Truques para decorar os espaços compartilhados

· 7 de janeiro de 2019
Tanto se se trata de uma sala de jantar bem delimitada quanto se não, convém repassar alguns aspectos sobre a decoração dos espaços compartilhados para gerar um ambiente de convivência muito mais acolhedor para todos.

Os espaços compartilhados, também chamados de “áreas comuns” são pontos de encontro para todos os habitantes da casa; por isso, devem ser agradáveis e não se personalizar de acordo com um único critério individual.

Pelo contrário, deve predominar o acordo, o equilíbrio e, evidentemente, a conexão grupal.

E apesar de ser certo que deve haver coesão e uniformidade, é preciso deixar sempre uma margem à criatividade, visto que a continuidade visual não em desacordo com esta.

Os espaços compartilhados

Decoração de espaço compartilhado

A estética dos espaços compartilhados deve ter uma relação para que possa funcionar. Por conseguinte, é necessário procurar por um elemento em comum que agrade a todos e que convide a sentir a experiência da convivência desde uma perspectiva orgânica.

Neste sentido, ao se reunir e conversar a respeito será necessário escutar a cada um dos integrantes da casa. Ter em conta a opinião de cada um, negociar e manter uma atitude flexível. Ainda, deve-se primar pelo respeito para que exista uma boa comunicação.

Outro aspecto a considerar na hora de selecionar o elemento em comum é a espontaneidade. Não é necessário forçar o acordo se este não ocorre no primeiro momento.

Por exemplo, pode ser que tenhamos um consenso sobre a cor do espaço compartilhado, mas ainda não o tenhamos quanto aos acessórios. Não há porque nos precipitarmos, pouco a pouco podemos conseguir um bom resultado.

O que devemos ter presente são os três truques chave para decorar os espaços compartilhados:

Descubra: Aprenda a decorar seus espaços com plantas

Truques para decorar os espaços compartilhados

  • Consenso sobre a cor. É muito importante recorrer aos tons que mais nos agradem. Combiná-los com uma paleta neutra para assim oferecer um efeito de continuidade cromática. Cabe destacar que convém optar pelos tons claros para oferecer luminosidade e gerar maior sensação de amplitude.
  • Móveis de armazenamento. Apesar de ser necessário adicioná-los para poder oferecer comodidade, é preciso ter cuidado na hora de colocar objetos. Não convém saturá-los, inclusive se os objetos não ficam à vista.
Dica para decorar os espaços compartilhados de forma alegre

  • Entrar em acordo nos acessórios. Muitas vezes alguém coloca uma foto que para o outro é vergonhosa, e isso gera certo incômodo. Para evitar este tipo de situações é necessário que exista um acordo, pelo menos entre a maioria, sobre os acessórios.
  • Comodidade no mobiliário e peças multifuncionais. É preciso procurar fazer com que todo o mobiliário seja cômodo e que existam certas peças que possam ser usadas para diversos propósitos, como por exemplo: um sofá-cama.
  • Procure por um elemento em comum. Pode ser um tema em geral (África) ou um tema em concreto (os felinos da savana).
  • Distribuição dos elementos de forma equilibrada. Nos espaços compartilhados é preciso evitar sobrecarregar tanto as superfícies quanto as paredes. Isso não confunde a visão e favorece o relaxamento durante a jornada visual.
  • Acessos. Considere que os espaços compartilhados são lugares de muito trânsito, por isso, é necessário pensar bem nos acessos.Dica para decorar a sala
  • Dentro dos espaços compartilhados é necessário criar algumas divisões por meio da delimitação com alguns objetos (uma planta, um carpete ou um biombo, por exemplo) para poder comunicar a todos que há uma região para compartilhar, outra para relaxar e assim por diante.
  • As superfícies planas devem estar o mais livres possível. Os acessórios não devem sobrecarregar as mesas, nunca.

Pode te interessar: 4 trabalhos manuais fáceis para decorar a casa

Recomendações para decorar espaços compartilhados

O importante na hora de decorar um espaço compartilhado é idealizar e aplicar uma estratégia em concreto.

Desta maneira conseguimos dar corpo às ideias e dar a continuidade visual requerida.

Uma vez que coloquemos em prática os truques que repassamos anteriormente, será muito mais fácil obter os resultados que desejamos.

Uma recomendação: hoje em dia, além de beleza, o que realmente se deseja é comodidade. Por isso, convém dar prioridade a cada etapa do processo de decoração.

Por outro lado, a luminosidade e a amplitude do espaço devem ser muito cuidados para evitar desperdiçar o espaço e criar um ambiente pouco dado ao relaxamento e ao compartilhamento.

  • Mendoza, E. (2017). Diseño de Interiores. Manual de Diseño de Interiores.
  • Pérez Jaimes, A. E. (2004). Diseño interior: solución integral a los espacios. (Spanish). INTERIOR DESIGN: INTEGRAL SOLUTION FOR SPACES. (English).
  • Ruiz, L., & García Sanz, M. P. (2010). Calidad del Ambiente Interior. Instituto Nacional de Seguridad e Higiene En El Trabajo.