Urticária ao frio: fatores de risco e prevenção

A urticária ao frio é tratada principalmente com medicamentos anti-histamínicos. Estes são medicamentos que aliviam os sintomas, mas não os previnem.
Urticária ao frio: fatores de risco e prevenção

Última atualização: 12 Fevereiro, 2021

A urticária ao frio é uma reação cutânea que ocorre em um curto período de tempo após a exposição ao frio, causando vermelhidão e coceira na pele.

A urticária ao frio tem uma maior incidência em adultos jovens. É uma das 5 causas mais frequentes de urticárias crônicas; está incluída no tipo de urticárias físicas.

Como já dissemos, essa condição da pele surge após a exposição ao frio, mas também pode surgir após o contato com um objeto, o ar ou um líquido frio.

A urticária ao frio também é conhecida como alergia ao frio, pois suas manifestações cutâneas ocorrem entre 10-30 minutos após a exposição da área afetada. Outras vezes, pode aparecer no mesmo momento da exposição.

Sintomas da urticária ao frio

Urticária causando coceira

Os pacientes com urticária ao frio apresentam sintomas muito diferentes. Alguns dos mais comuns são:

  • Urticária: como o próprio nome sugere, este será o sintoma mais característico. Aparecem vergões avermelhados, causando coceira nas áreas da pele que foram expostas ao frio.
  • Conforme a pele se aquece, a reação piora.
  • Inchaço nas mãos ao segurar objetos frios.
  • Inchaço dos lábios ao consumir alimentos e bebidas frias.

Em outros casos, os sintomas não são tão leves. Pode ocorrer febre, mal-estar geral e dor localizada na cabeça, abdômen ou articulações. Além disso, alguns pacientes apresentam sintomas muito graves que afetam o trato orofaríngeo, ou seja, a boca, a glote e a traqueia.

Nos casos em que a exposição ao frio é prolongada, como pode acontecer com um banho de água fria em um ambiente natural, o paciente pode sofrer anafilaxia e sufocamento. A razão para isso é que a passagem do ar é interrompida devido a um angioedema orofaríngeo.

Causas e fatores de risco

Atualmente, as causas exatas da urticária ao frio não são conhecidas. Em alguns casos, parece que as pessoas têm células muito sensíveis devido a uma característica hereditária, um vírus ou uma doença.

Normalmente, quando uma pessoa sofre dessa condição, o resfriado desencadeia a liberação de histamina, além de outras substâncias. Todas elas são responsáveis ​​por produzir os sintomas vistos na seção anterior.

Você pode também estar interessado em ler: O que são as imunoglobulinas?

Por outro lado, existe uma série de fatores de risco que favorecem o aparecimento da urticária. Entre eles, podemos citar:

  • Idade: como vimos, os adultos jovens são os que mais sofrem com isso.
  • Condição não diagnosticada: existe uma urticária ao frio adquirida secundariamente, que pode ser desencadeada devido a um problema de saúde não diagnosticado, como a hepatite.
  • Hereditariedade: às vezes, a urticária ao frio é hereditária.

Como ela pode ser evitada?

Alergia causando coceira

Existem várias medidas que podem ser tomadas para prevenir um episódio recorrente de urticária ao frio. Entre elas, recomendamos as seguintes:

  • Converse com seu médico sobre qual antihistamínico é mais eficaz para você. Siga corretamente o tratamento prescrito pelo profissional. 
  • Se você vai se expor ao frio, proteja-se com roupas adequadas.
  • Se for nadar, teste primeiro com a mão para ver se tem uma reação na pele.
  • Se o seu médico lhe prescreveu um autoinjetor de epinefrina, leve-o sempre com você para evitar reações graves.
  • Fale com seu médico sobre a sua urticária ao frio se for fazer uma cirurgia.

Tratamento da urticária ao frio

A urticária ao frio é tratada principalmente com medicamentos anti-histamínicos. Estes são medicamentos que aliviam os sintomas, mas não os previnem. 

No entanto, o uso desses tipos de medicamentos não é eficaz para todos os tipos de urticária ao frio. Hoje, existem outros tratamentos farmacológicos mais especializados, que são aplicados a critério do dermatologista.

Outra medida de tratamento é direcionar o paciente a aumentar a sua tolerância ao frio. Para fazer isso, sua exposição a baixas temperaturas deve ser aumentada gradualmente. Isso deve ser feito sempre no hospital e sob supervisão médica.

Porém, é importante lembrar que o melhor tratamento é a adoção de medidas preventivas, evitando a exposição ao frio.

Pode interessar a você...
6 dicas preventivas para a exposição ao frio
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
6 dicas preventivas para a exposição ao frio

A exposição ao frio aumenta o risco de algumas doenças devido ao enfraquecimento do sistema imunológico. No entanto várias dicas preventivas podem ajudar.



  • Santaolalla Montoya, M., Martínez Molero, M. I., Santaolalla San Juan, F., Baeza, M. L., Alonso Lebrero, E., & Zapatero Remón, L. (2002). Urticaria por frío: Revisión de 12 casos. Allergologia et Immunopathologia. https://doi.org/10.1016/S0301-0546(02)79134-9
  • Carrasquer Moya, C., Lopez-Baeza, J. L., Fernandez Alonso, E., Dura, M., & Pelaez Hernandez, A. (2001). Urticaria a frigore: Clinical characteristic and diagnostics. [Spanish]. Alergologia e Inmunologia Clinica.
  • Gonzalo-Garijo, M. Á., Pérez-Calderón, R., Pérez-Rangel, I., & Sánchez-Vega, S. (2011). Gel transmisor de ultrasonidos: Una causa infrecuente de urticaria a frigore. Medicina Clinica. https://doi.org/10.1016/j.medcli.2009.11.029