O que são selantes dentais e para que eles servem?

A aplicação de selantes dentais nos dentes reduz o risco de cáries. A seguir mostramos em que consiste esse procedimento odontológico.
O que são selantes dentais e para que eles servem?

Última atualização: 20 Dezembro, 2021

Mesmo cuidando da escovação e usando fio dental, às vezes aparecem cáries de qualquer maneira. Os selantes dentais são uma medida preventiva que o dentista pode sugerir para evitar o desenvolvimento do problema.

A questão é que nas superfícies dentais existem áreas irregulares, que a escova não consegue alcançar. Nesses locais de difícil acesso as bactérias se acumulam e o risco de doenças aumenta.

Os selantes dentais são úteis para proteger os dentes e facilitar a limpeza dos mesmos. Continue lendo e descubra mais sobre essa alternativa preventiva que pode te ajudar a cuidar da saúde dos seus dentes.

O que são selantes dentais?

Os selantes dentais são fino um revestimento de resina que os dentistas aplicam nos sulcos, fossas e fissuras da superfície dos dentes. O preenchimento dessas áreas profundas diminui a retenção de placa bacteriana e ajuda a tornar a limpeza do dente mais fácil e eficaz.

Eles são usados de forma especial nas superfícies oclusais dos molares e pré-molares, embora também possam ser utilizados em outras áreas nas quais a placa bacteriana se acumula com facilidade.

Esse é um procedimento minimamente invasivo, que não requer o uso de anestesia ou a remoção de tecidos dentais. É usado em dentes saudáveis ou nos locais em que a lesão da cárie está apenas começando.

Os materiais mais utilizados para selar os dentes são resinas fluidas que endurecem com uma luz especial. No entanto, existem profissionais que preferem usar outros produtos, como ionômeros de vidro.

Para que servem?

Como já antecipamos, os selantes dentais servem para prevenir as cáries, já que protegem as zonas profundas das superfícies dentais que a escova de dentes não consegue limpar.

As superfícies de mastigação dos dentes apresentam áreas ásperas, fissuras profundas e sulcos que a escova de dentes não consegue alcançar. A falta de limpeza pode provocar o acúmulo de placa bacteriana e o consequente desenvolvimento de cáries.

Ao colocar selantes dentais nessas áreas de retenção bacteriana a anatomia oclusal é alterada. O material de preenchimento atua como uma barreira protetora e facilita a limpeza dos dentes.

Desta forma, os selantes dentais evitam que resíduos de alimentos, placa bacteriana e os ácidos que provocam cáries se acumulem nas rugosidades da superfície dental. Por isso, eles são considerados um método preventivo que evita a destruição dos tecidos duros dos dentes.

Além disso, ao evitar o desenvolvimento de cáries eles permitem ao paciente economize tempo, desconforto e o dinheiro que os tratamentos para essa doença exigem.

Paciente de cárie que precisa de selantes dentais.
A cárie é uma doença muito prevalente em todo o mundo, portanto, diferentes métodos preventivos são necessários para reduzir a incidência da mesma.

Benefícios dos selantes dentais

O principal benefício dos selantes dentais é a prevenção de cáries. Como já dissemos, o preenchimento dos defeitos oclusais dos dentes com esses materiais evita o acúmulo de bactérias e seus ácidos, e o desenvolvimento de doenças.

A cárie é a desmineralização dos tecidos duros dos elementos dentários em decorrência da ação dos ácidos produzidos pelas bactérias ao fermentar os carboidratos ingeridos na dieta. Por esse motivo, a eliminação da placa bacteriana é fundamental para prevenir que o problema se desenvolva.

Os selantes dentais, ao preencherem as áreas rugosas e retentivas dos dentes, alteram a anatomia da superfície oclusal. Desta forma, os restos de alimentos e bactérias não se acumulam mais e a limpeza com a escovação é muito mais fácil e eficaz.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), os selantes dentais protegem contra 80% das cáries por 2 anos. E continuam a fazê-lo em 50% dos casos por até 4 anos.

Os selantes são utilizados de forma preventiva em pacientes saudáveis, principalmente no momento da erupção dos dentes permanentes. A própria anatomia e a falta de desgaste devido ao pouco uso dos novos dentes tornam suas superfícies mais suscetíveis à cárie.

Os dentistas também podem considerar o uso de selantes dentais em pacientes com um alto risco de desenvolvimento de cáries. Para determinar a necessidade desse procedimento preventivo, o profissional avaliará o histórico médico do paciente, seus hábitos e as condições da boca.

Além disso, essa técnica pode ser útil nos casos em que a cárie está começando. No estágio inicial da doença, quando ainda não há perda de tecido dentário, os selantes podem ser usados como tratamento.

Outras vantagens

Além de reduzir o risco de cáries, os selantes dentais fornecem outros benefícios:

  • A técnica é confortável e indolor: o procedimento de colocação do selante dental é indolor e dispensa o uso de anestesia. O paciente só precisa ficar um pouco com a boca aberta para que ocorra a aplicação e o endurecimento do produto.
  • Eles podem ser usados em pacientes com pouca idade: por ser um procedimento que não requer anestesia e é minimamente invasivo, pode ser usado assim que os molares permanentes terminarem de nascer. Isso acontece por volta dos 6 anos para os primeiros molares permanentes, e aos 12 para os últimos. Selá-los nessas idades pode evitar o seu adoecimento.
  • Podem ser usados em crianças, adolescentes e adultos: o mais comum é o uso em crianças e adolescentes para evitar cáries nos dentes definitivos que acabam de irromper. No entanto, também podem ser usados em pacientes adultos se o dentista considerar adequado. Em pessoas com ortodontia ou que sofrem com a diminuição do fluxo salivar devido ao uso de medicamentos, por exemplo, por aumentar o risco de cáries, o uso de selantes dentais pode ser útil.
  • Protegem qualquer superfície que retém a placa bacteriana: os selantes dentais são colocados com mais frequência nas fossas e fissuras das superfícies oclusais dos molares e pré-molares, pois são esses os locais onde mais placa se acumula. Mas, na realidade, eles podem ser usados em qualquer superfície dental difícil de limpar, como sulcos ou orifícios nos dentes permanentes ou de leite, que o dentista considera ter maior risco de cáries.
  • São estéticos: os selantes dentais são claros, brancos ou apresentam uma ligeira coloração, dependendo do produto utilizado. Mas geralmente eles passam despercebidos.

Também pode te interessar: Como cuidar dos dentes no verão

Como aplicar selantes dentais

A técnica de aplicação dos selantes dentais é simples, rápida e confortável para o paciente. Não requer o uso de anestesia ou a remoção do tecido dentário.

Assim que o dentista determinar a necessidade de colocar um selante dental no dente, ele executará as seguintes etapas:

  1. Limpar a superfície dental sobre a qual será aplicado o produto: isso é feito com escova rotativa e pastas especiais. Em seguida o dente é então lavado e seco.
  2. Colocação de um gel ácido: ele é colocado na superfície a ser selada e deixado para agir por alguns segundos. Isso cria uma superfície rugosa com pequenos poros microscópicos que melhoram a adesão do material ao dente.
  3. Lavar e secar a superfície do dente.
  4. Colocar o selante nos sulcos e fissuras do dente: o material é fluido, sendo gradualmente colocado dentro das imperfeições anatômicas da superfície do dente.
  5. Fotopolimerizar o produto: uma luz especial é projetada para ajudar a secar e endurecer o material. Isso leva cerca de 30 segundos.
  6. Testar a oclusão: solicita-se que o paciente morda várias vezes para garantir que ele pode fazê-lo normalmente. Se houver alguma área atrapalhando a mastigação devido ao excesso de material, ele é desgastado até que se obtenha uma oclusão adequada.

O procedimento está terminado. O paciente agora pode mastigar e usar o dente normalmente.

Quando os selantes dentais são indicados?

Será sempre o dentista quem determina se é ou não necessário aplicar selantes dentais em um paciente. Para isso, ele avaliará o risco de cárie com base nos hábitos de higiene, costumes, condição da boca e histórico médico.

No entanto, em termos gerais, o uso de selantes é recomendado em pacientes crianças e adolescentes cujos dentes permanentes acabaram de nascer. Recomenda-se selar os molares permanentes e, em pacientes com alto risco de cárie, também os pré-molares.

Existem algumas considerações que o dentista terá em mente antes de realizar o procedimento. Os dentes a serem selados devem atender aos seguintes requisitos:

  • O dente a ser selado deve estar livre de cáries. Em alguns casos, a técnica pode ser usada para tratar lesões incipientes.
  • O elemento dentário deve estar completamente erupcionado. Se ele ainda não terminou de nascer será necessário aguardar.
  • Os selantes dentais não podem ser colocados sobre uma obturação. Se o dente já está restaurado, não precisa ser selado.
Cárie em uma criança.
Os selantes não podem ser colocados sobre obturações ou em superfícies que já apresentam cáries avançadas.

Quanto tempo duram os selantes dentais?

A duração dos selantes depende muito da correta execução do procedimento. Mas, de modo geral, eles podem durar entre 5 a 10 anos.

Nas consultas regulares de controle com o dentista, o profissional deve revisá-los para avaliar a integridade e determinar se é necessário substituí-los. Se em algum momento o paciente sentir que não consegue morder confortavelmente ou que o material saiu, o ideal é ir ao dentista.

Caso o material se desprenda, o procedimento pode ser realizado novamente no mesmo dente.

Higiene bucal

Embora os selantes dentais sejam um método eficaz de prevenção de cáries, são necessárias outras medidas para cuidar da boca. A higiene bucal em casa, com uma escovação correta três vezes ao dia e o uso de creme dental com flúor e fio dental são essenciais.

Também é necessário prestar atenção à alimentação para manter uma boca saudável. Uma dieta nutritiva e variada com baixo consumo de açúcar ajuda a cuidar dos dentes.

Visitar o dentista a cada seis meses permite monitorar o estado da boca e detectar quaisquer problemas que possam surgir de forma precoce. Quanto mais cedo os problemas orais forem tratados, melhor será o prognóstico e mais fácil e confortável será o procedimento.

Além disso, o profissional indicará a melhor forma de incorporação de flúor na boca de acordo com a necessidade de cada caso. A combinação deste elemento com selantes dentais protege a superfície dos dentes de ácidos e bactérias.

Com hábitos saudáveis e medidas preventivas como selantes dentais as cáries podem ser evitadas. Consulte com o seu dentista se é possível aplicar este tipo de tratamento nos seus dentes ou nos da sua família.

Ter um sorriso lindo e saudável depende muito da sua atitude e do seu compromisso em cuidar da boca. Ao conhecer esse tipo de procedimento, você tem mais informações para poder cuidar da sua saúde bucal.

Pode interessar a você...
11 dicas simples para prevenir as cáries
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
11 dicas simples para prevenir as cáries

As cáries são a doença de maior prevalência no mundo e muitos não sabem como manter uma boa higiene bucal. Confira dicas para prevenir as cáries.



  • Community Preventive Services Task Force. (2019). Preventing Dental Caries: School-based Dental Sealant Delivery Programs. Atlanta, GA: US Department of Health and Human Services, Community Preventive Services Task Force; 2016.
  • Padrón, G., de los Ángeles, M., Sáenz Guzmán, M., Hernández, D., & González, E. (2002). Los Sellantes de Fosas y Fisuras: Una alternativa de tratamiento” Preventivo o Terapéutico” Revicion de la literatura. Acta Odontológica Venezolana40(2), 193-200.
  • Enríquez, R. A. S., Mendoza, C. L., & Rebollo, M. E. T. (2019). Enseñanza en biomateriales dentales: el caso de los selladores de fosetas y fisuras. REVISTA MEXICANA DE MEDICINA FORENSE Y CIENCIAS DE LA SALUD4(1sup).
  • Luengo, J. A., Martínez, S. M., Medrano, L. E. C., & García, I. T. (2020). Retención y efecto anticariogénico de los selladores en molares primarios. Ensayo clínico controlado. Revista de Odontopediatría Latinoamericana4(1), 29-40.
  • Ahovuo‐Saloranta, A., Forss, H., Walsh, T., Hiiri, A., Nordblad, A., Mäkelä, M., & Worthington, H. V. (2013). Sealants for preventing dental decay in the permanent teeth. Cochrane Database of Systematic Reviews, (3).
  • Feldens, C. A., Hebling, J., dos Santos-Pinto, L. A. M., & Kramer, P. F. uso de selladores capítulo.
  • López Gutiérrez, H. J., Ordoñez Olivas, W. A., & Zamora Orozco, M. J. (2017). Estado de los selladores de fosas y fisuras posterior a 6 meses de su aplicación en los pacientes de 6 a 9 años atendidos en la clínica odontológica de la UNAN-Managua, en el periodo de febrero a junio 2016 (Doctoral dissertation, Universidad Nacional Autónoma de Nicaragua, Managua).
  • Colombo, S., & Paglia, L. (2018). Dental Sealants. Part 1: Prevention First. European journal of paediatric dentistry19(1), 80-82.
  • Sealants, R. B. (2018). Dental Sealants Part 3: Which material? Efficiency and effectiveness. European journal of paediatric dentistry19, 247.
  • Crall, J. J., & Donly, K. J. (2015). Dental sealants guidelines development: 2002-2014. Pediatric dentistry37(2), 111-115.