Trombose venosa profunda: detecção e prevenção

· 13 de junho de 2019
A trombose venosa profunda pode ocorrer como consequência de qualquer fenômeno que impeça que o sangue circule corretamente ou que coagule.    

A trombose venosa profunda (TVP) ou flebotrombose profunda ocorre quando um coágulo sanguíneo, chamado de trombo, é uma ou mais veias profundas do corpo. Normalmente, elas tendem a se formar nas pernas, mas isso não significa que não possam aparecer em outras partes do organismo.

Esta condição pode ocorrer se você tiver certas doenças que afetam a forma em que o sangue coagula. Também pode se desenvolver se você não se movimentar durante muito tempo. Um exemplo dessas situações pode acontece depois de uma cirurgia ou um acidente.

A trombose venosa profunda é um distúrbio grave. Os coágulos sanguíneos que se formam nas veias podem ser liberados, movendo-se através da corrente sanguínea para os pulmões. Uma vez lá, podem interromper o fluxo de sangue desencadeando uma embolia pulmonar.

Da mesma forma, os coágulos podem migrar para o coração. Nestas situações, pode ocorrer um infarto do miocárdio.

Como se desencadeia a trombose venosa profunda?

Glóbulos vermelhos

O sangue que vai desde o coração até os pés circula pelas artérias. Uma vez no pé, através dos capilares, o sangue retorna ao coração. É de lá que vai para os pulmões para oxigenar-se.

Quando o sangue se coagula no interior de uma veia, impede seu retorno ao coração. Desta forma, o sangue se acumula na perna e, portanto, esta incha e dói. O sangue se solidifica e dificulta, ou impede, sua circulação habitual.

Os coágulos de sangue da trombose venosa profunda podem ocorrer como consequência de qualquer fenômeno que impeça o sangue de circular corretamente, ou que favoreça a coagulação.

Por exemplo, após a cirurgia, devido ao uso de certos medicamentos e limitação de movimento. No entanto, existem uma série de fatores de risco que favorecem essa patologia. Entre eles podemos mencionar:

  • Genética: algumas pessoas herdam um transtorno no qual têm problemas de circulação.
  • Repouso prolongado: por hospitalização, por exemplo.
  • Lesões ou cirurgia, como comentamos.
  • Gravidez
  • Fumar
  • Excesso de peso ou obesidade
  • Outros

Como a trombose venosa profunda pode ser detectada?

Exame de sangue

Existem outras doenças que se apresentam com sinais e sintomas semelhantes aos da trombose venosa profunda. Por exemplo, a embolia pulmonar, as lesões musculares, a celulite ou a inflamação das veias, que estão sob a pele.

Para diferenciar esta doença das outras, é importante fazer testes especiais para localizar os coágulos nas veias. Em seguida, explicamos alguns desses testes.

Leia também: 5 razões importantes para conhecer o tipo de sangue dos membros da sua família

Ultrassom duplex

É um teste que usa ondas sonoras para gerar imagens, a fim de observar o fluxo de sangue pelas veias. Pode detectar bloqueios ou coágulos sanguíneos nas veias profundas. Este é o teste de imagem padrão para o diagnóstico de trombose venosa profunda.

Teste D-dímero

Este teste é um exame de sangue que mede uma substância que é liberada no sangue quando se desintegra um coágulo. No caso em que o resultado é negativo, se traduz em que é provável que o paciente não sofra desta doença e vice-versa.

Flebografia  

É o teste mais preciso para diagnosticar coágulos sanguíneos. No entanto, é um procedimento invasivo, o que significa que é necessário que os médicos usem instrumentos para manipular o corpo.

É um tipo especial de radiografia em que o material de contraste ou corante é injetado em uma veia grande do pé ou tornozelo, para que o médico possa ver as veias profundas dessa extremidade.  

Ressonância magnética e tomografia computadorizada

São dois testes exames que oferecem imagens que ajudam os médicos a diagnosticar e tratar várias condições. Nas imagens que oferecem, pode-se observar as veias e coágulos. No entanto, não são amplamente utilizados para o diagnóstico desta doença, mas é um recurso acessível, em caso de necessidade.

Talvez você esteja interessado em ler ademais: 9 alimentos que você deve incluir na dieta para prevenir tromboses

Prevenção da trombose venosa profunda

Cigarro é um dos fatores de risco da trombose venosa profunda

A prevenção da TVP baseia-se na melhoria do fluxo sanguíneo que retorna ao coração. Para isso, é importante consultar o seu médico para recomendar uma série de exercícios.

É aconselhável colocar as pernas para o alto para facilitar a circulação. Nesse sentido, pode-se levantar a parte do colchão onde ficam as pernas, para dormir com elas em uma posição levemente elevada.

Se você é um fumante, tente parar de fumar. O tabaco é um fator de risco para muitas doenças. Recomenda-se também exercitar-se pelo menos 30 minutos, 3 dias por semana.

Quando necessário, o médico pode prescrever o uso de medicamentos anticoagulantes para evitar complicações.

 

  • Piccinato, C. E., Cherri, J., & Moriya, T. (1995). Trombose venosa profunda. In Medicina.
  • Weinmann, E. E., & Salzman, E. W. (1996). Trombosis venosa profunda. Revista Cubana de Medicina. https://doi.org/10.1016/S1636-5410(17)87867-3
  • Rodriguez Moral, N. E. (1972). TROMBOSIS VENOSA. Revista Cubana de Cirugia.