Tipos de herpes

14 de novembro de 2019
Todos os tipos de herpes têm em comum o fato de causarem uma infecção. Além disso, depois que esta é superada, permanecem em estado de latência.

Os tipos mais comuns de herpes são os que variam entre 1 e 2 do herpes simples. Estima-se que cerca de metade da população tenha experimentado o herpes simples tipo 1 em algum momento da vida. Quanto ao herpes simples do tipo 2, é provável que tenha sofrido até um terço da população.

Nenhum dos tipos de herpes tem cura, mas existem medicamentos que reduzem os seus sintomas e diminuem a possibilidade de contágio para outras pessoas. De qualquer maneira, na maioria dos casos, uma pessoa com herpes pode levar uma vida completamente normal. Isso significa que podem ser reativados a qualquer momento da vida, causando problemas de saúde.

O herpes 

Herpes labial

O herpes é uma infecção causada por vírus pertencentes à família herpesviridae. Na sua forma simples, é caracterizada pelo aparecimento de pequenas vesículas que contêm fluido. Essas lesões podem ser muito dolorosas. Por vezes, rompem-se, formam úlceras e crostas, o que, por vezes, deixa uma cicatriz.

Existem 50 tipos diferentes de vírus do herpes. Eles têm em comum o fato de que todos podem causar uma infecção. Depois, permanecem latentes e podem ser reativados mais tarde, causando infecções recorrentes na pessoa afetada.

A palavra herpes vem da raiz grega “herpein”, que significa “’meandro. Sua propriedade de latência não foi descoberta até 1950, por Burnet e Budding. Alguns tipos de herpes podem causar dificuldades que afetam significativamente a qualidade de vida da pessoa afetada.

Tipos de herpes: Vírus Herpes Simples tipo 1 ou VHS-1

Este tipo de herpes afeta principalmente os lábios, a boca e os arredores. É mais frequente em crianças. É o herpes mais frequente, e geralmente é exacerbado por várias circunstâncias, como estresse, febre, exposição à luz solar, e até menstruação. Geralmente, as recorrências são mais leves que a primeira ocorrência.

Tipos de herpes: Vírus Herpes Simples tipo 2 ou VHS-2

Esse herpes afeta a área genital, e é mais comumente transmitido por contato sexual. As lesões produzidas são semelhantes às que aparecem nos lábios ou no rosto. O episódio inicial, com muita frequência, fica sem sintomas, por isso geralmente passa despercebido. Em vez disso, os episódios subsequentes geralmente são muito dolorosos do que a primeira aparição.

Se uma mulher tem herpes ativo do tipo 2 durante o parto, este pode ser transmitido ao bebê. Isso resulta no tipo de herpes neonatal. Eventualmente, este causa problemas no sistema nervoso e, em alguns casos, pode ter um resultado fatal.

O Zoster, um dos tipos de herpes

Este é um dos tipos de herpes que pode levar a complicações mais graves. A infecção original é a varicela. Em seguida, o vírus migra para as fibras nervosas sensíveis e permanece latente nos gânglios da raiz dorsal.

O novo reaparecimento do vírus dá origem ao herpes-zoster, que aparece ao longo da trajetória do nervo onde estava alojado. Geralmente é muito doloroso e, em alguns casos, gera sintomas que podem durar anos. Acredita-se que 20% da população possa manifestar essa forma de herpes.

Tipos de herpes: Vírus Epstein-Barr

Lesão de herpes

Em primeiro lugar, este tipo de herpes, está associado à mononucleose infecciosa. Em crianças, geralmente passa despercebido, mas em adolescentes se desencadeia a doença. Esta pode causar disseminação assintomática, o que significa que se contagia sem que os sintomas se façam presentes imediatamente.

Por outro lado, apenas em alguns casos causa complicações como meningoencefalite ou síndrome de Guillian Barré. É uma doença muito benigna em tenra idade.

Leia também: Como preparar um xarope de bardana para tratar o herpes labial

Citomegalovírus

Este vírus pode infectar uma média de 50% a 80% das pessoas. No entanto, é incomum se manifestar como uma doença. Normalmente permanece inativo nos rins, coração e glóbulos brancos.

Além disso, normalmente é reativado em pessoas que têm o seu sistema imunológico deprimido. É comum em pacientes com AIDS, por exemplo. Ademais, não possui sintomatologia específica e não existem medicamentos definidos exclusivamente para o seu tratamento.

Você pode estar interessado em ler também: Os 4 melhores remédios caseiros para tratar o herpes genital

Herpes do tipo 6, 7 e 8 

O HHV-6 foi encontrado pela primeira vez em 1986 em pacientes com AIDS. Acredita-se que esse vírus da família herpes seja a causa da roséola e também esteja associado a diferentes problemas neurológicos. Possui duas variantes:

  • HHV-6 tipo A: ocorre em crianças pequenas e não causa sintomas graves. Na adolescência é reativado com um quadro semelhante ao da mononucleose.
  • HHV-6 tipo B: Acredita-se que todos os adultos estejam infectados com o tipo HHV-6B, o que não causa sintomas, até onde se sabe.

Além disso, o HHV-7 também está associado a quadros de roséola. Enquanto isso, o HHV-8 está associado ao sarcoma de Kaposi. Todos esses tipos de herpes ocorrem principalmente em pessoas com AIDS ou imunossuprimidas.

 

  • Bonnane, M. M., Clemente, K. R., Balbier, I. G., Azahares, A. D., & Serrano, N. M. (2012). Referentes teóricos sobre algunos tipos de herpes. Revista Información Científica, 73(1).
  • Eagle, K., Kulkarni, A. G., & Brid, N. S. (1995). Herpes Zoster. New England Journal of Medicine. https://doi.org/10.1056/NEJM199506223322505
  • Strumia, R. (2016). Herpes simplex. In Dermatological Cryosurgery and Cryotherapy. https://doi.org/10.1007/978-1-4471-6765-5_81