretanto, é importante que você nunca a coma crua, pois contém taninos nocivos para o organismo.

Se a compararmos com outras frutas, como por exemplo, avelãs, nozes, amêndoas ou amendoins, a castanha portuguesa é pobre em gordura e fornece menos de 200 quilocalorias por 100 gramas. Portanto, ela pode ser usada sem problemas em suas dietas para reduzir o peso.

Destacamos neste artigo 7 propriedades da castanha portuguesa para a saúde do corpo. Certamente, convencerão você a incluí-la em suas refeições. Coma este delicioso fruto seco e você verá os benefícios que trará ao seu corpo.

Benefícios e propriedades da castanha portuguesa

Benefícios da castanha portuguesa

1. Protege nosso sistema cardiovascular

Como dissemos, entre as várias propriedades da castanha, destaca-se seu baixo teor de gordura. Ao mesmo tempo, é rica em antioxidantes e potássio, o que a torna um fruto valioso para reduzir o risco de doença cardíaca. Ademais, é rica em ômega 3, portanto, seu consumo aumenta o “bom colesterol” (HDL).

Não deixe de ler: Dicas para aumentar o colesterol bom

2. Fornece nutrientes suficientes para o nosso corpo

A castanha portuguesa é rica em minerais (potássio, cálcio, ferro, selênio, zinco, iodo, manganês) e fornece mais potássio e sódio do que outros frutos secos. Além disso, possui vitaminas C, K e abundantes vitaminas do complexo B, incluindo B6 e tiamina.

Sua contribuição nutricional faz com que seja uma aliada para manter o corpo saudável, especialmente o cérebro e o coração. É rica em carboidratos, que fornecem energia ao organismo, além de proteínas e fibras (3 gramas por 100 gramas).

3. A castanha portuguesa contém aminoácidos essenciais

Ácido fólico para gestantes

Este fruto fornece aminoácidos essenciais para o nosso corpo, que se combinam para formar as proteínas que fortalecem os músculos e mantêm um corpo saudável. São perfeitas para as dietas de atletas, idosos ou aqueles que seguem uma dieta vegana.

Devido ao seu teor de ácido fólico, é recomendada para a dieta de mulheres grávidas, pois favorece a formação adequada do feto e evita a anemia.

4. Previne o envelhecimento prematuro

As castanhas portuguesas frescas contêm antioxidantes abundantes, incluindo ácido elágico e gálico. Os antioxidantes contribuem para neutralizar os danos causados ​​pelos radicais livres nas células, causando seu envelhecimento e causando doenças degenerativas. Se queremos permanecer saudáveis ​​e com uma mente lúcida por muitos anos, é importante incluí-las em nossa dieta.

Você pode querer ler: Envelhecimento precoce: 3 sucos antioxidantes

5. A castanha portuguesa não contém glúten

Alimentos para celíacos

As pessoas celíacas sempre procuram alimentos nutritivos que possam incorporar à sua dieta diária. A castanha é ideal para eles, pois não contém glúten, nem como fruto nem transformada em farinha. Além disso, pode ser preparada de várias maneiras, o que oferece muitas opções para pessoas alérgicas ao glúten.

6. É boa para pessoas com diabetes

Ao controlar a quantidade que consomem, as pessoas que sofrem de diabetes podem se beneficiar das propriedades das castanhas.

A porção ideal para diabéticos é de 50 g ou 6 castanhas por dia. Isso é suficiente para fornecer muita fibra e energia.

A castanha causa uma sensação de saciedade que ajuda a que nos sintamos satisfeitos sem comer muito. Além disso, não produz picos de insulina porque os carboidratos que contém são absorvidos lentamente.

7. Fortalece nossos ossos e dentes

Entre as principais propriedades da castanha está a contribuição do manganês, necessário para o bom funcionamento celular e benéfico para a saúde óssea. Este componente ajuda a manter a massa óssea e evitar o desgaste. Além disso, sua importante contribuição de cálcio (145 mg por 100 g), juntamente com fósforo e magnésio, fortalece os dentes.

As propriedades da castanha portuguesa são múltiplas e contribuem de forma positiva e integral para a saúde do seu corpo. Assim, você conseguirá uma boa digestão, fortalecerá seu sistema imunológico e cuidará do seu coração.

Entretanto, como sempre, o melhor é a consulta com seu médico porque ele indicará as quantidades adequadas para cada caso.

Sabia que os frutos secos ajudam a perder peso?

Sabia que os frutos secos ajudam a perder peso?

O consumo de frutos secos nutre nosso corpo. Entre suas muitas propriedades e benefícios, os frutos secos ajudam a perder peso reduzindo a fome.



  • An, J.-Y., Wang, L.-T., Lv, M.-J., Wang, J.-D., Cai, Z.-H., Wang, Y.-Q., Zhang, S., Yang, Q. y Fu, Y.-J(2020). Una estrategia de eficiencia para la extracción y recuperación de ácido elágico de residuos de cáscara de castaña y evaluación de su actividad biológica. Revista microquímica, 105616. https://doi.org/10.1016/j.microc.2020.105616
  • Andy J. Pérez, Łukasz Pecio, Mariusz Kowalczyk, Renata Kontek, Gabriela Gajek, Lidija Stopinsek, Ivan Mirt, Anna Stochmal, Wiesław Oleszek. Cytotoxic triterpenoids isolated from sweet chestnut heartwood (Castanea sativa) and their health benefits implication, Food and Chemical Toxicology, Volume 109, Part 2, 2017, Pages 863-870, ISSN 0278-6915. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278691517301473
  • Chiarini, A., Micucci, M., Malaguti, M., Budriesi, R., Ioan, P., Lenzi, M., … Hrelia, S. (2013). Sweet chestnut (Castanea sativa Mill.) bark extract: Cardiovascular activity and myocyte protection against oxidative damage. Oxidative Medicine and Cellular Longevity. https://doi.org/10.1155/2013/471790
  • Choupina, AB. (2019). Potencial nutricional y sanitario de la castaña europea. Revista de Ciências Agrárias, Vol 42 No 3 (2019). https://doi.org/10.19084/RCA.17701
  • De Vasconcelos, MC, Bennett, RN, Rosa, EA y Ferreira-Cardoso, JV. (2010). Composición de la castaña europea (Castanea sativa Mill.) Y asociación con efectos sobre la salud: productos frescos y procesados. Revista de ciencia de la alimentación y la agricultura, 90 (10), 1578-1589. https://doi.org/10.1002/jsfa.4016
  • Fernández Cabrero, Ángela. (2019). Diabetes tipo I. Alimentación por raciones de Hidratos de Carbono en el medio hospitalario. Universidad de Valladolid. Facultad de Enfermería de Valladolid. https://uvadoc.uva.es/handle/10324/36691?show=full
  • Gonçalves, B., Borges, O., Rosa, E., Coutinho, J. y Silva, AP. (2012). Efecto de la cocción sobre los perfiles de aminoácidos libres y minerales de la castaña (Castanea sativaMill.). Fruits, 67 (3), 201–214. https://doi.org/10.1051/fruits/2012013
  • Meritxell Nus, Ruperto Mar, Sánchez-Muniz, Francisco J.. Frutos secos y riesgo cardio y cerebrovascular. Una perspectiva española. ALAN  [Internet]. 2004  Jun [citado  2018  Nov  23] ;  54( 2 ): 137-148. Disponible en: http://www.scielo.org.ve/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0004-06222004000200002&lng=es.
  • Ninaquispe Zare, Viviano Paulino. (2019). Optimización del proceso de elaboración de galletas utilizando harina de frutos secos (castaña, almendra y pecana). Universidad Nacional de Trujillo. Facultad de Ciencias Agropecuarias. http://dspace.unitru.edu.pe/handle/UNITRU/14854
  • Obiang-Obounou, BW y Ryu, GH. (2013). El efecto de la humedad y la temperatura del alimento sobre el contenido de taninos, las actividades antioxidantes y antimicrobianas de las castañas extruidas. Química de los alimentos, 141 (4), 4166–4170. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2013.06.129