Sonambulismo: um distúrbio do sono

24 de julho de 2019
O sonambulismo tem uma prevalência maior em crianças do que em adultos. A razão é que, o estágio de sono profundo não-REM, possui uma duração mais curta à medida que envelhecemos.

O sonambulismo muitas vezes desperta muito interesse pelas características estranhas e perturbadoras do comportamento das pessoas que o apresentam.

É um distúrbio do sono que se caracteriza porque a pessoa acorda parcialmente. A característica essencial do sonambulismo é a existência de episódios repetidos de comportamentos motores complexos que começam durante o sono profundo.

O sonâmbulo costuma fazer coisas ou conversar enquanto dorme, como esfregar os olhos, andar pelo quarto ou até sair de casa.

Além disso, um sonâmbulo tem a capacidade de desviar de objetos, mas a mente e a capacidade de raciocinar são muito alteradas. Pode-se dizer que a pessoa age e fala, mas não está consciente de nada que esteja acontecendo.

Estima-se que a prevalência do sonambulismo na população geral esteja entre 1% e 15%. O aparecimento ou persistência desse distúrbio em adultos é comum, embora seja muito maior em crianças. Geralmente não está associado a nenhum problema psiquiátrico ou psicológico.

REM e não-REM

  • REM – (sigla para Rapid Eye Movement ou “Movimento Rápido dos Olhos”)
  • NREM (sigla para Non Rapid Eye Movement ou “Movimento Não Rápido dos Olhos”)

Sonambulismo e o primeiro estágio do sono não-REM

O sonambulismo permite movimentos motores mas são inconscientes

Este distúrbio do sono ocorre durante o primeiro estágio do sono não-REM. Para entender melhor, explicaremos de maneira simples as diferentes etapas do sono.

Nem todo descanso ou sono é o mesmo quando nos deitamos. O sono é dividido em ciclos de aproximadamente 90 minutos que se repetem durante as horas em que dormimos.

Dentro desses ciclos, ocorrem diferentes estágios de dois tipos de sono: o sono lento e o sono paradoxal. Vejamos, a seguir, os diferentes estágios classificados no sono REM e no sono não-REM.

Sono não-REM

Durante o sono não-REM, ocorrem as seguintes fases:

  • Fase I ou estágio de dormência: compreende aproximadamente os primeiros 10 minutos de sono. É um estágio de transição, desde o momento em que estamos no período de vigília até estarmos adormecidos.
  • Fase II ou estágio do sono leve: ocupa cerca de 50% dos nossos ciclos de sono. Tanto a respiração quanto a frequência cardíaca diminuem. Durante esta fase é quando as pessoas têm o sonho típico de cair de um penhasco e acordar de repente.
  • Fase III ou estágio de transição: é um estágio curto, de apenas dois ou três minutos em que nos aproximamos do sono profundo.
  • Fase IV ou estágio do sono profundo: esta fase ocupa aproximadamente 20% do ciclo total do sono. É o mais importante ao determinar a qualidade do resto. É muito difícil acordar. É nessa fase que o sonâmbulo “acorda”.

Quer saber mais sobre o sono? Então leia: Transtornos do sono em adolescentes

Sono REM ou estágio paradoxal do sono

Abrange aproximadamente 25% do ciclo do sono e dura entre 15 e 30 minutos. Durante esta fase, temos um movimento constante dos globos oculares sob as pálpebras.

Esta fase é caracterizada por ter alta atividade cerebral, muito semelhante a quando estamos acordados, embora nossos músculos estejam bloqueados. É a fase em que sonhamos e captamos informações do exterior.

Causas do sonambulismo

As crianças são mais propensas a ter problemas durante o sono

Como dissemos no início do artigo, o sonambulismo tem maior prevalência em crianças do que em adultos. A razão é porque, o período de sono não-REM nos adultos é mais curto. Isso ocorre à medida que envelhecemos.

Esse distúrbio tende a ser hereditário. Além disso, a fadiga, a falta de sono e ansiedade estão associadas ao problema. Por outro lado, outros fatores que favorecem seu desenvolvimento são:

Se você estiver perto de uma pessoa sonâmbula, a primeira coisa que deve fazer é não se assustar e manter a calma. Logo depois, recomenda-se guiar a pessoa para a cama conversando com ela com um tom suave, com frases curtas e claras.

Não deixe de ler também: Crianças que querem dormir na cama dos pais

Tratamento

Em muitos casos, simplesmente melhorar a higiene do sono pode eliminar o problema. Se não melhorar com essas medidas, é aconselhável falar com um profissional para discutir os possíveis fatores que causam o distúrbio.

Alguns pacientes alegam que foram curados com técnicas como a hipnose. Além disso, há também tratamento farmacológico para tentar melhorá-lo.

No entanto, esse distúrbio tende a ser reduzido com o passar dos anos porque, como dissemos, à medida que envelhecemos, a fase do sono profundo é menor e há menos chances de acordar com sonambulismo.

  • Jiménez Genchi, A., & Medellín Puyou, S. (2007). El comportamiento durante el dormir como manifestación de epilepsia: una revisión del tema. Rev Mex Neuroci.
  • Montplaisir, J., Zadra, A., Nielsen, T., & Petit, D. (2010). Capítulo 35 – Parasomnias. Medicina De Los Trastornos Del Sue̱o. https://doi.org/10.1016/B978-84-8086-733-7.00035-8
  • matka, W. (2013). Sonambulismo infantil: la vida es sueño. Consumer Eroski.