O que é o sistema neuroendócrino?

09 Outubro, 2020
O hipotálamo é responsável, dentro do sistema neuroendócrino, por manter a homeostase do corpo. Quais características esse importante sistema possui? Descubra a seguir.

O sistema neuroendócrino é responsável pela produção e secreção de hormônios, substâncias químicas produzidas no organismo cuja função é regular a atividade das células e órgãos.

Esse sistema é composto por neurônios e glândulas responsáveis ​​pela síntese dos diferentes hormônios que controlam o crescimento, o metabolismo, o desenvolvimento e a função sexual do corpo.

As glândulas do sistema neuroendócrino secretam essas substâncias no sangue em situações necessárias. É através desse fluido que elas atingem as diferentes células e acionam suas funções.

Funções hormonais do sistema neuroendócrino

Os hormônios são os mensageiros químicos sintetizados pelo corpo. Portanto, eles transferem informações de um conjunto de células para outro para coordenar as funções de diferentes partes do corpo. Além de controlar muitas funções fisiológicas, eles também estão envolvidos no comportamento.

Conforme destacado pela publicação Fisiologia dos hormônios endócrinos, o sistema neuroendócrino possui inúmeras glândulas produtoras de hormônios. No entanto, as principais são:

  • Hipotálamo
  • Hipófise
  • Tireoide
  • Órgãos reprodutores
  • Outros: pâncreas, glândula pituitária

As glândulas podem ser de dois tipos: exócrinas e endócrinas. As primeiras secretam seus produtos através de dutos. As glândulas digestivas são exemplos de glândulas exócrinas. Já as endócrinas secretam hormônios diretamente no sangue e passam a atuar nos órgãos ou tecidos-alvo.

Hipófise
O sistema neuroendócrino possui inúmeras glândulas produtoras de hormônios, incluindo a hipófise.

Sistema neuroendócrino: o hipotálamo

O hipotálamo está localizado abaixo do tálamo, que fica logo acima do tronco cerebral. Sua principal função é manter a homeostase, ou seja, a estabilidade do ambiente interno do organismo.

O hipotálamo liga o sistema nervoso ao sistema neuroendócrino através da glândula pituitária. Sua função é secretar hormônios liberadores – que fazem com que outras glândulas secretem outros hormônios – e inibir hormônios que estimulam ou inibem a produção de hormônios na adenoipófise.

As células neurossecretoras do hipotálamo produzem o hormônio antidiurético e a ocitocinaEsses hormônios são transportados para a hipófise, onde são armazenados para a liberação posterior.

Leia também: Como regular os hormônios através dos exercícios

Sistema neuroendócrino: a hipófise

A hipófise está localizada na base do cérebro. Está ligada ao hipotálamo graças à eminência média. É composta por duas partes muito diferentes que funcionam independentemente:

  • Hipófise posterior ou neuro-hipófise: é considerada uma expansão do hipotálamo cuja principal função é armazenar e liberar os hormônios que dela decorrem, que são a ocitocina e a vasopressina, ou hormônio antidiurético (ADH).
  • Hipófise anterior ou adeno-hipófise: esta parte da hipófise não possui conexão nervosa. Atua como uma glândula renal e secreta hormônios que vão para as glândulas ou tecidos endócrinos.

Ocitocina

As principais funções da ocitocina estão relacionadas à reprodução. Ela estimula a secreção de leite pelos seios durante a lactação e promove contrações uterinas no momento da fertilização e do parto.

Hormônio antidiurético ou ADH

Esse hormônio causa a reabsorção de água nos rins. Portanto, a produção de urina diminui. Além disso, contribui para a homeostase, pois regula o volume sanguíneo, o equilíbrio eletrolítico e a pressão arterial.

Sistema neuroendócrino: tireoide

Quando o hormônio TSH da hipófise anterior atinge a glândula tireoide, é produzido o hormônio tireoidiano. Este tem como principal papel regular os processos metabólicos e, principalmente, o uso de carboidratos. Além disso, também influencia o crescimento e o desenvolvimento, tanto do corpo quanto do sistema nervoso.

Quando há um déficit desses hormônios no sistema neuroendócrino, diz-se que a pessoa sofre de hipotireoidismo. No polo oposto, a doença é chamada de hipertireoidismo.

Regulação da tireoide
Uma deficiência de hormônios da tireoide no sistema neuroendócrino resulta no surgimento do hipotireoidismo.

Órgãos reprodutores: hormônios sexuais

Existem três hormônios sexuais: andrógenos, estrógenos e progestágenos. As principais funções dos hormônios andrógenos são:

  • Promover o desenvolvimento, crescimento e manutenção dos órgãos reprodutores masculinos.
  • Promover o desenvolvimento de características secundárias masculinas.
  • Estimular o metabolismo das proteínas.

Você pode se interessar: 6 hormônios importantes para o ciclo da ovulação

Os estrógenos, como hormônios sexuais femininos, têm efeitos semelhantes aos andrógenos. No entanto, nas mulheres:

  • Promovem o desenvolvimento, crescimento e manutenção dos órgãos reprodutores femininos.
  • Promovem o desenvolvimento de características secundárias femininas.

Finalmente, temos os progestágenos. Esses hormônios preparam as paredes do útero para a implantação do óvulo fertilizado. Portanto, é o hormônio protetor do parto. Além disso, prepara os seios para secreção de leite.

Em suma, o sistema neuroendócrino participa de quase todos os processos que ocorrem constantemente dentro do corpo humano. Portanto, apesar de muitos desconhecerem suas funções, seu bem-estar é essencial para o bom funcionamento do corpo.

  • Psicobiolog, S. N., Psicoendocrinolog, L., & Hormona, P. G. (2004). Sistema neuroendocrino. Psicobiologia. https://doi.org/10.1145/2702123.2702592
  • Hernández, D. C., Guerra, R. S. T., Padilla, C. R., Tamez, P., Weber, R. J., & Flores, R. G. (2001). Regulaciónn neuroendocrina del sistema inmune. CIENCIA UANL.
  • Campbell M, Jialal I. Physiology, Endocrine Hormones. [Updated 2019 Feb 23]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538498/
  • Chrousos GP. Organization and Integration of the Endocrine System. Sleep Med Clin. 2007;2(2):125–145. doi:10.1016/j.jsmc.2007.04.004