4 vantagens de seu filho brincar sozinho

· 4 de dezembro de 2018
Não se preocupe se seu pequeno gosta brincar sozinho, não há nada de errado com isso. Esse tempo passado consigo mesmo lhe permite que desenvolva sua criatividade, e descubra o que gosta e o que não gosta. Leia o artigo e aprenda a entender seu filho.

Brincar sozinho é uma das primeiras atividades que ocorrem naturalmente, para desenvolver as habilidades motoras e a estimulação cognitiva. Com isso, se adquirem grandes benefícios, como o aumento da independência. No entanto, este exercício pode ser realizado de diferentes maneiras, seja individualmente, em grupo, ou sob a intervenção de pais que possam participar de todas as ações que o filho está realizando.

Embora pareça estranho, como pai você deve deixar de lado seu apego e deixar que seus filhos, de vez em quando brinquem sozinhos, para que pouco a pouco desenvolvam novas habilidades mentais, que lhes permitam conhecer a si mesmos.

Quais são as vantagens de seu filho brincar sozinho?

A rotina de brincar sozinho, de que estamos falando, varia de acordo com as idades da criança, pois quando são bebês dedicam-se apenas a brincar com todas as coisas que as rodeiam, pois estão em processo de descoberta, o que lhes permite desenvolver principalmente as habilidades motoras.

Enquanto que, assim que passam dos três anos, entram numa fase um pouco mais complexa em que, não apenas a mente é muito mais ativa, mas também começam a interagir com outras crianças que ajudam a estimular sua criatividade, através de novas ideias e comportamentos que realizam quando estão sozinhos.

Quais são as vantagens de seu filho brincar sozinho ?

O vínculo emocional entre pais e filhos faz com que a criança tenha medo de brincar de maneira aberta sem um de seus pais, por isso é necessário motivá-los a passarem tempo conhecendo a si mesmos.

1. Incentivo à imaginação

Quando uma criança brinca sozinha mantém sua imaginação ativa. É a sua mente criando o mundo que ela quer, sem ter que compartilhar as ideias de outra criança. A imaginação realiza um trabalho incrível, pois a criança imagina personagens, verbaliza diálogos, e narra situações no momento em que movimenta com suas mãos alguns brinquedos. No melhor estilo de Andy, de Toy Story, seu filho poderá dar rédea solta à sua criatividade.

Você pode tentar pegar um brinquedo e brincar junto. Se conseguir libertar aquela criança que existe dentro de você, seu filho certamente lhe aceitará. Caso ele fique chateado e queira manter sua brincadeira sozinho, aceite e respeite seu espaço. Você pode fazer outra atividade divertida perto dele para que perceba o que perdeu por não querer compartilhar com você.

Recomendamos que você leia: O que fazer com uma criança preguiçosa? Descubra os melhores conselhos

2. Independência

O fato de seu filho ser capaz de brincar sozinho é uma coisa muito boa. Isso significa que ele não necessita de mais ninguém para passar um bom momento. Há crianças que tendem a ser muito dependentes dos outros. E até choram quando separados dos amigos. Ser capaz de brincar dá a entender que seu filho é capaz de realizar o que deseja.

Muitas vezes sentirá seu filho muito maduro, e que não precisa tanto de você. Mas não se assuste, isso é bom se acontecer por algumas horas por dia. Claro, se você chamar o seu filho outras vezes, e este lhe ignorar, então é hora de tomar cuidado e talvez perguntar a um profissional. Brincar sozinho não deve ser estendido por muitas horas por dia.

3. Força emocional

Uma criança independente é uma criança com força emocional. Ao brincar sozinha, ela é responsável por fazer sua brincadeira feliz, ou não. Ela é quem decide o que acontecerá com os brinquedos, e aprenderá a ser responsável por suas decisões. A seu filho não importam as opiniões dos outros. E mesmo que você não acredite, está tudo bem, porque isso lhe dá segurança e ele pode manter certo controle sobre suas emoções.

Vantagens de seu filho brincar sozinho: Força emocional

Seu filho pode ter visto você estressado por situações externas. Brincar sozinho fará com que seu filho se mantenha firme diante fatores externos que possam prejudicá-lo.

4. Desenvolvimento de objetivos pessoais

Brincar sozinho faz com que o seu filho se conheça ainda mais. Seu filho irá descobrindo do que gosta de fazer, e do que não gosta. Isso pode ajudá-lo a encontrar sua paixão antes de outras crianças, e até mesmo antes de outros adultos. Assim, em uma idade tão jovem seu filho pode definir metas pessoais, e começar a trabalhar por elas. Talvez brincar sozinho com a bola o faça querer ser um jogador de futebol profissional. Não se surpreenda quando ele pedir para você escrevê-lo em uma aula de futebol.

Como mãe você também deve observar quais são as atividades que seu filho costuma fazer sozinho. Por exemplo, se você perceber que pinta o tempo todo, poderá levá-lo a um curso de pintura. Você pode ajudar seu filho a se envolver profissionalmente com o que gosta de fazer.

Brincar sozinho não deve ser confundido com isolamento

Seu filho deve ter um bom relacionamento com outras crianças

O fato de brincar sozinho não significa que não tenha amigos. Ter boas relações com outras crianças é necessário. Pergunte ao professor se seu filho participa das atividades em equipe, e se trata bem os seus colegas.

Brincar sozinho não deve ser confundido com isolamento

Se houver outras crianças na sua rua, você pode organizar uma tarde de filmes infantis e convidá-los a todos. Claro, primeiro pergunte ao seu filho se ele quer fazer uma festa em casa. Se este não estiver muito convencido, diga-lhe que haverá coisas muito gostosas para comer.

Seu filho deve se comunicar

Brincar sozinho não significa ser uma criança pouco ou nada expressiva. Se seu filho fala apenas com você, então algo está acontecendo. Tente conversar com ele sobre tópicos que possam interessá-lo. Se responder com monossílabos você pode considerar em levá-lo a um psicólogo infantil, e este irá aconselhar você sobre o assunto.

Seja o exemplo em termos de comunicação. Expresse ao seu filho como você se sente quando passa um tempo com ele. Isso vai motivá-lo a também querer contar seus sentimentos e experiências.

Leia também: Crianças: como estimular o bom comportamento de maneira divertida?

Conclusão

Infância é liberdade. Brincar sozinho para uma criança é gratificante. Quando estamos sozinhos nos encontramos com nosso verdadeiro ser.

Por isso, em vez de se preocupar demais, pense em todas as vantagens que o seu filho tem, por passar alguns momentos consigo mesmo. Surpreenda-o e dê-lhe um quebra-cabeça de 1000 peças. Talvez até peça a sua ajuda!

Wajskop, G. (2013). O brincar na educação infantil. Cadernos de Pesquisa. http://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004