Diferentes tipos de mastite e suas características

A mastite é uma condição que pode causar inflamação e dor nos seios. Frequentemente, sua origem é infecciosa e ocorre durante a amamentação. No entanto, também pode ocorrer durante a menopausa. Saiba mais detalhes a seguir.
Diferentes tipos de mastite e suas características

Última atualização: 29 Novembro, 2020

Existem diferentes tipos de mastite; entretanto, seja qual for o tipo, muitas vezes é uma experiência dolorosa e frustrante para uma mãe que está amamentando seu filho. Essa condição, na verdade, é uma das principais causas do abandono da amamentação.

Quais são as suas consequências? O que é mais preocupante é que tanto a mãe quanto o bebê sofrem os efeitos da mastite. A mãe do ponto de vista psicológico e de saúde, e a criança por estar exposta a um maior risco de morbimortalidade.

Portanto, é um problema que merece atenção, principalmente se a sua manifestação for severa. A seguir, explicamos quais são as suas características e qual é o tratamento recomendado para cada tipo.

O que é a mastite?

Existem várias definições do que é mastite. Na maioria delas, porém, as palavras inflamação e infecção das glândulas mamárias estão sempre presentes. É uma condição que costuma afetar mulheres que estão amamentando; no entanto, também existe uma forma de mastite que se apresenta sem a lactância.

Quanto à etiologia da mastite, a primeira causa é a retenção de leite, seguida da infecção. O leite materno contém substâncias que, ao permanecerem em contato com a glândula mamária por algum tempo, podem desencadear a resposta inflamatória e infecciosa.

A incidência é relativamente alta; cerca de 10% das mulheres que amamentam podem sofrer de mastite. Além disso, quase sempre é unilateral, embora possa ocorrer em ambas as mamas. Geralmente ocorre nos primeiros três meses após o parto, entre a segunda e a terceira semanas.

Amamentação e mastite
A mastite geralmente ocorre durante o período de amamentação devido a processos infecciosos.

Isso pode te interessar: Mastalgia: o que é e quais são suas causas?

Tipos de mastite

Como já comentamos, existem vários tipos de mastite. As mais comuns são a típica, subaguda ou subclínica e recorrente. Existem outros tipos menos frequentes, como tuberculosa ou granulomatosa. A seguir, iremos abordá-las em detalhes.

Mastite típica

A mastite típica é caracterizada pelo desenvolvimento total da infecção. Portanto, apresenta um quadro clínico com a maioria dos sintomas. Dentre estes, podem-se observar os seguintes:

  • Febre até 39-40 °C, com eventuais calafrios.
  • Decaimento e dores nas articulações.
  • Inchaço; sensação de turgidez.
  • Dor ao contato, tanto no mamilo quanto na mama em geral.
  • Vermelhidão visível.
  • Sensação de calor.
  • Engrossamento da pele na aréola.
  • Formação de pequenos caroços subcutâneos.
  • Lesões no mamilo.
  • Irritação e rachadura do mamilo e aréola.

O tratamento da mastite típica visa tanto a infecção quanto os sintomas. Os antibióticos são recomendados por 7 a 10 dias. Além disso, podem ser usados ​​analgésicos, anti-inflamatórios e antipiréticos.

Mastite subaguda ou subclínica

  • Há dor de moderada a intensa.
  • Pode haver cãibras ou uma sensação de dor.
  • Não há sintomas externos, como vermelhidão, mas há endurecimento.
  • Pode ser diagnosticada por meio de exame de laboratório (cultura).
  • Para o seu tratamento, recomenda-se o consumo de probióticos. Além disso, a mulher pode fazer massagens e alongar a região peitoral.

Mastite recorrente

  • Refere-se à ocorrência de vários episódios de mastite durante a amamentação de uma mesma criança.
  • Pode ser causada por tratamento tardio ou inadequado.
  • A falta de correção na técnica de amamentação também afeta.
  • Às vezes, há uma patologia subjacente presente, como cistos ou tumores.
  • Outra causa possível é a infecção por Candida albicans.
  • Nesse caso, o tratamento é com antibióticos. Além disso, o médico prescreve analgésicos para a dor.

Mastite sem lactação

  • Também é conhecida como mastite periductal. Sua causa é desconhecida, embora esteja associada a mulheres que amamentaram por pouco tempo. Está ligada à menopausa, pois ocorre em mulheres com idades entre 45 e 55 anos.
  • Na maioria das vezes afeta o mamilo, mas às vezes afeta a mama inteira.
  • Seus sintomas vão desde inflamação, irritação e vermelhidão, até calor na área, dor, coceira e presença de caroços.
  • É detectada por ultrassom.
  • O tratamento é feito com antibióticos, anti-inflamatórios, analgésicos e cremes. Certos casos podem exigir cirurgia.
Mulher com mastite
Nem todos os tipos de mastite ocorrem devido à amamentação. Na verdade, algumas mulheres sofrem com ela depois de chegar à menopausa.

O que fazer em caso de mastite?

Se uma mulher que está amamentando suspeita que pode ter mastite, ela deve consultar o médico. No entanto, isso não significa que deva interromper a amamentação. Pelo contrário, a amamentação traz efeitos positivos. Se necessário, a mãe pode extrair o seu leite usando um dispositivo.

Outras recomendações gerais são as seguintes.

  • Mantenha uma postura adequada ao amamentar.
  • Massageie o peito.
  • Não use sutiãs apertados.

A mastite que não é tratada a tempo ou de maneira adequada pode levar a complicações. Por exemplo, se um ducto estiver bloqueado e houver acúmulo de pus (abscesso) na mama, pode ser necessária uma drenagem cirúrgica. Portanto, buscar atendimento médico é uma prioridade.

Pode interessar a você...
5 remédios naturais para aliviar a dor nos seios
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 remédios naturais para aliviar a dor nos seios

Os remédios à base de ervas ajudam a aliviar a dor nos seios. Neste artigo, trazemos mais detalhes sobre esse assunto. Confira!