6 desvantagens do uso de absorventes internos

29 de outubro de 2019
O uso do absorvente interno na higiene feminina não precisa supor, a princípio, nenhum risco para a saúde da mulher. Um dos aspectos mais importantes é o controle do tempo e a substituição deste pequeno elemento.

O uso de absorventes internos tem vantagens e desvantagens. Estas últimas implicam um maior cuidado pela delicada zona na qual são usados. Por isso, toda mulher deve saber a que está sendo exposta com a utilização destes produtos, cujo uso aumentou nos últimos anos. A seguir, apresentamos algumas desvantagens.

A vagina é uma área vulnerável. A flora que a protege e que mantém na linha as bactérias, pode sofrer alterações; assim como o pH vaginal. As alergias a certos elementos químicos costumam aparecer com frequência. Por conseguinte, aparecem infecções com sintomas como ardência e coceira.

O absorvente interno é uma espécie de tubo pequeno que é colocado no canal vaginal para reter o fluxo menstrual. Além disso, é preparado com fibras sintéticas absorventes que impedem a saída do líquido.

Desvantagens do uso de absorventes internos que toda mulher deve saber

Mulher mostrando absorvente interno

A princípio, o maior risco dos absorventes internos vem pelo seu tempo de uso. Ou seja, exceder este tempo pode ocasionar a síndrome do choque tóxico, uma grave infecção produzida por estafilococos. Ainda, pode desencadear febre alta, náuseas, vômitos, mal-estar geral, diarreia, insuficiência renal e hepática, convulsões e erupções generalizadas.

Entre os inconvenientes de usar absorventes internos, estão os incômodos em sua colocação. Algumas mulheres os acham incômodos quando usados pela primeira vez; o ato de introduzi-lo no canal vaginal é um procedimento que elas acham desagradável.

1. O tempo adequado em cada caso

Manter o absorvente interno na vagina por mais de oito horas é um risco muito alto que não deve ser corrido. Além da síndrome do choque tóxico, pode ocasionar outras infecções. Além disso, pode manchar a roupa e causar incômodos. Por isso, as trocas devem ser, pelo menos, três vezes no dia.

2. Se há infecção, evite o uso de absorventes internos

As mulheres com tendência a sofrer infecções do trato urinário não devem utilizar estes absorventes, visto que aumentam os riscos de repetir os episódios de infecção. Aquelas que tenham recebido tratamento tópico na zona íntima tampouco devem usá-los.

O ideal nestes casos é esperar um período considerável. A vaginite é outra desagradável doença que pode surgir com o uso destes absorventes.

Leia este artigo: Com que frequência devo trocar o absorvente durante a menstruação?

3. Secura vaginal

Os absorventes internos têm como função absorver o fluxo menstrual. Com esse objetivo, são oferecidos no mercado apresentações com diferentes capacidades de absorção. Se errar na escolha, aumentam-se os riscos de secura da área vaginal.

Por isso, lembre que a vagina é uma zona que precisa da umidade para manter o equilíbrio bacteriano; e os absorventes buscam manter o espaço seco.

4. Substância nocivas

O absorvente interno é preparado à base de algodão e fibras sintéticas. A mucosa da vagina, que está permanentemente úmida, pode absorver resíduos dessas substâncias que ficam no interior do canal vaginal. Esta acumulação pode causar sérios danos.

No branqueamento do algodão que é usado na fabricação de alguns dos absorventes, são utilizadas substâncias químicas como as dioxinas. Em suma, estas substâncias têm sido associadas com o risco de câncer e outros problemas de saúde.

5. Cuidado com os perfumados

Os absorventes internos perfumados trazem riscos maiores. Em seu preparo são utilizadas substâncias químicas que podem afetar a área vaginal. Além disso, alguns dos primeiros sintomas podem ser coceira e ardência. Em qualquer caso, é preferível utilizar os preparados à base de produtos orgânicos.

6. Rompidos, nem é necessário falar

Um absorvente com a embalagem rompida não deve ser usado. É uma prova de manipulação prévia e existem riscos de contaminação com agentes infecciosos que podem alterar a flora vaginal.

Vantagens do uso de absorventes internos

Comparação entre absorventes

Como vantagens, os absorventes internos oferecem liberdade de utilizar qualquer roupa durante a menstruação. Além disso, é possível nadar ou fazer outros exercícios. Por não ter contato com o exterior, o cheiro do fluxo menstrual não será uma preocupação.

Também desaparece o contato dos absorventes externos com a pele da zona íntima. No entanto, na prática, o interno costuma causar coceira e outros incômodos.

Descubra: Combater o mau cheiro vaginal com 9 remédios naturais

Recomendações

O uso do absorvente interno deve ser feito sob uma estrita supervisão e com a precaução necessária para não afetar a vagina. Dependendo do dia da menstruação, é possível alternar o uso de absorventes internos e externos. Em suma, isso evitará a secura da zona vaginal, produto da absorção excessiva dos absorventes internos.

Além disso, é importante utilizar o tamanho específico para a quantidade de fluxo do momento. Um absorvente de máxima absorção no final da menstruação seguramente ocasionará danos, pois desidratará a vagina. Quando não há umidade surgem as inflamações e infecções.