Como evitar a retenção de líquidos na gravidez?

· 26 de junho de 2018
Com relação à retenção de líquidos durante a gravidez, podemos aplicar várias estratégias, como iniciar uma dieta à base de frutas e hortaliças, nos exercitando e adotando posições adequadas. Saiba mais aqui.

A retenção de líquidos na gravidez e as pernas inchadas fazem parte do processo de conceber uma nova vida. Os sintomas começam a partir do terceiro mês de gravidez, mas pioram durante o terceiro trimestre. Podemos dizer que é um “efeito colateral” incômodo da gravidez.

A retenção de líquidos é a principal causa de pernas inchadas durante a gravidez, mas não é a única. A pressão na área pélvica exercida pelo bebê em crescimento recai sobre as veias que levam o sangue para as pernas. Além disso, diminui a circulação, fazendo com que as pernas inchem.

As alterações hormonais também causam retenção de líquidos na gravidez, pois os fluidos se acumulam nos espaços entre as células dos tecidos moles. É possível aliviar esse inchaço ou edema com recursos que temos em casa. No entanto, é sempre importante que o seu médico avalie as características do edema.

Leia também: Conselhos para uma gravidez saudável

Soluções para a retenção de líquidos na gravidez

Mantenha-se bem hidratada

Mulher bebendo água

A água é o melhor diurético natural que uma mulher grávida pode tomar. Ao beber mais água, você está dizendo ao seu corpo que deve eliminar o excesso de líquido presente nos tecidos. O consumo de água deve substituir a ingestão de refrigerantes, bebidas açucaradas e café.

Controle a ingestão de sal

O sal é um mineral necessário, porque ajuda a gestante a aumentar sua transpiração. Mas seu consumo deve ser controlado, principalmente no terceiro trimestre. Portanto, evite alimentos altamente processados, pois eles têm muito sal adicionado.

Movimente-se

A menos que você tenha uma indicação expressa de repouso, é importante que você mantenha rotinas de exercícios simples durante a gravidez. Caminhe diariamente por ao menos meia hora. Evite ficar muito tempo em pé ou sentada. O movimento faz o sangue circular e o edema deve diminuir.

Deite-se com as pernas para cima

Mulher grávida sentada em janela

Deite-se e levante as pernas. Em 20 minutos, o inchaço deve diminuir. Além disso, quando você for dormir, é preciso deitar no seu lado esquerdo. Desta forma, você não vai pressionar a veia cava que leva a circulação para as pernas. Use também um travesseiro entre as pernas.

Observe suas roupas

Calças ou sapatos apertados não são favoráveis ​​quando você está sofrendo com a retenção de líquidos. Verifique com seu médico se você pode usar meias de compressão. Em alguns casos, elas aliviam significativamente o edema, favorecendo a drenagem de fluidos.

Banhos com água fria e morna

Se você alternar seus banhos com água fria e água morna em suas pernas inchadas, você sentirá um grande alívio. Não é recomendado que a gestante use água quente, pois o edema pode piorar.

Terapias alternativas

Consultas na gravidez

Consulte o seu obstetra sobre as sessões de reflexologia ou drenagem linfática. Estas são massagens comprovadas e naturais que melhoram a circulação, aumentam a oxigenação do sangue e facilitam a drenagem de fluidos em direção ao sistema ganglionar. Se você optar por essas alternativas, procure um bom profissional. Caso ele tenha experiência com mulheres grávidas, melhor ainda.

Como a alimentação pode ajudar?

Você precisa ter cuidado com os diuréticos nesta fase, porque o que protege o bebê é um ambiente líquido. No entanto, quando você começa a sofrer de retenção de líquidos durante a gravidez, pode incluir na dieta alimentos que, devido aos seus componentes minerais, facilitam a redução desse desconforto.

Não perca: Frutas para combater a retenção de líquidos

A natureza oferece frutas e vegetais que são ideais para aliviar os edemas nas mulheres grávidas, como a melancia, laranja, abacaxi, mamão, maçã, melão, mirtilos, beterraba, pepino, aipo, salsa, tomates e vegetais de folhas verdes como espinafre, alface e couve.

Os sucos ou batidas aumentam os efeitos diuréticos dos vegetais e frutas, pois facilitam a digestão dos minerais. A criatividade não tem limites para criar receitas agradáveis ​​e saudáveis. Adoce-os de preferência usando mel, açúcar mascavo ou açúcar cristal.

Infusões: cuidado

Chá de passiflora

As ervas aromáticas e medicinais têm muitas propriedades, mas você precisa saber quais são indicadas durante a gravidez. Isso ocorre porque algumas ervas podem gerar contrações no útero, o que é melhor evitar se a hora não tiver chegado.

Entre as ervas adequadas para consumo durante a gravidez estão: sambucus, urtiga, dente-de-leão e framboesa. Uma colher de sopa da erva selecionada (ou uma mistura delas) deve ser fervida em um copo de água por dois ou três minutos. Deixe descansar por dez minutos e coe. Você pode tomar até duas vezes por dia.

Caso alguém lhe recomende outra erva em infusão, é melhor consultar o seu obstetra ou parteira antes de beber. Por exemplo: infusões de zimbro, buchu e cavalinha são reconhecidas por suas propriedades diuréticas, mas são contraindicadas durante a gravidez, pois causam contrações uterinas.

Conclusão

A retenção de líquidos e as consequentes pernas inchadas fazem parte do processo que o corpo da mulher vive durante a gravidez. Com uma boa dieta, uma rotina de exercícios e estas recomendações simples, você pode encontrar o alívio de que precisa.