O que é o tromboembolismo?

O tromboembolismo consiste, primeiro, na formação de um coágulo sanguíneo em alguma parte do corpo e, posteriormente, no desprendimento desse coágulo. É uma patologia que pode ser fatal. Vamos ver quais são as suas causas e quais sintomas o caracterizam.
O que é o tromboembolismo?

Última atualização: 29 Março, 2021

Falar sobre o tromboembolismo equivale a falar sobre a doença tromboembólica venosa. Ambos os termos referem-se ao mesmo conjunto de situações que compartilham um denominador comum. A doença tromboembólica venosa inclui:

  • Trombose venosa profunda.
  • Embolia pulmonar
  • Síndrome pós-trombótica.

A trombose venosa profunda ou TVP é a formação de um coágulo sanguíneo em uma das veias do corpo. A localização mais comum são as veias profundas dos membros inferiores. Também pode ter origem em outro lugar, embora com muito menos frequência.

Em geral, o próximo passo após a trombose venosa profunda, se não tratada, é a embolia pulmonar. Isso acontece quando o coágulo da veia profunda se rompe e viaja pelo sistema circulatório. Diz-se que o trombo se transformou em um êmbolo, que fica preso em uma veia pulmonar.

Ocorrem alterações no local onde estava localizado o coágulo que deu origem à trombose venosa profunda. As mudanças em questão são responsáveis ​​pela síndrome pós-trombótica. As pernas que abrigavam o trombo incham, ficam azuis e podem até ulcerar.

Fatores de risco para o tromboembolismo

Como vimos, o tromboembolismo requer a formação de um coágulo em primeiro lugar. E para a formação de coágulos sanguíneos nas veias, certas condições precisam ser atendidas.

Existem pessoas com certos fatores de risco que são mais propensas a sofrer tromboembolismo do que outras. É nessas pessoas que os cuidados precoces devem ser tomados para evitar complicações.

Uma situação de risco são as lesões venosas. Quando há grandes fraturas que ferem as paredes das veias, ou lesões nos músculos que contêm trajetos venosos em seu interior, o local pode ser trombosado.

A permanência prolongada em prostração também apresenta um alto risco. Isso pode acontecer com pacientes que estão passando por cirurgias de grande porte e fazem repouso prolongado para se recuperar. Quem usa gesso para fraturas, principalmente nos membros inferiores, também é suscetível ao tromboembolismo.

Nas mulheres, qualquer período da vida com aumento de estrogênio aumenta a chance de trombose venosa profunda. Mulheres na menopausa que fazem terapia de reposição hormonal devem ser acompanhadas de perto, visto que este tratamento faz uso de estrogênio artificial.

Também estão em risco aqueles que:

  • Já sofreram de trombose venosa profunda.
  • Sofrem de obesidade, especialmente obesidade mórbida.
  • Apresentam doenças de coagulação.
Coagulação do sangue

Sintomas

Todas as três formas de tromboembolismo ou doença tromboembólica venosa têm seus sinais particulares. Na trombose venosa profunda ou TVP, pode acontecer que o paciente não saiba que tem esta condição. É uma patologia que, às vezes, ocorre em silêncio até se manifestar com sinais graves e perigosos.

Os sintomas de TVP incluem inchaço do local da trombose, mudança na cor da pele e dor. A localização mais comum são as pernas.

Quando o problema progride e ocorre a embolia pulmonar, os sintomas são agudos e expressam risco de vida. Eles são evidências de que um coágulo migrou para o pulmão, obstruindo o fluxo no local.

Uma pessoa com embolia pulmonar apresenta dispneia – ou seja, falta de ar – e dor no peito que piora com a respiração. Às vezes, o êmbolo gera tosse com sangue, cujo nome técnico é hemoptise.

Veias saltadas na perna

Não deixe de ler: Tudo o que você precisa saber sobre a tromboembolia pulmonar

Prevenção do tromboembolismo

O tromboembolismo é bastante comum. Consideremos que para cada cem mil habitantes, há uma média de cento e cinquenta casos por ano. Além disso, quanto maior a idade, maior é a prevalência.

A doença tromboembólica venosa ainda apresenta uma alta letalidade. Estima-se que até 10% das mortes em hospitais sejam atribuíveis a um episódio de tromboembolismo. Na população geral, esta é a terceira causa de morte cardiovascular.

Portanto, a prevenção é essencial . Devem ser tomadas as medidas necessárias para evitar a formação de coágulos, trombos e êmbolos, principalmente nas pessoas que estão mais propensas a sofrê-los. Para isso, aconselha-se:

  • Mobilização o mais rápido possível de pacientes acamados por cirurgia ou feridos.
  • Uso de anticoagulantes controlados em pessoas com fatores de risco.
  • Uso de meias de compressão em indivíduos com varizes nos membros inferiores.
  • Controle do peso corporal.
  • Realização de atividade física que envolva as pernas em pessoas com tendência ao sedentarismo.

Diante do aparecimento de qualquer sintoma sugestivo de tromboembolismo, consulte imediatamente um médico ou especialista. Esta é uma condição que não permite perder tempo. O tratamento em tempo hábil pode salvar a vida do paciente.

Pode interessar a você...
Trombose por contraceptivos hormonais
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Trombose por contraceptivos hormonais

Os contraceptivos hormonais são usados por muitas mulheres como método de prevenção da gravidez, mas qual é a sua relação com a trombose?



  • Villar, Adolfo Baloira, and Luis Alberto Ruiz Iturriaga. “Tromboembolismo pulmonar.” Archivos de Bronconeumología 46 (2010): 31-37.
  • Gil, AI Castuera, et al. “Tromboembolismo pulmonar.” Medicine-Programa de Formación Médica Continuada Acreditado 11.88 (2015): 5245-5253.
  • Gabriel Botella, F. “Reflexiones sobre la enfermedad tromboembólica venosa.” Anales de Medicina Interna. Vol. 20. No. 9. Arán Ediciones, SL, 2003.