Usar mega hair é arriscado?

Independentemente do tipo, o mega hair traz riscos à saúde do cabelo. Em particular, aqueles voltados para o uso permanente ou semipermanente podem causar danos significativos aos fios.
Usar mega hair é arriscado?

Última atualização: 25 Março, 2021

Cada vez mais mulheres vêm decidindo usar mega hair em seus cabelos. Trata-se de uma técnica de beleza que consiste em adicionar mechas de cabelo natural ou sintético para alongar ou tornar o cabelo mais volumoso. Embora seja um dos recursos estéticos mais utilizados no mundo, envolve diversos riscos.

Modelos do calibre de Naomi Campbell disseram que o uso do mega hair lhes causou vários problemas capilares. Mesmo assim, esses acessórios continuam a ser usados ​​sem maiores precauções. Por que eles podem causar problemas? O que você deve saber sobre isso? Descubra a seguir.

Você quer usar mega hair? Conheça os diferentes tipos

Existem diferentes tipos de mega hair. Eles diferem na forma como aderem ao cabelo ou couro cabeludoAs técnicas utilizadas para fixá-los determinam variações no grau de risco.

Extensões adesivas

Nesse caso, uma cola especial é usada para colar as extensões no couro cabeludo. Elas devem ser colocadas e retiradas por um cabeleireiro, e os adesivos utilizados devem ser hipoalergênicos. No entanto, nem sempre são.

Extensões de tranças

Esta é uma técnica amplamente utilizada e também uma das mais nocivas para os cabelos. Consiste em fazer coroas horizontais com tranças muito finas. Elas ficam escondidas no meio do cabelo e as extensões são costuradas nessas tranças. O positivo é que nenhum produto químico ou calor é usado; o lado negativo é que elas provocam uma forte tração e peso.

Com anéis ou grampos

São extensões semipermanentes, que duram de dois a seis meses. Nessa técnica, os fios de cabelo são pegos e presos a uma extensão, usando um anel ou grampo. O procedimento deve ser realizado por um cabeleireiro especialista. Costuma provocar uma forte tração no cabelo.

Silicone e queratina

É uma técnica semelhante à dos adesivos; consiste em derreter o silicone ou a queratina sobre o couro cabeludo para fixar as extensões. Requer manutenção a cada três a quatro meses. Calor, ar comprimido ou ultrassom devem ser usados ​​para a fixação. Porém, também causam tração no cabelo.

Fixação com clipes

Esta é a modalidade menos prejudicial. Os fios de cabelo adicionados têm um ou mais grampos que podem ser presos ao cabelo. As extensões podem, então, ser removidas como você faria com uma fivela ou grampo de cabelo. Elas costumam ser usadas ​​em ocasiões específicas e apenas por algumas horas.

Mulher colocando mega hair
Existem vários tipos de mega hair. No entanto, em geral, todos eles causam danos.

Quais são os riscos de usar mega hair?

Nenhum dos tipos de mega hair é inofensivo, mas as técnicas mais prejudiciais são as que envolvem o maior tempo de permanência. A seguir, detalharemos os riscos aos quais você se expõe ao usar esses acessórios.

Queda de cabelo

Este é um dos riscos que está presente em quase todos os tipos de extensões. Uma vez que ficam presas ao cabelo, evitam que ele se desprenda naturalmente. Isso pode levar a uma queda repentina e volumosa dos fios de cabelo quando forem removidas. 

Irritação mecânica crônica

O mega hair exerce tração ou tensão nos folículos capilares. A longo prazo, isso pode atrofiá-los e, consequentemente, tornar o cabelo mais fino. Nos casos mais graves, placas alopécicas ou “manchas calvas” aparecem em várias partes da cabeça. Se as extensões não forem mais usadas, o processo é reversível; caso contrário, não.

Deterioração

As extensões podem danificar a cutícula do cabelo. Em primeiro lugar, isso provoca uma diminuição do brilho e da vitalidade dos fios. Também pode causar frizz ou fragilidade, com a consequente quebra dos mesmos.

Lesões do couro cabeludo

Existem casos em que extensões de cabelo causam lesões no couro cabeludo. Em particular, podem causar foliculite, que é a inflamação dos folículos capilares. Se isso acontecer, aparecerão pápulas vermelhas que, às vezes, se enchem de pus, causando coceira e dor.

Reação alérgica

Embora isso não seja muito comum, há pessoas que têm uma reação alérgica às colas utilizadas ou às próprias extensões. Nesse caso, é necessário removê-las imediatamente e consultar um médico.

Cabelo danificado
Com o tempo, o uso do mega hair pode causar ressecamento, queda excessiva, entre outros problemas de saúde relacionados aos cabelos.

Usar mega hair é recomendado?

A beleza não deve entrar em conflito com a saúde. Portanto, em termos gerais, usar mega hair não é recomendado, pois todos envolvem algum risco. Se isso for muito importante para a pessoa, é apropriado usá-lo com moderação e apenas ocasionalmente.

Às vezes, ele também é colocado para esconder alguns tipos de alopecia. No entanto, são casos que exigem cautela, pois algumas técnicas agravam o quadro e podem causar inflamação e irritação no couro cabeludo.

O mais aconselhável é que eles não dupliquem o comprimento do cabelo natural para não exercerem uma tração excessiva. Além disso, o correto é ir a um bom cabeleireiro para se aconselhar sobre qual tipo de extensão é mais adequado, de acordo com o tipo de cabelo e a saúde do mesmo.

Descubra também: Por que o cabelo cai?

Recomendações para quem decidir usar mega hair

Quem optar pelo uso do mega hair deve escolher aqueles feitos com cabelos naturais, e não sintéticos, pois são mais fáceis de lavar e manter. Por sua vez, uma boa rotina de cuidados deve ser implementada para minimizar possíveis efeitos adversos.

Não é conveniente tingir os cabelos para homogeneizar a cor, pois isso pode causar ainda mais ressecamento. Você também deve usar o secador com moderação e pentear o cabelo delicadamente.

It might interest you...
4 máscaras capilares com canela para ter um cabelo mais saudável e bonito
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
4 máscaras capilares com canela para ter um cabelo mais saudável e bonito

Estas máscaras capilares com canela fortalecem os fios da raiz até as pontas, sem causar efeitos colaterais. Experimente!



  • Restrepo, R. (2010). Anatomía microscópica del folículo piloso. Revista de la Asociación Colombiana de Dermatología y Cirugía Dermatológica, 18(3), 123-138.
  • JIMÉNEZ, M. C., & DE PELUQUERÍA, C. I. C. L. O. F. O. R. M. A. T. I. V. O. PREPARACIÓN DE COSMÉTICOS CAPILARES NATURALES PARA TINTAR Y RECUPERAR EL BRILLO DEL CABELLO, CON ALUMNOS/AS DE FORMACIÓN PROFESIONAL.
  • CABELLO, C. D. C. P. U., DE CABELLO, S. P. C. T., & DEL CABELLO, G. Y. R. G. CUIDADOS ESTÉTICOS PARA EL EMBELLECIMIENTO CAPILAR.