A vitamina C ajuda a combater as alergias?

É muito comum que, com a mudança de estação, surjam algumas alergias sazonais. Saiba como o consumo de vitamina C pode ajudá-lo a combater esses incômodos.
A vitamina C ajuda a combater as alergias?

Última atualização: 23 Março, 2021

A vitamina C ajuda a combater as alergias porque é um poderoso anti-histamínico e antialérgico natural. Ela faz com que os sintomas melhorem e, com o tempo, diminui as ocorrências de episódios futuros.

Cuidar das alergias é muito importante pois elas podem estar associadas a condições mais graves, como a sinusite ou a asma. Não são a sua origem, mas complicam o desenvolvimento desses distúrbios.

Deve-se destacar que as mais comuns são as alergias sazonais, que são provocadas por fatores externos como acúmulo de poeira, pelos de animais domésticos, umidade ou altas concentrações de pólen. Na sua maioria, são desencadeadas pelas mudanças das estações, que provocam alterações no ambiente.

O que é a vitamina C?

As vitaminas são de grande importância para o bom funcionamento do organismo. Em particular, a vitamina C ou ácido ascórbico é a chave para a saúde da pele, dos ossos e do tecido conjuntivo.

Também possui propriedades antioxidantes que promovem a regeneração dos tecidos e a cicatrização adequada. Além disso, é essencial na produção de colágeno, além de melhorar a absorção de minerais como o ferro.

Essas funções no metabolismo acontecem quando os níveis do nutriente são adequados. O estímulo no reparo de lesões é explicado por seu efeito nos fibroblastos. Essas são as células que produzem o colágeno, a principal proteína do corpo que dá sustentação à elasticidade da pele. Junto com a capacidade antioxidante, o ácido ascórbico foi associado a um efeito capaz de retardar o envelhecimento.

Por isso, seu consumo não só combate as alergias, mas também mantém o corpo todo saudável e forte. O efeito nutricional geral da substância tem implicações no sistema imunológico que afetam a ação dos glóbulos brancos do sangue, envolvidos nos mecanismos de reatividade contra os alérgenos.

Mulher com rinite
A rinite é uma doença alérgica sazonal associada a estações como a primavera.

Qual é o papel da vitamina C no tratamento das alergias?

A vitamina C tem sido estudada para determinar a sua incidência nas alergias, demonstrando fortalecer o sistema imunológico das pessoas durante episódios alérgicos de rinite. Em outras palavras, é um adjuvante nos tratamentos aplicados para esse transtorno.

O ácido ascórbico é caracterizado por produzir uma grande quantidade de citocinas, uma proteína que ajuda as células a controlar as reações inflamatórias. Ao mesmo tempo, estimula as células T a combater infecções que podem estar associadas às alergias.

Descobrimos que a vitamina C tem efeitos como a diminuição da secreção nasal, vermelhidão dos olhos e espirros. Estes são os sintomas mais comuns e incômodos, sejam eles desencadeados por processos alérgicos sazonais ou de base.

Doses adequadas de vitamina C

A vitamina C ajuda a combater as alergias desde que seja consumida regularmente e nas doses de que o corpo necessita. Mas não se preocupe: você pode estar consumindo o suficiente sem saber.

O ácido ascórbico está presente em muitos dos alimentos que comemos regularmente. Em particular, em vegetais como a salsa e o brócolis e em frutas como a groselha, o morango, a laranja, o limão, a goiaba e o kiwi.

Lembre-se de que cozinhar ou armazenar um alimento por muito tempo pode fazer com que ele perca sua concentração de vitamina C. Por isso, o ideal é consumir as frutas cruas. No caso dos vegetais, cozinhá-los no vapor pode ser benéfico.

A dose recomendada dessa vitamina depende da fase da vida em que a pessoa se encontra. Assim, um homem adulto deve consumir um total de 90 miligramas de vitamina C por dia , enquanto uma mulher adulta deve consumir 75 miligramas por dia.

Já as grávidas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), devem ingerir no máximo 60 miligramas por dia, embora essa dose possa aumentar durante a amamentação.

Suplementos de vitamina C

Atualmente é comum encontrar diversos suplementos dietéticos que contenham vitamina C. Estes podem ser consumidos mediante autorização do médico de confiança.

O uso desses suplementos é recomendado principalmente para aquelas pessoas que têm dificuldade de obter a vitamina naturalmente. Porém, recomenda-se não exceder o seu consumo para evitar efeitos adversos como os gastrointestinais, ou seja, queimação no estômago, diarreia, náuseas e vômitos.

Alimentos ricos em vitamina C
As frutas cítricas são ótimas fontes de vitamina C, embora também existam suplementos farmacológicos.

A vitamina C ajuda a combater as alergias

A vitamina C realmente ajuda a combater as alergias, por isso certifique-se de manter uma dieta balanceada que inclua as frutas e vegetais mencionados. O sucesso dessa abordagem natural está em mantê-la sempre, e não apenas diante de um episódio alérgico.

Desta forma, vai conseguir reduzir os efeitos alérgicos no inverno e na primavera. Os sintomas que afetam a sua qualidade de vida também serão reduzidos. Se você é asmático, tem mais uma razão para fazer isso.

Pode interessar a você...
Tratamentos natural para as alergias
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Tratamentos natural para as alergias

A alergia se caracteriza por um conjunto de sintomas que variam de uma pessoa para outra. Hoje falaremos sobre o tratamento natural para as alergia...



  • Vollbracht, C., Raithel, M., Krick, B., Kraft, K. y Hagel, AF (2018). Vitamina C intravenosa en el tratamiento de alergias: un análisis de subgrupos intermedios de un estudio observacional a largo plazo. Revista de investigación médica internacional , 46 (9), 3640–3655. https://doi.org/10.1177/0300060518777044
  • Carr, A. C., & Maggini, S. (2017). Vitamin C and Immune Function. Nutrients, 9(11), 1211. https://doi.org/10.3390/nu9111211
  • Chambial, S., Dwivedi, S., Shukla, K. K., John, P. J., & Sharma, P. (2013). Vitamin C in disease prevention and cure: an overview. Indian journal of clinical biochemistry : IJCB28(4), 314–328. https://doi.org/10.1007/s12291-013-0375-3
  • “Datos sobre la vitamina C”. National Institutes of Health Office of Dietary Supplements (2019).
  • García-Casal, M., Landaeta, M., de Baptista G., Murillo, C., Rincón, M., Bou Rached, L., Bilbao, A., Anderon, H., García, D., Franquiz, J., Puche, R., García, O., Quintero, Y., Peña-Rosas, J. “Valores de referencia de hierro, yodo, zinc, selenio, cobre, molibdeno, vitamina C, vitamina E, vitamina K, carotenoides y polifenoles para la población venezolana”.  ARCHIVOS LATINOAMERICANOS DE NUTRICIÓN, Órgano Oficial de la Sociedad Latinoamericana de Nutrición (2013).
  • Terán, L., Haselbarth-López, M., Quiroz-García, D. “Alergia, pólenes y medio ambiente”. Gac Méd Méx (2009). Diponible en: https://www.medigraphic.com/pdfs/gaceta/gm-2009/gm093f.pdf
  • Bastías M, José Miguel, & Cepero B, Yamira. (2016). La vitamina C como un eficaz micronutriente en la fortificación de alimentos. Revista chilena de nutrición43(1), 81-86. https://dx.doi.org/10.4067/S0717-75182016000100012
  • Casseb, Gabriel Ramon Matavelli, et al. “o Papel da Vitamina C nos Processos Cicatriciais.” International Journal of Nutrology 11.S 01 (2018): Trab576.
  • Miura, Kaori, et al. “Anti-allergic activity of monoacylated ascorbic acid 2-glucosides.” Molecules 22.12 (2017): 2202.
  • Mauro-Martín, San, and Elena Garicano-Vilar. “Papel de la vitamina C y los β-glucanos sobre el sistema inmunitario: revisión.” Revista Española de Nutrición Humana y Dietética 19.4 (2015): 238-245.
  • Couto, Meylene Aparecida Luzia, and Solange Guidolin Canniatti-Brazaca. “Quantificação de vitamina C e capacidade antioxidante de variedades cítricas.” Food Science and Technology 30 (2010): 15-19.