Troca de dentes das crianças: tudo o que você precisa saber

A troca de dentes das crianças é um processo natural que os adultos devem acompanhar. O que é preciso ter em mente? Detalharemos a seguir.
Troca de dentes das crianças: tudo o que você precisa saber

Última atualização: 27 maio, 2022

O momento da troca de dentes das crianças é um evento significativo tanto para o filho quanto para os pais, pois muitas vezes a visita da fada do dente mobiliza toda a família. Sem dúvida esse marco infantil é uma demonstração do crescimento da criança.

No entanto, estar preparado e saber o que fazer quando os dentes de leite começarem a se soltar ajuda a acompanhar esse importante processo. Por isso a seguir mostraremos como e quando acontece a substituição dos dentes de leite pelas peças definitivas e quais os cuidados necessários.

O processo de troca de dentes

A fase de troca de dentes começa por volta dos 6 anos de idade da criança. Esse processo consiste na queda das peças provisórias, que serão substituídas pelos dentes definitivos. Isso ocorre gradativamente e termina com a substituição das 20 peças decíduas, em torno dos 12 anos.

Trata-se de um acontecimento de grande importância para o desenvolvimento da criança que está crescendo e se tornando adulta. Isso ocorre porque os dentes de leite são muito pequenos e fracos para cumprir as funções orais de uma pessoa adulta.

Os elementos definitivos são os que substituem os dentes quando estes estão prontos para nascer. Eles fazem isso por meio de células especializadas que reabsorvem as raízes dos dentes temporários no interior do osso.

À medida em que a raiz que os mantinha fixos no maxilar se perde, os dentes de leite começam a se mover. Chega um momento em que a sustentação fica vazia e o dente solto cai. Uma vez que a peça temporária se perde, o dente permanente começa a aparecer no espaço vazio para ocupar esse lugar.

Essa situação ocorre de forma progressiva até que o dente se localize no lugar correto. Os dentes permanentes são caracterizados por serem maiores que os de leite. Por esse motivo os espaços entre os dentes, típicos das peças temporárias, vão desaparecendo gradativamente.

Além disso, durante o período de substituição é comum que algumas peças definitivas fiquem tortas. Em geral, à medida em que os outros elementos caem e a mandíbula cresce eles conseguem se alinhar por si mesmos. No entanto, é sempre uma boa ideia ter um odontopediatra supervisionando o processo.

O processo de substituição dentária.
É importante garantir atendimento odontológico para as crianças durante o processo de substituição das peças dentárias.

Com que idade e em que ordem ocorre a troca dos dentes das crianças?

Cada criança tem a própria taxa de crescimento e desenvolvimento, e isso inclui o aparecimento e a perda de dentes. Os de leite geralmente começam a se soltar e cair por volta dos 6 anos de idade. No entanto, como já mencionamos, existem crianças que começam esse processo mais cedo e outras muito mais tarde.

O processo de queda dos dentes soltos e sua substituição por uma peça definitiva acontecerá aos poucos. Estima-se que por volta dos 12 anos a criança já terminado a troca dos seus 20 dentes de leite.

Além disso, nessa idade o primeiro e o segundo molares permanentes já terão nascido na parte posterior da boca. Isso acontece sem que nenhum dente de leite caia para ser substituído.

Ainda assim, a idade em que os dentes são trocados varia entre as crianças e é influenciada por diferentes fatores. Portanto, existe uma idade estimada na qual os pais podem esperar que ocorra a substituição. A seguir mostraremos mais detalhes sobre este processo.

Incisivos centrais: os primeiros dentes a emergir

É bastante comum que os incisivos centrais sejam os primeiros elementos dentários a serem trocados. A maioria das pessoas os perde na mesma ordem em que eles nasceram. Como os incisivos centrais inferiores costumam ser os primeiros dentes a irromper (por volta dos 6 meses de vida), eles são também os que caem antes.

O dente definitivo começará a nascer no interior da gengiva, atrás dos dentes de leite que ainda não caíram. Isso acontece por volta dos 6 ou 7 anos da criança. Mais tarde, é comum que os incisivos centrais superiores se soltem e caiam.

A erupção dos dentes definitivos acontece na parte frontal da gengiva, dando origem aos grandes incisivos centrais superiores que acompanharão a pessoa até a idade adulta.

Incisivos laterais: os dentes seguintes

Uma vez que os incisivos centrais terminam de nascer, os laterais serão os próximos a serem trocados. Em geral os superiores se soltam primeiro e depois os inferiores. A troca desses dentes geralmente ocorre entre os 7 e 8 anos. Com isso, os oito elementos anteriores da boca já terão sido trocados.

Primeiros molares temporários

Os primeiros molares temporários caem entre os 9 e 11 anos da criança. Os molares de leite têm a particularidade de serem substituídos por um dente definitivo diferente do que cai.

Isso ocorre porque o local deixado pelos dentes temporários será ocupado pelos pré-molares definitivos. Assim, o primeiro molar temporário é substituído pelo primeiro pré-molar.

Segundos molares e caninos temporários: os últimos a cair

A última troca de dentes nas crianças corresponde aos caninos e segundos molares temporários. As presas caem entre as idades de 9 e 12 anos, e são substituídas pelos dentes permanentes de mesmo nome.

Entre as idades de 10 e 12 anos os segundos molares caem e são substituídos pelos segundos pré-molares. Geralmente esses são os últimos elementos a nascerem, completando o processo de substituição.

Os dentes definitivos

Os molares permanentes aparecem espontaneamente na porção posterior da boca, sem substituir nenhum dente de leite. Eles ocupam o espaço livre que está atrás dos segundos molares temporários.

A erupção dos molares permanentes ocorre aos 6 anos, dando lugar ao primeiro molar permanente; aos 12 anos para o segundo e entre 18 e 20 anos para o terceiro. Os inferiores geralmente nascem primeiro e os superiores em seguida.

Conforme a criança cresce o maxilar se alarga para permitir que os dentes definitivos (que são maiores que os de leite), fiquem posicionados corretamente. Por volta dos 13 anos de idade a maioria das crianças possui os 28 elementos definitivos na boca.

Os 32 dentes da dentição adulta são completados pelo nascimento dos dentes do siso, que acontece por volta dos 18 anos. De qualquer forma, eles não nascem em todas as pessoas.

Como evitar transtornos durante a troca de dentes das crianças?

A melhor estratégia para evitar transtornos durante as trocas de dente nas crianças é permitir que o processo se desenvolva naturalmente. Isso significa não forçar ou puxar os dentes.

Às vezes pode levar muito tempo desde o momento em que o dente fica mole até que ele saia. É preciso ter paciência e não tentar acelerar o processo com força ou pressão.

Utilizar movimentos bruscos ou métodos caseiros para tentar retirar os dentes de leite não é uma boa ideia, pois isso pode danificar os tecidos bucais, assustar a criança e danificar a peça definitiva.

O dente está solto o suficiente e pronto para se desprender quando a criança não sentir dor ao movê-lo nem incômodo ao falar e comer. Nesse momento você deve incentivá-la a remover o dente sozinha ou ajudá-la no processo. O ideal é fazer isso da seguinte forma:

  • Segure o dente solto com uma gaze limpa ou um guardanapo de papel e faça um movimento rápido.
  • É importante verificar sempre se o processo não está provocando dor na criança; se for esse o caso, é porque ainda não é o momento ideal.
  • Assim que o dente sair, peça à criança que enxágue a boca com água para limpar a gengiva. Elas também podem morder um pedaço de gaze.
  • Para evitar mais sangramento, o ideal é que elas não enxaguem a boca novamente para cuspir.
  • É aconselhável que a criança se mantenha quieta por alguns minutos, sem correr, comer ou beber nada. Na maioria das vezes o sangramento é temporário e para depois de um tempo.
  • Para cuidar do dente definitivo que vai nascer a criança deve ser avisada para não tocar o local vazio. Também é importante que ela não coloque objetos na boca.

Os sentimentos da criança

Para algumas crianças a perda de um dente é motivo de emoção e alegria, principalmente se elas acreditam que a fada do dente as visitará.

No entanto outras podem experimentar angústia por perder essa parte do corpo. Nesse caso é importante acompanhar a criança com respeito e carinho, além de explicar a situação para ela.

Há também quem sinta dor ou desconforto no momento em que o dente cai. Nestes casos o ideal é a ajudar a criança a se sentar ou deitar para se acalmar, pois geralmente essa sensação é temporária.

Quando é necessário consultar um profissional?

Geralmente o processo de substituição dos dentes deve ser acompanhado e supervisionado por um odontopediatra. Esse profissional pode analisar o crescimento do maxilar e detectar precocemente eventuais problemas.

Obviamente isso não significa que você tenha que levar o seu filho ao dentista toda vez que um dente se soltar. O mais aconselhável é fazer check-ups semestrais a partir do primeiro ano de vida do bebê.

Com essas visitas semestrais o dentista poderá observar e analisar o desenvolvimento das estruturas da boca. Por sua vez, você será capaz de detectar quaisquer anomalias para tratá-las rapidamente. Esse profissional é capaz de orientar os pais no cuidado da boca do filho.

Caso surja alguma dúvida ou problema no intervalo entre as visitas agendadas é sempre bom procurar ajuda profissional. Estas são algumas das razões para consultar um odontopediatra:

  • Demora na substituição do dente: embora cada criança siga seu próprio ritmo de substituição dos dentes, a demora para que eles fiquem soltos pode gerar dúvidas que devem ser esclarecidas por um profissional.
  • Os dentes permanentes nasceram tortos: os dentes permanentes nascem onde podem e, conforme a criança cresce eles tendem a se acomodar. Apesar disso, recomenda-se a avaliação de um dentista.
  • Existe uma dupla fileira de dentes: os dentes permanentes às vezes não conseguem reabsorver as raízes dos temporários, e nascem antes que os anteriores caiam. Isso resulta em uma fileira dupla de dentes que um dentista precisa avaliar. Caso seja necessário ele terá que extrair o dente de leite.
  • Os dentes caem muito cedo: uma pancada ou cáries muito avançadas podem provocar a perda prematura dos dentes de leite. Nestes casos o dentista deve intervir para liberar espaço para os dentes permanentes e prevenir más oclusões.
Dentista verificando a boca de uma criança.
Como método de prevenção é importante solicitar visitas periódicas ao odontopediatra. Desta forma é possível intervir caso haja alguma alteração dental.

Cuidar dos dentes novos

É importante aproveitar a etapa de troca de dentes das crianças para ensiná-las sobre os cuidados necessários para manter esses elementos saudáveis ao longo da vida. Os hábitos incorporados durante a infância podem fazer a diferença entre ter uma boca saudável ou cheia de obturações  na vida adulta.

Embora nessa idade as crianças já não precisem de tanta ajuda para escovar os dentes, o ideal é que os adultos continuem supervisionando o momento da higiene dental. Certifique-se do seguinte:

  • Que eles usem uma quantidade adequada de pasta de dente.
  • Que a técnica esteja correta.
  • Que todas as superfícies dentais estão sendo limpas de forma adequada.
  • Que elas não estão pulando nenhuma escovação.

Outro aspecto a considerar é ensinar e ajudar no uso do fio dental. Os dentes permanentes geralmente ficam mais próximos uns dos outros, portanto, limpar a área entre os dentes é essencial para manter a saúde.

Outras recomendações importantes

  • Use cremes dentais com flúor e enxaguantes bucais para prevenir doenças na boca.
  • Faça visitas semestrais ao dentista, principalmente no período de substituição dos dentes de leite. O profissional pode avaliar o crescimento da mandíbula e a erupção dos dentes para detectar qualquer problema precocemente.
  • Se aparecer alguma patologia um tratamento oportuno evitará quaisquer complicações. O dentista pode sugerir limpezas com flúor, selantes ou aplicações que ajudem a manter os dentes permanentes saudáveis e livres de cáries.
  • Manter uma dieta variada, equilibrada e nutritiva também afeta a saúde da boca. Alimentos ultraprocessados e ricos em açúcar devem ser evitados.

Dentes para a vida

A troca de dentes das crianças começa por volta dos 6 anos. A partir dessa idade começam a aparecer os que estarão com elas pelo resto da vida. Por isso, acompanhar o processo de substituição e contribuir com a higiene bucal é responsabilidade do adulto. Agora você sabe como fazer isso.

Pode interessar a você...
O que são dentes do siso impactados e qual o tratamento?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
O que são dentes do siso impactados e qual o tratamento?

Os dentes do siso impactados podem passar despercebidos ou provocar bastante incômodo. A seguir explicaremos do que se trata essa condição.



  • Ayala Pérez, Y., Carralero Zaldívar, L. D. L. C., & Leyva Ayala, B. D. R. (2018). La erupción dentaria y sus factores influyentes. Correo Científico Médico22(4), 681-694.
  • Maduro Jácome, S. G. (2021). Factores que influyen en la erupción dentaria retardada (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Anselmino, C. E. (2017). Cronología de la erupción dentaria permanente en nuestra población actual: correlación entre edad dental y edad cronológica en la población de la ciudad de La Plata. Rev. Soc. Odontol. La Plata, 9-14.
  • Pentón, A. S. M., Concepción, O. L. V., & Alemán, R. Z. E. (2017). Erupción dentaria,¿ está todo dicho?. Acta Médica del Centro11(1), 72-75.
  • De la Cruz Sedano, G. S., Flores, A. K. V., Porroa, J. J. J., & de Priego, G. A. P. M. (2020). Erupción dentaria: bases moleculares. Un artículo de revisión. Revista Científica Odontológica8(1), e009-e009.
  • Umaña, A. P., Meza, B. Y. C., Barco, M. G., & Hernandez, J. A. (2017, September). CRONOLOGÍA DE LA ERUPCIÓN DENTARIA EN UN GRUPO DE CAUCASOIDES. In XIX Simposio de Investigaciones en salud” Autonomía, Financiación y Calidad.
  • Osaghae, I. P., & Azodo, C. C. “Shark Teeth” Like Appearance among Paediatric Dental Patients.
  • López León, Z. R. (2021). FACTORES DE RIESGO RELACIONADO A LA ALTERACIÓN DE LA ERUPCIÓN DENTARIA EN ESCOLARES DE 6 A 9 AÑOS DE LA INSTITUCIÓN EDUCATIVA JUANA MORENO HUÁNUCO 2018.
  • Pérez Villa, G. K. (2021). Perdida prematura de dientes temporales en escolares (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Astoquilca Guevara, M. Y. (2019). La pérdida prematura de dientes deciduos como factor de riesgo de maloclusión en escolares de 7 a 9 años de la IE Rafael Díaz, Moquegua-2019.