Vasculites: o que são e quais os tipos?

19 de agosto de 2019
As vasculites são doenças que afetam pessoas de todas as idades e de ambos os sexos. A ciência desconhece os motivos pelos quais a maioria delas se origina.

Em primeiro lugar, as vasculites são um grupo de doenças provocadas pela inflamação dos vasos sanguíneos. Além disso, são doenças pouco frequentes, embora algumas de suas variantes tenham uma incidência relativamente moderada.

Infelizmente, a origem das vasculites ainda é incerta para a ciência, exceto no caso da vasculite leucocitoclástica por hipersensibilidade. No entanto, há suspeitas de que nos demais casos possa se tratar de uma doença autoimune e/ou que envolve fatores genéticos.

Sem dúvida alguma, esse tipo de doença pode aparecer em pessoas de todas as idades, desde crianças até pacientes com idade avançada. No entanto, alguns tipos de vasculite afetam determinadas faixas etárias com especial intensidade.

Por outro lado, algo similar ocorre em relação à frequência com que as vasculites se associam ao sexo. Assim, alguns tipos são mais frequentes entre os homens, outras entre as mulheres e outras ainda em ambos os sexos por igual.

O que são as vasculites?

A alteração dos vasos sanguíneos pode comprometer o fluxo sanguíneo do paciente.

São um grupo de doenças que se caracterizam pela inflamação de vasos sanguíneos. Estes incluem capilares, artérias, arteríolas, veias e vênulas. Tal anomalia pode dar origem a uma perda de fluxo sanguíneo nas extremidades ou nos órgãos, incluindo órgãos vitais.

Em suma, como existem diferentes tipos de vasculites, as manifestações e a gravidade da doença são muito variadas. O principal risco que trazem é comprometer o funcionamento de órgãos e extremidades, o que pode levar ao desenvolvimento de isquemias e necroses.

Por outro lado, os sintomas são muito variados, embora em geral incluam manifestações como astenia, febre e mal-estar geral. Também ocorrem afecções localizadas, dependendo do órgão que esteja comprometido pela doença.

Leia mais: Nutrientes que podem ajudar combater a depressão

Classificação geral das vasculites

A classificação geral das vasculites é feita com base nos mecanismos que a produzem. A partir desse ponto de vista, encontramos quatro grandes subgrupos, que são:

  • Tipo I. Vasculite alérgica ou anafilática. Caracteriza-se por ser uma reação extrema a um fármaco, a uma substância estranha ou a uma infecção.
  • Tipo II. Citotóxica ou citolítica. Têm origem na ação dos ANCA (anticorpos anticitoplasma de neutrófilos) ou dos AECA (anticorpos anti-células endoteliais).
  • Tipo III. Mediada por imunocomplexos. É o grupo mais amplo de vasculite. Como o nome já indica, tem origem na ação dos complexos imunes.
  • Tipo IV. Citotóxica. Neste caso, o problema se origina na ação dos linfócitos T.

Tipos de vasculites

Dependendo do tipo de vaso afetado, teremos várias categorias de vasculite.

Embora não exista uma classificação ideal das vasculites, a mais aceita é a resultante da conferência de consenso internacional, em Chapel Hill, nos Estados Unidos.  Ela foi revisada em 2012 e, atualmente, é a classificação utilizada no mundo todo.

Segundo essa classificação, os tipos de vasculites são:

  • Vasculites de grande dimensão. São aquelas que afetam artérias de grandes dimensões, em particular a aorta e suas ramificações. Geralmente, compreendem a arterite de células gigantes e a arterite de Takayasu.
  • De vasos médios. Afetam artérias medianas, como as viscerais e suas ramificações. Certamente, facilitam o desenvolvimento de aneurismas e estenoses. Compreende a poliarterite nodosa (PAN) e a doença de Kawasaki.
  • De vasos pequenos. Afeta artérias, arteríolas, capilares e vênulas intraparenquimatosas.
  • Vasculite de vaso variável. Não predomina um mesmo calibre, afetando vasos de todos os tamanhos. Compreende a doença de Behçet e a síndrome de Cogan.
  • Vasculite de um único órgão (SOV). Sem dúvida alguma, afetam artérias ou veias de qualquer tamanho, mas apenas um órgão específico.

Leia mais: Conheça a síndrome de Behçet

Outros dados interessantes

Certamente, há alguns tipos de vasculites que são mais frequentes em função da idade. Por exemplo, a doença de Kawasaki aparece com maior frequência em crianças e adolescentes. Por sua vez, a doença de Behçet e a arterite de Takayasu são mais incidentes entre jovens que têm de 20 a 30 anos.

Além disso, a poliarterite nodosa (PAN), a poliarterite microscópica (PAM), a vasculite granulomatosa e alérgica de Churg-Strauss, a vasculite primária do sistema nervoso central, a doença de Buerger e a doença de Wegener são significativamente mais frequentes entre adultos na faixa etária que compreende dos 40 aos 60 anos.

Por fim, a arterite de células gigantes apresenta especial prevalência entre adultos com mais de 50 anos. Sua presença máxima ocorre em idosos com mais de 80 anos.

  • Gamarra, A. I., Salazar, M., Egea, E., Vásquez, G., & Valle, R. (1993). Análisis Histórico de las vasculitis, su clasificación y propuesta para su entendimiento. Biomedica&58; revista del Instituto Nacional de Salud, 13(1), 32-56.