Verapamil: usos e efeitos colaterais

31 de outubro de 2019
Embora o cloridrato de verapamil seja um medicamento utilizado para problemas cardiovasculares, ele também tem outras aplicações, como o tratamento de manias e a profilaxia das enxaquecas.

O cloridrato de verapamil é um medicamento que pode ser administrado por via oral e intravenosa, de acordo com as necessidades do paciente, para tratar, principalmente, angina, hipertensão e arritmias.

Pertence à família dos antiarrítmicos da classe IV, sendo mais eficaz que a digoxina no controle da fibrilação atrial. A digoxina é um cardiotônico, ou seja, um agente com efeito fortificante no coração, aumentando seu rendimento.

As diferentes apresentações existentes no mercado são projetadas para uma ou outra indicação, desde o tratamento da angina com comprimidos de liberação sustentada até gotas oftálmicas para o tratamento da hipertensão ocular e / ou glaucoma.

O que são arritmias?

O uso do verapamil no controle das doenças cardíacas

Uma arritmia é uma anomalia no ritmo dos batimentos cardíacos. Esse ritmo pode ser lento ou acelerado. No primeiro caso, as arritmias são chamadas bradicardia e no segundo taquicardia.

Quando isso ocorre, a formação de impulsos cardíacos pode ser afetada. Sendo assim, é possível gerar alterações na condução, conhecidas como reentrada. Aliás, essas arritmias são as mais comuns na população em geral.

Por outro lado, é importante mencionar que as arritmias geralmente são inofensivas. No entanto, algumas podem colocar em risco a vida do paciente, por isso é muito importante mantê-las sob controle.

Existem 4 tipos principais de arritmias:

  • Extra-sístoles.
  • Arritmias supraventriculares.
  • Arritmias ventriculares.
  • Bradicardias.

E angina de peito?

Esta doença é, juntamente com o infarto do miocárdio, um tipo de cardiopatia isquêmica, ou seja, uma doença causada pela deterioração e obstrução das artérias do coração.

Essa situação é conhecida como arteriosclerose e é causada pelo acúmulo de placas de colesterol, lipídios e células inflamatórias nas paredes dessas artérias. Como consequência, o coração não recebe sangue suficiente para o bom funcionamento do organismo.

Isso também pode te interessar: Tratamento da arteriosclerose com remédios naturais

A angina de peito aparece progressivamente, como resultado da deterioração das artérias do coração ao longo do tempo. Pode ser classificada em:

  • Angina de peito estável: a dor aparece quando você se exercita e pode se espalhar para outras áreas do corpo.
  • Angina de peito instável: a dor aparece em repouso e é mais duradoura do que no caso de angina de peito estável.

Como o verapamil exerce seu efeito no organismo?

Paciente com problemas cardíacos

Este medicamento deve sua eficácia contra as doenças explicadas por sua capacidade de bloquear canais de cálcio dependentes de voltagem. Atua na entrada de cálcio extracelular através das membranas das células musculares do coração. Os níveis de cálcio no plasma não são alterados.

Para que isso ocorra, o verapamil se fixa nos canais lentos de cálcio, modificando sua estrutura. Dessa forma, impedem a entrada do cálcio do plasma nas células do miocárdio.

Além disso, este medicamento também interfere na liberação de cálcio intracelular que é armazenado no retículo sarcoplasmático, uma estrutura celular. Com a redução dos níveis de cálcio no interior da célula, o músculo cardíaco é dilatado, afetando o mecanismo contrátil. O mesmo vale para o músculo liso dos vasos sanguíneos.

Dessa forma, as resistências periféricas e, portanto, a pós-carga são reduzidas. Esses mecanismos explicam os efeitos benéficos do verapamil na angina e na hipertensão.

Leia também: Hipertensão: saiba como mudar os hábitos

Reações adversas do verapamil

Sintomas de angina de peito

As reações adversas mais graves que podem ser desencadeadas no tratamento com verapamil incluem:

  • Bradicardia sinusal.
  • Taquicardia sinusal reflexa.
  • Bloqueio atrioventricular de grau diferente (pode ser necessário um tratamento com outro medicamento).
  • Hipotensão.

É importante ter em mente que esses efeitos adversos são mais frequentes quando o verapamil é administrado por via intravenosa e não por via oral.

Além desses efeitos graves, devido à sua ação vasodilatadora, um paciente também pode apresentar sintomas indesejados como:

  • Tonturas.
  • Ondas de calor.
  • Fadiga.
  • Dor de cabeça.
  • Vômito.
  • Dor abdominal.

E, finalmente, embora seja muito raro, alguns pacientes desenvolveram reações de hipersensibilidade.

Conclusão

O verapamil é um medicamento utilizado, sobretudo, para o tratamento da angina de peito, hipertensão e diferentes arritmias. Possui efeitos colaterais bastante perigosos, portanto, devem ser tomados cuidados especiais durante o tratamento. E, como com qualquer medicação, sempre é imprescindível seguir as recomendações do médico e realizar consultas por qualquer mal-estar ou dúvidas.

  • Dr. J. Manuel Guía Torrent, D. F. E. C. (2006). Tratamiento Médico De Las Taquicardias Supraventriculares. Protocolos Diagnósticos y Terapéuticos En Cardiología Pediátrica. https://doi.org/10.1157/13097525
  • Machado-Alba, J. E., Giraldo-Giraldo, C., & Machado-Duque, M. E. (2015). Calidad de la prescripción de verapamilo de liberación convencional en pacientes con hipertensión arterial. Revista de Calidad Asistencial. https://doi.org/10.1016/j.cali.2015.01.009
  • Morales, M. G., Guerrero, S. G., García, G. R., Villalobos, S. J., Camarena, A. G., Aguirre, S. J., & Martínez, S. J. (2005). Intoxicación grave con verapamilo. Archivos de Cardiologia de Mexico.