6 vantagens de ser mãe aos 35 anos

Embora seja verdade que a gravidez nessa faixa etária geralmente acarreta um risco maior, essas mulheres também têm uma série de vantagens que as mães jovens não têm.
6 vantagens de ser mãe aos 35 anos

Última atualização: 24 Novembro, 2020

Ser mãe aos 35 anos não é fácil. Com o tempo, a sociedade construiu estigmas em torno de mães mais velhas, alegando que elas “têm menos energia", são “mães-avós" ou “mães cansadas". Até alguns anos atrás, era considerado arriscado ser mãe depois dos 30 anos.

O motivo se devia às associações negativas entre a idade e a saúde da criança no momento do nascimento. Contudo, hoje em dia não se pensa mais assim. Por isso, hoje queremos contar a vocês algumas das principais vantagens de ser mãe aos 35 anos. Você quer saber quais são?

Ser mãe aos 35 anos: uma tendência crescente

A maternidade tardia é um fenômeno demográfico que tem aumentado nos países industrializadosEssa tendência responde a fatores como o aumento da eficácia na contracepção, a equidade de gênero e o aumento da educação para as mulheres.

Ser mãe aos 35 anos está relacionado a diversos aspectos econômicos. Por exemplo, uma maior inclusão no mercado de trabalho para as mulheres, segurança financeira, entre outras razões.

De acordo com os números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) no ano de 2016, a maternidade na Espanha, por exemplo, foi adiada um pouco mais do que no ano anterior e atingiu a idade de 32,5 anos como média para conceber um filho.

Não viemos de estrelas ou flores, mas do leite materno. Nós sobrevivemos por causa da compaixão humana e por causa do cuidado de nossas mães. Essa é a nossa natureza principal.

Dalai Lama

O que dizem as pesquisas recentes?

Alguns estudos definiram que a idade mais segura para ter filhos continua sendo entre 20 até os 35 anos.

No entanto, em 2017, a Revista Internacional de Epidemiologia (International Journal of Epidemiology) publicou os resultados de uma pesquisa realizada com mulheres com mais de 35 anos e seus filhos.

Os resultados foram surpreendentes. Verificou-se que as crianças cujas mães tinham entre 35 e 39 anos obtiveram pontuações significativas nos testes de capacidade cognitiva verbal. De fato, elas obtiveram notas melhores do que os filhos de mães mais jovens.

Mãe se divertindo com seu filho

Mas… por que os resultados eram diferentes em décadas anteriores? As diferenças dependiam de alguns fatores, como:

  • As crianças avaliadas foram as últimas a serem concebidas. Essa condição implicava que as crianças recebessem menos atenção e cuidado.
  • Condição financeira. As famílias com um maior número de crianças costumavam ter menos renda e oportunidades. Por esse motivo, não tinham acesso a bons serviços de nutrição e saúde. Como resultado, as deficiências afetavam negativamente o seu desenvolvimento.

Portanto, se você estiver se aproximando dos 35 e estiver pensando em ser mãe, recomendamos a leitura deste artigo para ter mais confiança e informações a fim de tomar uma boa decisão.

Quais são as vantagens de ser mãe aos 35 anos?

1. Enfrentar a maternidade com mais maturidade

Esse ponto não significa que as mães mais jovens não possam desempenhar seu papel com prudência. No entanto, aos 35 anos as mulheres estão muito mais conscientes dos riscos de uma gravidez. Elas tentam cuidar melhor de si e, acima de tudo, contemplar e planejar possíveis mudanças em suas vidas.

Além disso, provavelmente têm mais experiência, uma bagagem de aprendizados, experiência e cultura, que poderá transmitir ao seu filho em maior grau.

2. Maior estabilidade financeira

Geralmente, aos 35 anos, há um maior suporte acadêmico e profissional, o que gera uma estabilidade financeira mais consolidada. Como resultado, os pais podem dedicar mais tempo e atenção aos filhos.

Mãe com sua filha bebê em casa

3. Contar com mais experiência

A respeito do tema da maternidade, a experiência nunca é suficiente. Qualidades como compreensão, empatia, paciência, entre outras, nos permitem lidar positivamente com os desafios da maternidade.

Além disso, a jornada que foi feita ao longo da vida, com experiências de diferentes tipos, ajuda a ser um bom exemplo para as crianças.

4. Ter mais estabilidade emocional

Com os anos, adquirimos um maior conhecimento de nós mesmos, trabalho que é mais difícil durante a flor da juventude. Aprendemos a tomar decisões, aceitar nossos erros, ser resilientes e desenvolver relacionamentos mais estáveis.

Essas bases enriquecem a educação e o relacionamento com as crianças. De fato, elas proporcionam uma maior estabilidade emocional. Esse ambiente propiciará a criação de um ambiente psicológico mais saudável, maior segurança e um bom exemplo para as crianças.

Mãe com seu filho no colo

5. Aumentar a expectativa de vida

Diferentes pesquisas constataram que as mulheres que dão à luz depois dos 33 anos de idade têm uma probabilidade duas vezes maior de viver mais tempo do que aquelas que tiveram seu último filho aos 29 anos. Ou seja, haverá uma maior possibilidade de curtir as crianças, embora a maioria das pessoas diga o contrário.

6. Levar um estilo de vida mais saudável

É muito provável que pessoas com mais de 30 anos compreendam melhor as necessidades do próprio corpo. Em outras palavras, é mais certo que elas prestarão mais atenção à própria saúde. Isso inclui uma alimentação saudável e a prática de exercícios.

Você não precisará mudar muito seus hábitos assim que decidir ter um bebê, pois já terá um estilo de vida equilibrado e saudável.

Mãe brincando com seu filho

Por que ser mãe aos 35 anos?

Em resumo, a qualidade de vida da mãe e o número de filhos que ela possui influenciam diretamente o desenvolvimento das crianças.

O que você acha? Definitivamente, ser mãe aos 35 anos tem muitas vantagens. No entanto, não devemos esquecer que a gravidez em idades avançadas também traz alguns riscos. Por essa razão, sugerimos que você discuta esse assunto com um especialista para que possa se informar da melhor maneira possível.

Pode interessar a você...
Ser mãe é ter o coração fora do corpo
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Ser mãe é ter o coração fora do corpo

É muito comum dizer que ser mãe é ter o coração fora do corpo. É verdade, no entanto, também é muito importante observar o papel dos pais.



  • Bewley, S., Davies, M., & Braude, P. (2005). Which career first? BMJ, 331(7517), 588–589. Available at: https://doi.org/10.1136/bmj.331.7517.588. Accessed 27/04/2020.
  • Instituto Nacional de Estadística (2017). Movimiento Natural de la Población (Nacimientos, Defunciones y Matrimonios). Indicadores Demográficos Básicos. Año 2016. Datos provisionales. Available at: http://www.ine.es/prensa/mnp_2016_p.pdf. Accessed 27/04/2020.
  • Goisis, A., Schneider, D. C., & Myrskylä, M. (2017). The reversing association between advanced maternal age and child cognitive ability: evidence from three UK birth cohorts. International Journal of Epidemiology, 46(3), 850–859. Available at: https://doi.org/10.1093/ije/dyw354. Accessed 27/04/2020.
  • Mills, M., Rindfuss, R. R., McDonald, P., & te Velde, E. (2011). Why do people postpone parenthood? Reasons and social policy incentives. Human Reproduction Update, 17(6), 848–860. Available at: https://doi.org/10.1093/humupd/dmr026. Accessed 27/04/2020.
  • Sun, F., Sebastiani, P., Schupf, N., Bae, H., Andersen, S. L., McIntosh, A., Abel, H., Elo, I. T., & Perls, T. T. (2015). Extended maternal age at birth of last child and women’s longevity in the Long Life Family Study. Menopause, 22(1), 26–31. Available at: https://doi.org/10.1097/gme.0000000000000276. Accessed 27/04/2020.
  • Williams, L. M., Brown, K. J., Palmer, D., Liddell, B. J., Kemp, A. H., Olivieri, G., … Gordon, E. (2006). The Mellow Years?: Neural Basis of Improving Emotional Stability over Age. Journal of Neuroscience, 26(24), 6422–6430. Available at: https://doi.org/10.1523/jneurosci.0022-06.2006. Accessed 27/04/2020.