Sintomas de câncer de orofaringe para conhecer

· 9 de janeiro de 2017
Posto que muitos sintomas do câncer de orofaringe podem ser confundidos com outras infecções, não devemos nos descuidar. O fato de não sermos fumantes tampouco nos livra desse perigo

O câncer de orofaringe não se associa apenas ao hábito do tabaco. Esta doença localizada na boca, língua, palato e faringe está relacionada também com os raios solares e com o vírus do papiloma humano (VPH).

Cabe dizer que, apesar de que este tipo de câncer não tem uma alta incidência, aparece sobretudo a partir dos 50 anos.

À medida que aumenta a expectativa de vida também se eleva a aparição desta enfermidade que, de maneira geral, é mais comum nos homens.

É importante conhecer seus sintomas iniciais, principalmente porque podem ser confundidos com simples herpes, aftas ou uma infecção bucal, coisas que todos já tivemos alguma vez.

O problema se complica mais nos não fumantes. Quando falamos do câncer de orofaringe, muita gente logo o associa apenas a pessoas fumantes.

Entretanto, fumantes ou não, todos nós temos probabilidade de sofrer com essa doença.

É então vital dispormos de adequada informação para nos advertirmos de seus sintomas na fase mais inicial.

Sintomas do câncer de orofaringe

A grande maioria dos cânceres de orofaringe  iniciam na forma de carcinomas.

Os carcinomas são um tipo muito específico de células em formato de escamas pequenas e planas. Não são apenas simples feridas, simples aftas.

É habitual que as pessoas com um sistema imunológico debilitado, acostumadas a terem infecções bucais, feridas ou sangramentos de gengiva, por exemplo, não percebam essa sintomatologia previa associada a esta enfermidade.

Descubra: Como fortalecer o sistema imunológico?

Entretanto, se o médico fizer uma exploração adequada dessa área da língua ou da faringe, pode diagnosticar.

Em seguida, é através de uma biopsia que se determina e confirma a presença deste tipo de doença oncológica.

Vejamos agora os principais sintomas.

Mudanças físicas na boca

Sinal do câncer de orofaqringe

  • O sintoma mais inicial do câncer de orofaringe é o desenvolvimento de pequenas feridas que nunca se curam.
  • Por outro lado, também é habitual a aparição de manchas vermelhas ou brancas tanto na área da língua, na gengiva ou, inclusive, nos cantos dos lábios.
  • É importante estar consciente de que qualquer mudança não habitual que não melhore com o passar dos dias, um médico deve ser consultado.

Pequenas moléstias que se agravam com o tempo

Outra das características mais habituais do câncer de orofaringe é a dor ao mastigar ou tragar. As pessoas que possuem dentadura postiça notam que, de um dia para o outro, suas próteses machucam, causam sangramentos e dor.

  • Até falar pode ser algo doloroso.
  • Mover a língua ou, inclusive, só com um toque na mandíbula aparece a dor, a moléstia persistente.
  • Além disso, a dor pode se irradiar até os ouvidos.

Descubra: Remédios naturais para a faringite

A sensação de ter “um nódulo” na garganta

Essa dificuldade para engolir, a sensação de ter sempre esse ardor tão habitual nas amígdalas ou, inclusive, chegar a tossir sangue em alguns casos, é algo que jamais deve ser descartado.

  • Cabe dizer, no entanto, que muitas vezes estas moléstias podem acontecer devido a algo sem importância e, inclusive, que esse tumor que se desenvolveu na área da faringe seja benigno.
  • O mais importante é encontrar um diagnóstico cedo e, para isso, é preciso estar atento a essas mudanças.

Perda de peso inexplicável

Pessoa com perda de peso por causa do câncer de orofaringe

A maioria das enfermidades oncológicas inicia com perda de peso. No caso do câncer de orofaringe, é comum que a pessoa deixe de ter fome e, inclusive, não consiga mastigar de maneira normal.

Além disso, o sistema imunológico sempre está com as defesas baixas e isso fará, sem dúvida, que se vá perdendo peso pouco a pouco.

Leia também: Atenção aos sangramentos nasais

Podemos prevenir o câncer de orofaringe?

Como geralmente comentamos, nenhuma enfermidade pode ser prevenida em 100%.

É possível, contudo, controlar seus desencadeantes para reduzir assim sua aparição, na medida do possível.

Este tipo de câncer associa-se a diversos fatores:

  • O tabaco
  • O álcool
  • O  vírus do papiloma humano (VPH). O tipo associado com o câncer de garganta (incluindo o câncer de orofaringe) é o VPH16.
  • A luz ultravioleta. O câncer de lábios, por exemplo, é mais comum nas pessoas que trabalham ao ar livre e que, portanto, estão mais expostos à luz solar.
  • Má alimentação e sistema imunológico debilitado.
  • Enfermidades genéticas como a Anemia de Fanconi.
Pciente consultando por câncer de orofaringe

Conhecendo seus desencadeantes, seria interessante que, sem obsessões, nos limitássemos a cuidar dos nossos hábitos de vida.

Por exemplo, deixar de fumar, comer de forma variada e equilibrada, assim como utilizar protetores solares para a pele e para os lábios, nunca será demais.

Por fim, o mais importante nestes casos é não ter medo. Não temer, por exemplo, assim como manter a consulta com o médico para que faça uma simples exploração.

Vale a pena ser uma pessoa precavida e lembrar sempre que a saúde nunca deve ficar em segundo plano.

  • Dedivitis, R. A., França, C. M., Mafra, A. C. B., Guimarães, F. T., & Guimarães, A. V. (2004). Características clínico-epidemiológicas no carcinoma espinocelular de boca e orofaringe. Rev Bras Otorrinolaringol70(1), 35-40.
  • Reis, S. R. D. A., Lima, C. R., Marchionni, A. M. T., & Setubal, M. G. (1997). Fatores de risco do câncer da cavidade oral e da orofaringe. I. Fumo, álcool e outros determinantes. RPG rev. pos-grad4(2), 127-32.
  • Castro, T. P. P. G., & Bussoloti Filho, I. (2006). Prevalência do papilomavírus humano (HPV) na cavidade oral e na orofaringe. Braz J Otorhinolaryngol72(2), 272-82.