Tipos de asma e suas características

A asma é uma patologia comum na população em geral. Portanto, conhecer detalhadamente seus agentes causais é essencial para encontrar o tratamento adequado para cada caso.
Tipos de asma e suas características

Última atualização: 09 junho, 2022

A asma é uma doença com vários tipos clínicos que é caracterizada pela inflamação crônica das vias respiratórias, o que dificulta o fluxo de ar para os pulmões. A Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que essa é uma patologia muito comum, pois até 7% dos adultos sofrem com ela.

Essa mesma instituição calcula que ocorram 250 mil mortes anuais por causa dessa doença. Embora existam mais de 235 milhões de pessoas com asma no mundo, 80% das mortes ocorrem em países de baixa renda.

Por isso, seja por empatia ou prevenção, mostraremos os tipos de asma e suas características. Se você quiser saber mais sobre o assunto, continue lendo!

O que é asma?

Segundo o Programa de Medicina Contínua, uma definição técnica da asma consiste em enfatizar que se trata de uma inflamação crônica nas vias aéreas acompanhada de episódios de sibilos, falta de ar, aperto no peito e tosse. Particularmente durante o período da noite, ela está associada a uma obstrução do fluxo aéreo, que é reversível.

Apesar disso, portais profissionais como a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos nos alertam o seguinte: nem todos os pacientes apresentam os mesmos sintomas e nem toda dificuldade respiratória está associada à asma.

Mulher com tosse asmática.
A asma apresenta tosse entre seus sintomas, além de chiado no peito.

Também pode te interessar: A relação entre rinite e asma

Tipos de asma

Além de uma definição estrita do termo, a Sociedade do coração, pulmões e sangue enfatiza que existem diferentes causas para a asma. De acordo com o  agente causal, uma série de tipos clínicos também podem ser catalogados. A seguir apresentaremos cada um deles:

Asma alérgica

De acordo com a Clínica Mayo, as alergias e a asma tendem a ocorrer juntas. Durante uma reação alérgica, as proteínas do sistema imunológico identificam erroneamente uma substância inofensiva como um patógeno em potencial.

Portanto, na tentativa de proteger o corpo, essas substâncias se ligam ao alérgeno e provocam respostas inflamatórias, coriza, olhos inchados ou reações na pele. Quando afeta as vias aéreas, o paciente sofre de asma. Mais de 100 tipos de células imunes e vias moleculares que podem provocar essas reações foram identificadas.

Asma sazonal

Segundo a Clínica Subiza, que é um centro de asma e alergia, o tipo extrínseco sazonal é a forma da patologia que responde a reações de hipersensibilidade a diferentes tipos de pólen. Embora esteja relacionada à variação alérgica, caracteriza-se por apresentar um padrão esperado durante os diferentes meses do ano.

Isso porque, para o paciente apresentar sintomas, o pólen deve estar em concentração suficiente na atmosfera, o que só acontece na época de floração das plantas que o produzem. Assim, este tipo de asma depende do ciclo biológico das plantas.

Asma não alérgica

Como indicam as fontes já citadas, a asma não alérgica ou intrínseca corresponde a 19% dos casos apresentados nas consultas. Já está claro que ela não responde a processos alérgicos de agentes externos mas, muito além disso, a etiopatogenia desta variação é desconhecida.

Além disso, foi demonstrado que as infecções da árvore brônquica pioram e exacerbam esse quadro clínico. A presença de bactérias ou vírus complica os sinais habituais da asma, levando a complicações.

Asma ocupacional

Segundo a Clínica Mayo, a asma ocupacional é aquela que ocorre devido à inalação de fumaças químicas, gases, toxinas, poeira e outros compostos durante a atividade laboral.

Não é uma diferença patológica em si, pois responde a um processo alérgico, imunológico ou um dano ao tecido pulmonar por agentes tóxicos, como os demais tipos de asma. A diferença é que, nesse caso, a condição está ligada ao trabalho.

Asma induzida por exercício

O termo preferido para esta variação é broncoconstrição induzida pelo exercício. Exercícios ou certos esforços podem provocar o estreitamento das vias aéreas, mas não a asma em si.

Resumindo, o paciente com asma irá apresentá-la independentemente de se exercitar ou não. A diferença é que esse esforço físico pode evidenciar os sintomas da doença.

Tipos de asma de acordo com o nível de gravidade

Asma alérgica sazonal.
A asma dos tipos alérgica e sazonal segue um padrão clássico de apresentação anual.

Uma vez esclarecidos os tipos de asma com base no agente causal, é hora de fazermos uma classificação final. Segundo organizações como a Healthychildren, a gravidade da doença propõe outro sistema de abordagem que é o seguinte:

  • Persistente leve: os sintomas desse tipo de asma ocorrem mais de duas vezes por semana, mas menos de uma vez por dia. O ataque asmático pode afetar a atividade, mas a capacidade pulmonar se mantém em 80% do esperado ou mais.
  • Asma persistente moderada: ocorre caso os sintomas aconteçam diariamente. Sem tratamento, a função pulmonar fica entre 60% e 80% do normal.
  • Persistente grave: os sintomas ocorrem com alta frequência. A função pulmonar fica abaixo de 60% sem tratamento.

Também é essencial notar que existe um tipo de asma intermitente na qual os sinais ocorrem menos de uma vez por semana. Enquanto a pessoa está fora dos episódios específicos, o paciente não apresenta dificuldades respiratórias.

O que lembrar sobre os tipos de asma?

Como vimos, os tipos de asma podem ser classificados de acordo com o agente causal que dá origem à patologia. O tratamento varia de acordo com a natureza da raiz do problema. Algumas abordagens são mais conservadoras, com inaladores usados apenas durante a atividade física, enquanto outras exigem o uso constante de medicamentos.

De qualquer forma, a asma tem um quadro clínico específico, além da variedade. Ela envolve inflamação, obstrução intermitente e hiperresponsividade das vias aéreas.

Pode interessar a você...
Bronquiolite: causas, sintomas e tratamento
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Bronquiolite: causas, sintomas e tratamento

A bronquiolite aguda (AB) é uma doença muito comum na infância. Sua incidência anual aproximada em qualquer lugar do mundo é de 10%.