5 sintomas comuns de retenção de líquidos

Você sabia que experimentar um cansaço e uma sensação de estar pesado, assim como inflamação nas extremidades, pode estar relacionado com a retenção de líquidos?
5 sintomas comuns de retenção de líquidos

Última atualização: 06 Novembro, 2020

Você sabe quais são os sintomas comuns de retenção de líquidos? Certamente, ao pensar sobre isso, talvez você se lembre do característico inchaço das pernas, mas ainda tem algumas dúvidas sobre quais outros desconfortos podem se manifestar ao mesmo tempo.

Não se preocupe, a seguir vamos falar sobre quais são os sintomas comuns de retenção de fluidos e outras informações de interesse que vão permitir prevenir e resolver melhor esse problema, de modo que não afete o seu bem-estar. Vamos lá!

A retenção de líquidos é um problema comum

A retenção de líquidos não é uma doença, mas um sintoma que pode surgir de várias causas. Pode ocorrer como resultado de um problema circulatório ou de alterações hormonais, mas também devido ao consumo excessivo de sal e outras questões.

Como pode causar desconforto no dia a dia, é aconselhável consultar o médico, descobrir sua causa, saber quais medidas são apropriadas para aplicar e entender qual é o tratamento mais recomendado para o caso.

Geralmente, a retenção de líquidos afeta as extremidades inferiores. No entanto, também pode afetar outras áreas do corpo, como abdômen, membros superiores e até o rosto, em alguns casos.

Embora às vezes esse desconforto possa passar despercebido, quase sempre desencadeia uma série de reações no corpo devido à falta de controle que produz nos processos inflamatórios.

Por essa razão e para evitar complicações, é importante saber como se manifesta e quais são os hábitos que podem ajudar a controlar esse problema.

Sintomas comuns de retenção de líquidos que você não deve ignorar

Os casos leves de retenção de líquidos passam despercebidos ou se confundem com um leve ganho de peso corporal. Contudo, quando começa a se complicar, surgem uma série de sintomas que podem reduzir a capacidade de realizar algumas tarefas cotidianas.

1. Inflamação das extremidades

O primeiro dos sintomas comuns de retenção de líquidos é a inflamação das extremidades inferiores e superiores. Elas parecem mais volumosas do que o habitual e podem apresentar dificuldades circulatórias devido à pressão que o sistema valvular sofre com o excesso de água.

Outras regiões que podem ficar inflamadas por causa da retenção de líquidos são o abdômen, o peito e o rosto.

2. Sensação de peso

Devido a esse transtorno, é comum sentir uma forte sensação de corpo pesado, principalmente ao realizar algumas atividades de exigência física.

O acúmulo anormal de líquidos causa uma carga extra no peso corporal, o que afeta a saúde muscular, linfática e circulatória.

3. Celulite

Há muitos fatores que influenciam o surgimento da celulite nos glúteos e nas pernas. Contudo, por causa da retenção, ela pode se tornar mais notória e difícil de tratar.

Ainda que muitos tratamentos ajudem a reduzi-la, é primordial tratar o acúmulo de líquidos para poder notar uma melhoria.

* Para obter o tratamento apropriado para o seu caso, o mais adequado é consultar seu médico ou diretamente um dermatologista.

4. Cansaço e mal-estar geral

Quando há algo de errado no organismo, ele tenta compensar os desequilíbrios fazendo um esforço maior, o que costuma levar ao cansaço. Portanto, outro dos sintomas comuns de retenção de líquidos é o cansaço e o mal-estar geral.

5. Redução da urina

Como os rins não conseguem processar de forma ideal os líquidos no organismo, a urina se reduz e aumenta o risco de infecções no sistema urinário.

Como prevenir a retenção de líquidos?

Há muitos hábitos e remédios que podem ajudar a prevenir e tratar esse problema. Embora muitos fatores influenciem seu surgimento, melhorar o estilo de vida pode minimizar de forma significativa o risco.

Limitar o consumo de sal

O consumo excessivo de sal causa desequilíbrios no organismo que conduzem à retenção de líquidos.

Por esse motivo é importante limitar seu consumo, não apenas evitando o sal de cozinha, mas também reduzindo o consumo de alimentos como:

  • Embutidos.
  • Enlatados.
  • Queijos curados.
  • Doces e snacks.
  • Alimentos ultraprocessados.
  • Bebidas alcoólicas e com gás.

Aumentar o consumo de água

Um baixo consumo de água e bebidas saudáveis é um motivo principal pelo qual ocorre a retenção. Beber água regula a circulação e otimiza o trabalho dos rins.

Consumir alimentos diuréticos

Há uma ampla variedade de alimentos diuréticos que podem apoiar os processos que removem o excesso de líquidos do corpo. Alguns dos mais recomendados são:

  • Abacaxi.
  • Melancia.
  • Melão.
  • Gengibre.
  • Alcachofra.
  • Beterraba.
  • Aspargos.

Evitar as roupas justas

A roupa muito justa impede a circulação correta do sangue e pode influenciar no surgimento de edema, varizes e outras dificuldades.

Fazer exercício físico

O sedentarismo pode causar desequilíbrios inflamatórios no organismo e dar lugar a problemas de circulação e retenção.

Fazer exercício físico regular, por pelo menos 20 ou 30 minutos por dia, ativa a circulação, melhora o processo de oxigenação celular e apoia os processos que ajudam a manter o organismo limpo e em equilíbrio.

Se você tem retenção de líquidos, deve melhorar seus hábitos

Agora que você já conhece os sintomas comuns de retenção de líquidos, pode prestar mais atenção caso sinta algum deles

Se você acha que sofre de retenção de líquidos com frequência, comece a melhorar seus hábitos de vida o mais rápido possível. Ao fazer isso, você notará uma grande melhora a cada dia. Contudo, não se esqueça de consultar o seu médico e seguir suas instruções.

Pode interessar a você...
5 infusões diuréticas para eliminar líquidos do corpo
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 infusões diuréticas para eliminar líquidos do corpo

Se você estiver seguindo um tratamento para controlar a retenção de líquidos, deve consultar o médico antes de consumir infusões diuréticas.



  • De Micheli, Alfredo. “Miguel Servet y la circulación sanguínea pulmonar.” Archivos de cardiología de México 73.3 (2003): 171-174.
  • Echevarría, Miriam, and Rafael Zardoya. “Acuaporinas: los canales de agua celulares.” Investigación y ciencia 12 (2006): 60-67.
  • Figueroa-Damián, Ricardo, et al. “Consumo de agua en el embarazo y la lactancia.” Acta Pediátrica de México 34.2 (2013): 102-108.