7 conselhos de alimentação para o refluxo gastroesofágico

· 14 de agosto de 2018
Para controlar o refluxo gastroesofágico é essencial limitar o consumo de alguns alimentos irritantes que produzem acidez; também, é conveniente comer várias vezes por dia e ingerir probióticos. 

Seguir uma boa alimentação é uma das chaves para tratar o refluxo gastroesofágico. Ainda que seja necessário colocar em prática outros hábitos, manter uma dieta saudável pode garantir o controle dos sintomas, principalmente quando tendem a serem recorrentes.

Esta condição se desenvolve quando os ácidos estomacais conseguem retornar até o esôfago e para a boca devido a um enfraquecimento do esfíncter esofágico. Descreve-se como uma sensação de ardência a nível do esterno, que pode ser acompanhada com dor torácica e azia.

Mesmo que costume ser leve, e raramente represente outras doenças graves, é necessário prestar atenção para que não se converta em um transtorno crônico. Por isso, além de seguir as recomendações médicas, é importante adotar medidas preventivas com a dieta.

Quais são as causas do refluxo gastroesofágico?

O refluxo gastroesofágico pode provocar dor de estômago

A causa principal do refluxo gastroesofágico é a produção excessiva de ácidos gástricos. Estes sucos produzem uma inflamação e enfraquecimento do músculo que rodeia a parte inferior do esôfago (esfíncter esofágico), o que permite sua passagem para a parte superior.

Fatores de risco

  • Obesidade ou sobrepeso (aumento da pressão intra-abdominal)
  • Estado de gravidez
  • Alteração da capacidade de esvaziamento esofágico
  • Hérnia de hiato
  • Imaturidade das cárdias
  • Cirurgia do esôfago
  • Transtornos do tecido conjuntivo, como esclerodermia
  • Consumo de cigarro e álcool
  • Ingerir comidas irritantes e picantes
  • Tomar café e bebidas estimulantes
  • Alguns medicamentos como a aspirina

Veja também: Remédios naturais mais efetivos para tratar o refluxo

Sintomas do refluxo gastroesofágico

Uma forte sensação de ardor no peito, geralmente depois de comer, é o sintoma comum do refluxo gastroesofágico. No entanto, esta condição costuma vir junto com outros incômodos que podem se prolongar por algumas horas.

  • Dor no peito.
  • Dificuldade para deglutir os alimentos.
  • Regurgitação de alimentos ou líquidos azedos.
  • Sensação de ter um nó na garganta.
  • Tosse crônica.
  • Problemas de sono (se o refluxo é noturno)

Como tratar o refluxo gastroesofágico com a alimentação

Modificar os hábitos alimentares é uma medida que pode prevenir e tratar o refluxo gastroesofágico. Não temos que ignorar que muitos casos são desencadeados por manter uma dieta pouco saudável e rica em alimentos ácidos e irritantes. O que devemos fazer?

1. Consumir suco de aloe vera

Aloe vera ajuda a combater o refluxo gastroesofágico

As propriedades calmantes e antiácidas do suco de aloe vera podem ajudar a tratar o refluxo gastroesofágico de forma natural. Esta bebida saudável neutraliza a ação dos ácidos no sistema digestivo e ajuda a restabelecer o pH alterado.

Entre outras coisas, tem efeitos anti-inflamatórios e regenerativos que reduzem a irritação do revestimento estomacal para evitar complicações como as úlceras ou gastrite. No entanto, devemos consumi-lo com moderação, já que age como laxante.

2. Limitar a ingestão de alimentos irritantes

Manter uma alimentação rica em alimentos irritantes é uma causa habitual deste problema. Por isso, se o objetivo é combatê-lo e evitar que reapareça, é essencial limitar ao máximo sua ingestão. Os detonadores mais populares são:

  • Carnes embutidas
  • Farinas refinadas
  • Doces e confeitaria
  • Condimentos picantes
  • Comidas enlatadas
  • Frituras e snacks de pacote
  • Carminativos como alho e cebola
  • Cítricos e tomate
  • Café e produtos com cafeína
  • Lácteos integrais
  • Manteiga e gorduras vegetais

3. Comer cinco vezes ao dia

Comer vàrias refeiñóes ao dia ajuda a combater o refluxo gastroesofágico

O bom hábito de dividir as porções para fazer cinco refeições por dia também incide de forma positiva no tratamento deste sintoma. Isso permite reduzir as quantidades em cada prato para facilitar a digestão e manter o controle sobre a produção de ácidos.

4. Mastigar bem

Comer devagar e mastigar bem os alimentos é determinante para tratar o refluxo gastroesofágico. Ainda que muitos ignorem, engolir os alimentos muito inteiros dificulta a digestão e altera a secreção de ácidos estomacais.

5. Ingerir alimentos probióticos

Os alimentos probióticos contém “culturas vivas” de bactérias que ajudam a manter um equilíbrio do pH do estômago. Quando há uma alteração dos ácidos que produzem o refluxo, o ideal é aumentar seu consumo como parte do tratamento. Algumas opções disponíveis são:

  • Kéfir
  • Iogurte natural
  • Couve fermentada
  • Fermentado de abacaxi
  • Chucrute
  • Cebolas lactofermentadas

Leia também: 7 alimentos que devemos evitar se temos refluxo ácido

6. Beber água com limão em jejum

Beber água com limão em jejum ajuda a combater o refluxo gastroesofágico

A ingestão de água morna com limão em jejum é um dos remédios tradicionais para tratar o refluxo gastroesofágico. Na verdade, desde sempre é recomendado como aliado para a digestão. Seu efeito alcalino neutraliza os ácidos e torna mais leve o processo de digestão.

7. Evitar comer antes de dormir

Um dos erros da dieta que são detonadores do refluxo ácido é o consumo de alimentos pesados e irritantes nas horas prévias ao descanso. Pode até parecer “inofensivo”, contudo facilita o retorno dos ácidos para a boca e desencadeia outros incômodos digestivos.

Dado que o corpo permanece em uma posição deitada, os ácidos podem subir com facilidade pelo esôfago. Por isso, o melhor é comer umas três horas antes de deitar e consumir somente alimentos leves.

Você sofre com este problema de maneira recorrente? Não se esqueça que, além de seguir estes conselhos, deve-se evitar o cigarro e o estresse. Se você ainda segue representando algum incômodo, consulte um médico para determinar se é devido a alguma causa subjacente.