Vantagens e desvantagens da gravidez precoce

A gravidez precoce ou a gravidez na adolescência é considerada um problema de saúde pública devido ao seu aumento vertiginoso. Neste artigo, compartilharemos suas vantagens e desvantagens, assim como estatísticas que possam ser de seu interesse.

Algumas adolescentes se sentem preparadas para ser mães, planejam e desejam uma gravidez precoce. No entanto, na maioria dos casos, este tipo de gravidez é um produto das circunstâncias, o que torna a situação um evento inesperado.

A maternidade é um dos eventos mais importantes na vida de uma mulher. No entanto, esse processo envolve múltiplos cuidados, responsabilidades e obrigações. Por essa razão, muitas mulheres planejam cuidadosamente o melhor estágio para a chegada de uma criança em sua vida. O motivo: estar apta a proporcionar o melhor cuidado de que a criança precisa. No entanto, nem sempre é que isso acontece.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 16 milhões de meninas com idades entre 15 e 19 anos e aproximadamente 1 milhão de meninas com menos de 15 anos de idade dão à luz a cada ano“. De fato, em alguns países, casamentos em idades muito jovens fazem parte da cultura e não são mal vistos.

O que é a gravidez precoce?

gravidez precoce ou gravidez na adolescência é aquela que ocorre em meninas com menos de 19 anos. Devido ao aumento crescente dessa condição, a gravidez na adolescência é considerada um problema de saúde pública.

Existem inúmeros fatores e causas que favorecem essa condição, por exemplo:

  • Falta de educação e consciência sexual.
  • Pressão do parceiro ou do grupo social.
  • Álcool e drogas.
  • Casamento de crianças.
  • Pobreza.

Desvantagens e consequências para a saúde

De acordo com um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), os índices de complicações e mortalidade em mulheres grávidas são muito maiores em mães jovens. Na verdade, também aumenta o risco de bebês prematuros. Por que isso acontece?

Riscos para a saúde

Uma gravidez precoce tem implicações sociais e psicológicas, mas, em termos de riscos, o fator físico é o mais crítico. Isso porque o corpo das mães adolescentes ainda não se desenvolveu completamente. Na verdade, está em processo de formação. Por esse motivo, a gravidez em idade precoce acarreta um maior risco.

Por exemplo, estima-se que 40% das adolescentes grávidas tenham baixo peso durante o período de gestação, o que pode levar os bebês a apresentarem o mesmo problema. Além disso, gestações precoces estão associadas a maiores chances de prematuridade e outras complicações para o bebê.

Abandono da escola e implicações financeiras

Consulta de pré-natal

A gravidez precoce afeta as taxas de abandono escolar. Um estudo publicado na revista Gaceta Sanitaria sobre gravidez na adolescência indica que das 12 jovens entrevistadas, apenas 2 delas permaneceram na escola até o momento da pesquisa.

Por outro lado, devido à má formação acadêmica, elas ficam menos propensas a encontrar um emprego. Portanto, haverá repercussões negativas, tanto econômicas quanto sociais, para ela e seu bebê.

Uma grande responsabilidade em um estágio ainda de crescimento

Tanto o pai adolescente quanto a mãe começam desde cedo o desempenho das responsabilidades adultas. Estas incluem a criação de filhos e obrigações financeiras. Portanto, ambos serão forçados a desistir da vida que teriam de acordo com sua idade.

Muitas vezes eles vão agir de forma imatura e cometer muitos erros em relação à educação de seus filhos. Na verdade, às vezes os pais adolescentes ficam sobrecarregados com esse trabalho e precisam do apoio de seus pais.

A gravidez precoce tem vantagens?

A gravidez precoce traz riscos. No entanto, uma vez terminado o período crítico, as alegrias que os bebês trazem aos pais contrariam as experiências negativas que a maternidade precoce pode implicar.

Maior empatia e confiança

Visto que a personalidade de uma mãe adolescente ainda não está totalmente formada, ela pode ser mais flexível e compreensiva com seu filho. Além disso, a distância entre a sua geração e a do seu filho é muito pequena.

Portanto, eles terão mais gostos e ideias em comum. Além disso, o relacionamento deles será mais próximo e eles poderão discutir questões delicadas com mais confiança.

Mais energia

Mulher descobrindo gravidez

Definitivamente, uma menina de 19 anos ou mais nova tem mais energia do que uma mulher de 35 anos. Embora a resistência e a energia não sejam tudo no assunto da maternidade, elas fazem diferença. Em idades mais jovens, as crianças exigem muito tempo e energia.

Conseguir realizar atividades físicas com elas, sem envolver um grande desgaste, é uma condição que os pais jovens podem aproveitar e desfrutar.

Leia também: Ajude os seus filhos a controlar as emoções desde pequenos

Maior fertilidade

Quanto mais velha você é, mais difícil é engravidar. De fato, é o fator mais categórico ligado à fertilidade. O nível mais alto de fertilidade nas mulheres é geralmente entre os 23 e 31 anos. A partir dos 31 anos, o grau de fertilidade começa a diminuir.

Portanto, há mulheres que escolhem se salvar da pressão do relógio biológico e escolhem ser mães ainda jovens. Mas, como já mencionado, a gravidez precoce tem um risco maior de conceber crianças com defeitos congênitos ou outros distúrbios.

Adeus à síndrome do ninho vazio

A síndrome do ninho vazio é o conjunto de sintomas físicos e emocionais que os pais experimentam quando seus filhos se tornam independentes. Embora todos os pais possam desenvolver essa condição, aqueles que não dependem de seus filhos para serem felizes têm menos probabilidade de sofrer.

Em suma, pais jovens terão mais energia e um melhor estado físico e mental para alcançar novos objetivos.

Você também pode gostar de: A síndrome do ninho vazio: quando a solidão invade o lar

Conclusões

Como você pode ver, a gravidez precoce também tem vantagens. No entanto, esperar mais alguns anos é a melhor decisão. No caso da mãe, serão evitados riscos e situações que ela enfrentará melhor quando atingir a maturidade física e psicológica.

Recomendados para você