O que é a tetralogia de Fallot?

28 Julho, 2020
A tetralogia de Fallot é uma doença cardíaca congênita que requer correção precoce. Vamos ver em profundidade quais sintomas e complicações esta doença apresenta.

A tetralogia de Fallot, apesar de ser uma doença bastante comum, requer intervenção precoce para não afetar a vida do paciente. Ao longo deste artigo, descobriremos quais sintomas ela apresenta, quais são as suas complicações e possibilidades de tratamento.

Como explica o artigo Tetralogía de Fallot en el paciente adulto. A propósito de un caso, esta doença constitui 10% de todas as doenças cardíacas congênitas. Sua intervenção precoce é necessária, pois pode causar sérias complicações e afetar a qualidade de vida dos que a desenvolvem.

Tetralogia de Fallot

A tetralogia de Fallot é caracterizada por apresentar estenose infundibular da artéria pulmonar, como observado pelo artigo “Tetralogia de Fallot: relato de caso e revisão da literatura”. Ou seja: o músculo sob a válvula é mais grosso e causa um estreitamento na saída do ventrículo direito.

Da mesma forma, esta cardiopatia congênita também pode apresentar um impulso aórtico. Isso significa que a aorta se apoia sobre a comunicação do septo ventricular e impede seu funcionamento correto.

Esquema da tetralogia de Fallot

Outra característica da tetralogia de Fallot é que ela pode manifestar hipertrofia do ventrículo direito. O músculo cardíaco aumenta a sua espessura, fazendo com que se esforce mais quando contrai devido ao estreitamento da saída do ventrículo.

Sintomatologia

A razão pela qual a tetralogia de Fallot deve ser operada o mais rápido possível é devido ao fato de seus sintomas serem graves. Veremos alguns pontos que nos permitirão conhecer um pouco melhor como isso afeta a qualidade de vida dos pacientes mais jovens:

  • Cianose: a pele e as mucosas ficam com uma coloração azulada que indica que há uma oxigenação fraca do sangue. Isso pode aparecer no rosto, mãos ou em qualquer outro lugar do corpo, e também na boca (cianose perioral).
  • Diaforese: sudorese que ocorre quando o bebê é amamentado, porque exige muito esforço e é difícil respirar (dispneia).
  • Acrocianose: os dedos das mãos e dos pés são caracterizados por estarem frios na maior parte do tempo. Apresentam cianose e diaforese.

As crianças também podem ter um sopro cardíaco. Da mesma forma, o atraso no seu desenvolvimento, a presença de cansaço devido à realização de exercícios físicos mínimos e até o desmaio podem nos alertar para a presença dessa cardiopatia congênita.

Você também pode se interessar: 7 sintomas de um sopro cardíaco: conheça-os!

Complicações

Cardiopatia congênita

É necessário aumentar a conscientização sobre a importância de tratar a tetralogia de Fallot o mais rápido possível. De fato, todas as crianças com esta doença cardíaca devem ser submetidas à cirurgia corretiva.

Sem tratamento, esta doença cardíaca pode levar à morte em tenra idade. Também pode levar a deficiências na idade adulta. Além disso, não tratar esta doença cardíaca congênita pode provocar infecções, como a inflamação de uma válvula cardíaca devido a uma infecção bacteriana.

Leia também: Detecção de anomalias congênitas no recém-nascido

Viver com a tetralogia de Fallot

Uma pessoa que se submete a uma cirurgia em idade precoce para tratar a tetralogia de Fallot pode levar uma vida normal. No entanto, é necessário acompanhamento médico ao longo da vida devido a certos riscos.

As pessoas que foram tratadas para esta doença cardíaca congênita correm risco de morte súbita a partir dos 35 anos, embora a porcentagem seja muito baixa. Além disso, as arritmias podem aumentar ao longo dos anos.

As gestantes com essa patologia devem ser submetidas a certos testes que avaliem seu estado de saúde, as arritmias e as medidas que devem ser tomadas (repouso absoluto, manter um peso saudável e evitar hábitos prejudiciais como, por exemplo, fumar).

Como vimos, nascer com a tetralogia de Fallot pode condicionar o resto de nossas vidas. No entanto, com cirurgia corretiva precoce e acompanhamento médico, você pode ter uma qualidade de vida completamente normal.

Esperamos que este artigo tenha esclarecido aspectos deste tipo de doença cardíaca que você talvez não conhecesse até agora. Isso o ajudará a tomar as medidas necessárias se alguém ao seu redor apresentar esta patologia em algum momento.

  • Alva Espinosa, Carlos. (2013). Tetralogía de Fallot: Actualización del diagnóstico y tratamiento. Revista mexicana de cardiología24(2), 87-93. Recuperado en 31 de marzo de 2019, de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0188-21982013000200004&lng=es&tlng=es.
  • Herranz Jordán, B.. (2009). Control de los niños con cardiopatía congénita en Atención Primaria. Pediatría Atención Primaria11(44), 639-655. Recuperado en 31 de marzo de 2019, de http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1139-76322009000500011&lng=es&tlng=es.
  • Pinzón, A. (2016). Central and peripheral cianosis. Acta Medica Colombiana41(4), 274-274.