6 hábitos que prejudicam a saúde vaginal

· 5 de março de 2018
Você sabia que a alimentação também é um fator determinante quando se trata de desfrutar de uma boa saúde íntima? O excesso de açúcar causa desequilíbrios na flora bacteriana que protege a vagina.

A maioria das mulheres se preocupa em ter uma boa saúde vaginal. Embora algumas prefiram não falar muito sobre o assunto, sabe-se que é essencial tomar cuidado com os hábitos que prejudicam a saúde vaginal para prevenir o desenvolvimento de doenças.

Esta área é protegida por uma flora bacteriana, que é responsável por criar uma barreira contra micro-organismos que causam infecções.

Além disso, sua saúde é determinada pela atividade do estrogênio, um grupo de hormônios que fornece sua lubrificação e elasticidade características.

Qualquer fator interno ou externo que provoque alterações pode desencadear sintomas desconfortáveis, que afetam a vida sexual, autoestima, e fertilidade.

Por esse motivo, para evitar qualquer tipo de complicação, é melhor saber quais são os hábitos que prejudicam a saúde vaginal para eliminá-los de sua vida. Descubra-os!

Hábitos que prejudicam a saúde vaginal

1. Uso de ducha vaginais

Ducha vaginal

Muitas mulheres têm acesso a vários métodos de duchas vaginais porque consideram uma prática saudável, ideal para eliminar os resíduos da menstruação e outros corrimentos que podem provocar um mau cheiro.

A verdade é que, embora acreditássemos que foram criadas para serem benéficas, elas não protegem contra infecções e podem causar efeitos contrários na área íntima.

Essas lavagens provocam um desequilíbrio na flora bacteriana que protege a vagina, e podem alterar a acidez do trato genital.

2. Depilação de pelos pubianos

A questão da depilação dos pelos pubianos continua controversa. Embora muitos a considerem um hábito inofensivo, sua prática contínua pode provocar alguns sintomas que prejudicam a saúde da área íntima.

O pelo protege a pele contra fricção, irritação, e alguns micro-organismos que podem causar infecções.

  • Ao eliminá-los, os folículos capilares tendem a inflamar-se, e podem apresentar obstruções que facilitam o aparecimento de pelos encravadas e lesões.

3. Uso de calcinhas fio dental

Usar calcinhas fio dental

As calcinhas fio dental estão entre as peças preferidas de muitas mulheres. Elas são sensuais e podem ser bastante cômodas ​​ao usar certas roupas.

O problema é que muitas são feitas com materiais que retêm a umidade, o que aumenta o desequilíbrio no pH natural da vagina.

  • Este tipo de roupa íntima facilita o transporte de bactérias da área retal para a vaginal, o que pode desencadear vários tipos de infecções vaginais e urinárias.
  • Quando elas são muito apertadas, podem provocar pequenas fissuras, irritando a pele delicada de suas partes externas.

4. Consumo de alimentos com cheiro forte

Existem muitos alimentos que podem alterar o pH dos fluidos vaginais, causando um cheiro forte que pode ser percebido com mais facilidade.

Embora alguns façam parte da dieta regular, é importante limitar seu consumo para evitar ter que lidar com esse sintoma irritante que produz insegurança.

  • Alho, aspargos e curry são alguns dos ingredientes que é melhor consumir com moderação para evitar alterações no odor vaginal.

5. Consumo de açúcar

Cubos de açúcar

O consumo excessivo de açúcar altera o equilíbrio do pH do corpo. Por sua vez, isso causa desequilíbrios na flora bacteriana que protege a vagina.

O acumulo desta substância no corpo altera as mucosas da área íntima e cria um ambiente propício à proliferação de bactérias e fungos.

  • Aumentar a glicemia aumenta o risco de infecções, como a candidíase vaginal.
  • Este ingrediente afeta a composição do corrimento e aumenta a coceira e o odor na área.

6. Consumo de medicamentos

O consumo prolongado de alguns medicamentos pode causar descontroles na atividade de bactérias saudáveis que protegem a área vaginal.

Este é o caso dos antibióticos, que são usados ​​para destruir bactérias patogênicas, mas também danificam as boas bactérias, conhecidas como lactobacilos.

  • Seu uso está ligado a um maior crescimento dos fungos, que causam a candidíase vaginal.
  • Outros medicamentos, como os anti-histamínicos, podem afetar a lubrificação natural da área íntima e causar o excesso de secura.

Como saber se eu tenho uma infecção vaginal?

Os sintomas das infecções vaginais podem variar dependendo do micro-organismo que as causa. No entanto, em geral, existem certas manifestações que nos permitem suspeitar de um problema:

  • Secreções vaginais amareladas, esverdeadas ou acinzentadas
  • Coceira ou irritação na parte externa da vagina
  • Odor forte ou mau cheiro
  • Corrimentos vaginais densos
  • Dor durante a relação sexual ou ao urinar

É importante identificar se a infecção se deve a qualquer dos fatores mencionados. Caso contrário, é melhor consultar o médico para determinar o que a está causando.

Agora que você já conhece os hábitos que prejudicam a saúde vaginal, fique atenta para evitá-los em seu dia a dia.