Você tem cálculos na vesícula?

· 4 de dezembro de 2013
Uma má alimentação e o excesso de colesterol podem desenvolver partículas sólidas que obstruem o fluxo da bile. Opte por verduras, carnes e peixes no vapor, ricos em vitaminas e ferro.

A vesícula é um órgão do sistema digestivo, localizado abaixo do fígado, e sua função é produzir bile, a substancia líquida que nos ajuda a digerir todas as gorduras. Aprenda neste artigo hábitos de vida saudáveis que evitam o cálculos na vesícula.

No entanto, uma má alimentação e o excesso de colesterol podem desenvolver partículas sólidas que obstruem o fluxo da bile. Estas partículas ou pedras são conhecidas como cálculos na vesícula.

Recomenda-se cuidar da saúde e da alimentação para prevenir essa doença. É por isso que a seguir compartilharemos algumas coisas que vocês devem saber.

Quem é afetado pelos cálculos na vesícula?

cálculos na vesícula

As pessoas mais propensas a desenvolver essa doença são:

  • As mulheres, pois na gravidez os altos níveis de estrógeno diminuem a mobilidade vesicular. Da mesma forma, mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais aumentam os níveis de colesterol.
  • As pessoas que sofrem de obesidade.
  • Os nativos americanos expostos ao alto consumo de gordura e açúcar.
  • As pessoas maiores de 60 anos.
  • As pessoas diabéticas.

Como detectar cálculos na vesícula?

cálculos na vesícula

Para saber se temos cálculos, devemos conhecer em primeiro lugar os sintomas para, então, realizar os exames correspondentes:

  • Abdômen pesado.
  • Inflamação.
  • Dor na parte direita do abdômen.
  • Pontadas na região da lombar.
  • Dores de cabeça, náuseas e febre.

Esses são os sintomas mais comuns que indicam que nossa vesícula precisa de atenção.

Assim que manifesta-los, é necessário consultar um médico que pode detectar os cálculos ao simplesmente apalpar seu abdômen ou então realizar uma ecografia abdominal.

A alimentação é a chave para se evitar cálculos na vesícula

cálculos na vesícula

O consumo de frutas e verduras – tais como o rabanete, o salsão  e a alcachofra -, vitamina C, cereais integrais e alimentos com pouca gordura são indicados para o bom funcionamento da vesícula e uma boa digestão.  

Sugere-se que se substitua as carnes vermelhas pelas brancas, cozidas ao vapor, na grelha ou assadas. O consumo de peixes é uma boa opção para a dieta, já que são ricos em proteínas e ferro.

Ainda assim, recomenda-se deixar de lado refrigerantes, doces, álcool e todo tipo de frituras em excesso.

As comidas muito bem temperadas também diminuem uma boa digestão e causam refluxo.

Remédios caseiros para cálculos na vesícula

cálculos na vesícula

Para ajudar a melhorar nossa digestão, existem remédios que podemos fazer nós mesmos e de fontes 100% naturais:

  • Suco de maçã.
  • Chá de camomila três vezes ao dia.
  • Água mineral.

Leia também: Chá de gengibre e camomila para tratar a síndrome do intestino irritável

Essas são as principais opções que devemos ter em conta. Esses líquidos nos ajudam a limpar a vesícula e sentir um alívio imediato, especialmente para aquelas pessoas que sofrem de cólica e dores desse tipo.

Por outro lado, muitas pessoas já confirmaram que dormir sobre o lado direito, ou seja, o lado onde se encontra a vesícula, ajuda a aliviar esta condição e agiliza a expulsão dos cálculos, também conhecidos como cristais.

Hábitos de vida saudáveis que evitam os cálculos na vesícula

cálculos na vesícula

O exercício e a atividade física serão sempre uma opção divertida e benéfica para todas as pessoas que querem prevenir doenças como os cálculos. Ao manter um peso ideal, se mantém um bom estado de saúde física e mental.

Leia também: 7 maneiras de aumentar a atividade física diária sem perceber

Para considerar…

Nossa boa saúde depende da forma como nos alimentamos. Cuidar da nossa vesícula e de todos os nossos órgãos é fundamental para estendermos nossa vida.

Não se deve esperar que o problema seja cada vez maior e que fiquemos progressivamente mais sem opções para nos recuperar.

Também não é justo que exponhamos nosso corpo a riscos como a cirurgia que, por mais que nos deem bons resultados, nunca deve ser a primeira saída. Não deixemos que o tempo passe!

  • Koerkamp, B. G., & Jarnagin, W. R. (2015). Gallbladder cancer. In Surgical Oncology a Practical and Comprehensive Approach. https://doi.org/10.1007/978-1-4939-1423-4_11