6 fatores que podem influenciar o aumento do colesterol

Embora existam alguns aspectos do colesterol que não possam ser controlados, a adoção de determinados hábitos e a realização de exames periódicos são medidas essenciais para evitar maiores problemas. Conheça os fatores que podem influenciar o aumento do colesterol.
6 fatores que podem influenciar o aumento do colesterol

Última atualização: 13 Maio, 2021

O colesterol é uma substância presente em todas as células do corpo necessária para o bom funcionamento de todo o organismo. No entanto, um aumento em seus níveis pode representar sérios problemas para a saúde, podendo desencadear ataques cardíacos ou derrames.

É uma condição que não produz sintomas, por isso é comum que muitas pessoas não a percebam e ignorem os fatores que podem influenciar o aumento de seus níveis.

A seguir, detalhamos 6 fatores que, de alguma forma, influenciam essa falta de controle.

Fatores que podem influenciar o aumento do colesterol

O aumento do colesterol, também conhecido como hipercolesterolemia, é uma condição que prejudica a saúde cardiovascular. Isso se deve ao fato de a substância ficar retida nas paredes das artérias, levando ao surgimento de depósitos de gordura nos vasos sanguíneos.

Por se tratar de uma condição que não apresenta sintomas, é importante fazer exames periodicamente, principalmente se você pertence à população de maior risco. Dentro desse grupo estão pessoas com problemas de obesidade e diabetes, fumantes e pessoas que não se alimentam de maneira saudável. Felizmente, existem alguns hábitos que você pode adotar se você sofre desta doença ou quer preveni-la.

Saiba mais sobre os principais fatores de risco e o que você pode fazer para incluir práticas mais saudáveis ​​em sua rotina diária.

1. Hábitos alimentares

Os hábitos alimentares estão diretamente relacionados com os níveis de colesterol no organismo

Os hábitos alimentares estão diretamente relacionados com os níveis de colesterol no organismo. Enquanto o consumo excessivo de gordura e alimentos processados pode causar um acúmulo elevado dessa substância, uma dieta rica em vegetais e gorduras saudáveis pode facilitar seu controle.

De acordo com uma publicação da Clínica Mayo, a ingestão de gorduras saturadas e gorduras trans, carnes vermelhas e laticínios inteiros pode ser um dos principais fatores do aumento dos níveis de colesterol no sangue.

Para melhorar a alimentação, é fundamental evitar os alimentos que aumentam este lipídio no sangue. Além disso, é aconselhável aumentar o consumo de ômega 3, vitamina E e aminoácidos essenciais.

2. Sedentarismo

Levar um estilo de vida sedentário é uma das principais causas do aumento do colesterol ruim nas artérias. A inatividade diminui a capacidade do corpo de transformar as fontes de gordura em energia, levando à sua retenção.

Em relação a isto, uma publicação da American Heart Association sugere que apenas 150 minutos de exercício aeróbico de intensidade moderada por semana são suficientes para reduzir o colesterol e a pressão arterial. Algumas das atividades que você pode praticar são a natação, o ciclismo ou a caminhada.

3. Sobrepeso e obesidade

As pessoas que sofrem de sobrepeso ou obesidade têm uma probabilidade maior de apresentar altos níveis de colesterol no sangue

As pessoas que sofrem de sobrepeso ou obesidade têm uma probabilidade maior de apresentar altos níveis de colesterol no sangue. Isso se deve ao fato de que o acúmulo de gordura no organismo pode diminuir sua capacidade de eliminação desse lipídio das artérias.

É fundamental controlar o peso corporal através da adoção de um estilo de vida saudável. Nessa linha, uma publicação da Heart UK afirma que reduzir o índice de massa corporal em pelo menos 10% contribui para prevenir transtornos cardiovasculares severos.

4. Estresse

A má gestão de episódios de estresse pode se tornar uma potencial causa de colesterol alto e doenças cardiovasculares. Além de afetar a saúde emocional, o estresse pode afetar os processos que auxiliam na remoção do lipídio das artérias.

De acordo com um artigo da University of Rochester Medical Center, altos níveis de cortisol, hormônio liberado durante períodos de estresse, podem, a longo prazo, aumentar a pressão arterial e os níveis de colesterol, triglicerídeos e açúcar no sangue.

Por isto, é importante incluir na sua rotina diária técnicas de relaxamento exercícios de respiração, além de consumir alimentos saudáveis que promovam o bem-estar mental e melhorem o humor. Além disso, você também pode procurar um grupo de apoio e ajuda profissional.

5. Consumo excessivo de álcool

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um fator que está associado ao risco de hipercolesterolemia, dado que suas toxinas afetam o funcionamento do coração e do fígado
Muitas pessoas bebem cerveja sem se preocuparem com seus níveis de colesterol, já que a ela são atribuídos efeitos benéficos. No entanto, para o controle dos níveis de colesterol no organismo, é desaconselhado o consumo de qualquer bebida alcoólica, mesmo que seja feito de forma moderada.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um fator que está associado ao risco de hipercolesterolemia, dado que suas toxinas afetam o funcionamento do coração e do fígado.

Todas as bebidas alcoólicas têm efeitos diferentes sobre o colesterol. No entanto, uma publicação da Harvard T.H. Chan comparando os efeitos da cerveja e do vinho destaca que a maneira como o coração é afetado depende da quantidade e não do tipo de álcool. Por isso, é melhor evitar exceder seu consumo.

6. Histórico familiar

Um dos fatores que podem influenciar o aumento do colesterol que não podemos deixar de mencionar é o histórico familiar ou os antecedentes genéticos. Pessoas cujos familiares tenham sofrido deste problema têm um risco maior de apresentá-lo em alguma fase da vida.

Isto é conhecido como hipercolesterolemia familiar. De acordo com uma publicação da Mayo Clinica causa dessa condição é um gene herdado de um ou de ambos os pais. Isso evita que o corpo se livre do colesterol que se acumula nas artérias.

Portanto, é preciso adotar um estilo de vida saudável deve desde cedo, limitando ao máximo as fontes externas de colesterol, e realizar um acompanhamento médico regular.

Considerações finais sobre o aumento do colesterol

Para evitar um problema maior, a melhor opção é descartar completamente os alimentos que contenham colesterol e incluir na alimentação opções mais saudáveis ​​que contenham gorduras saudáveis, como abacate, nozes e peixe.

Além disso, você deve fazer atividade física diariamente por pelo menos 30 minutos e manter hábitos saudáveis. Se você suspeitar que pode ter colesterol alto ou algum de seus pais sofre desse problema, consulte um médico.

Pode interessar a você...
5 remédios caseiros para reduzir o colesterol ruim
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 remédios caseiros para reduzir o colesterol ruim

Levando em consideração que muitos sofrem com o acúmulo de colesterol, queremos compartilhar 5 remédios caseiros para reduzir o colesterol ruim.



  • Mayo Clinic Staff. (2016, February 9). High cholesterol
    mayoclinic.org/diseases-conditions/high-blood-cholesterol/home/ovc-2018187
  • Turpie, A. G. G., Bauer, K. A., Eriksson, B. I., & Lassen, M. R. (2002). Overweight and obesity as determinants of cardiovascular risk: The Framingham experience. Archives of Internal Medicine. https://doi.org/10.1001/archinte.162.16.1867
  • Bergmann, N., Gyntelberg, F., & Faber, J. (2014, June 1). The appraisal of chronic stress and the development of the metabolic syndrome: A systematic review of prospective cohort studies. Endocrine Connections, 3(2), R55-R80. Retrieved from
    ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4025474/
  • Catalina-Romero, C., Calvo, E., Sanchez-Chaparro, M. A., Valdivielso, Sainz, J. C., Cabrera, M., … & Roman, J. (2013, January 2). The relationship between job stress and dyslipidemia. Scandinavian Journal of Public Health, 41, 142-149
    sjp.sagepub.com/content/41/2/142.abstract
  • University of Rochester Medical Center. Stress Can Increase Your Risk for Heart Disease. Recuperado el 16 de agosto de 2020. https://www.urmc.rochester.edu/encyclopedia/content.aspx?ContentTypeID=1&ContentID=2171
  • Clínica Mayo. Hipercolesterolemia familiar. (2018). Recuperado el 16 de agosto de 2020. https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/familial-hypercholesterolemia/symptoms-causes/syc-20353755
  • Heart UK. The Cholesterol Charity. Looking after your weight. Recuperado el 16 de agosto de 2020. https://www.heartuk.org.uk/low-cholesterol-foods/looking-after-your-weight
  • American Heart Association. Prevention and Treatment of High Cholesterol (Hyperlipidemia). (2017). Recuperado el 16 de agosto de 2020. heart.org/en/health-topics/cholesterol/prevention-and-treatment-of-high-cholesterol-hyperlipidemia#:~:text=A%20sedentary%20lifestyle%20lowers%20HDL,cholesterol%20and%20high%20blood%20pressure.