Sinais de alerta de um acidente vascular cerebral

Para socorrer alguém com derrame cerebral o mais rápido possível e evitar consequências graves, devemos conhecer os sintomas iniciais e não descartar nenhum sinal.

O acidente vascular cerebral (AVC), ou derrame cerebral, está relacionado com a hipertensão arterial, sedentarismo e excesso de radicais livres.

Fumar, ingerir bebidas alcoólicas em excesso e estar sob um elevado nível de estresse também aumenta a probabilidade de sofrer um AVC.

Este artigo dirá quais são os sinais de alerta sobre a ocorrência de um derrame.

O que se deve saber sobre o AVC

Quando o sangue não flui adequadamente para o cérebro, as células não recebem os nutrientes e oxigênio de que necessitam para funcionar e, por essa razão, morrem.

As doenças vasculares cerebrais são a terceira principal causa de morte no mundo ocidental e a primeira por invalidez permanente. É também um dos gatilhos de déficit neurológico em idosos.

O acidente vascular cerebral ou AVC é classificado em diferentes tipos, dependendo da área afetada no cérebro:

Veja também: Poderosa bebida de cúrcuma, canela e mel para estimular o seu cérebro

Isquêmico

acidente-vascular-cerebral

Também chamado de ataque oclusivo ou enfarte cerebral. Acontece quando, de repente, o fornecimento de sangue para o cérebro é interrompido devido à obstrução de algumas artérias responsáveis pelo transporte de sangue para a massa cerebral. Pode ser causado pelo acúmulo de cálcio, um êmbolo ou arteriosclerose.

Hemorrágico

Ocorre quando um vaso sanguíneo cerebral se rompe, seja por aneurisma congênito ou pico de hipertensão.

Esta hemorragia causa acidente vascular cerebral porque priva a área do cérebro de receber sangue ou porque o sangue exerce pressão sobre as estruturas cerebrais.

Uma vez removido o coágulo, é necessário aguardar entre 24 e 48 horas para determinar qual a área afetada.

Como detectar um acidente vascular cerebral

acidente-vascular-cerebral

Não importa a causa ou o tipo de acidente vascular cerebral, esta será sempre uma emergência médica que acontece de repente e em poucos minutos e poderá deixar graves sequelas permanentes.

A quantidade de sangue determina se o acidente vascular cerebral é leve ou grave.

A gravidade dos danos pode variar conforme a rapidez do atendimento médico recebido, e por isso é tão importante estar ciente dos sinais de alerta emitidos pelo corpo.

Se você está em um grupo de pessoas que correm maior risco de ter um acidente vascular cerebral, é necessário ficar mais atento aos seguintes sinais de um possível ataque:

Tonturas e dificuldade para andar

  • Quando o fluxo de sangue para o cérebro diminui, você poderá sentir tonturas repentinamente.
  • Além disso, pode perder o equilíbrio ou falta de coordenação e tropeçar.
  • Qualquer movimento que requer atenção será afetado.

Fraqueza ou dormência

dormencia-mao

Não é possível levantar os braços (um de cada vez ou dois ao mesmo tempo) ou mantê-los no ar.

Pode surgir dormência ou dificuldade para levantar um objeto, por mais leve que ele seja. Alguns soltam o que têm na mão porque não conseguem segurar mais.

Além disso, pode ocorrer formigamento ou dormência nas pernas: é necessário sentar-se e ficar parado por alguns segundos, uma vez que nenhum dos membros responde.

Dificuldade para falar

A confusão surge não somente ao querer andar ou se mover, mas também no momento de se expressar.

Fala arrastada, incapaz de encontrar as palavras adequadas para explicar alguma coisa ou dizer incoerências podem sinalizar acidente vascular cerebral.

Paralisia facial

A pessoa, além de não ser capaz de se expressar-se facilmente, perceberá que uma parte do rosto se mantém “paralisado”.

Se alguma vez você foi ao dentista e recebeu uma anestesia dentária, provavelmente, sentirá algo similar. Perde-se a capacidade de sorrir ou abrir um dos olhos. Quase sempre as paralisias acometem um lado da face.

Acrescentam-se a tudo isso problemas visuais típicos de um acidente vascular cerebral, como visão desfocada, borrada, dupla ou obscurecida.

Recomendamos que você leia: Uma “coluna vertebral biônica” ajudaria as pessoas com paralisia a voltarem a caminhar

Enxaqueca severa

mulher-com-enxaqueca

Todo mundo já experimentou dores de cabeça, inclusive as mais fortes. No entanto, em um acidente vascular cerebral, a enxaqueca é tão intensa que impede de fazer qualquer outra coisa.

Ela aparece de repente e é acompanhada por tonturas, náuseas ou vômitos. Em alguns casos (acidente vascular cerebral hemorrágico) pode até causar desmaios.

A principal característica desses sinais é que eles podem aparecer sem que a pessoa perceba. Muitos pensam que o indivíduo está distraído, cansado, confuso ou até mesmo bêbado.

Quando os sintomas aparecem durante alguns segundos ou minutos e, em seguida, desaparecem, estamos diante de um acidente vascular cerebral transitório, mas não se pode desprezá-lo.

É um sinal claro de que o sangue não está chegando corretamente ao cérebro e no futuro poderia causar um ataque grave.

Em qualquer caso, é preferível chamar os profissionais médicos de emergência e fazer um diagnóstico do problema.

Muitos enfermeiros e socorristas executam um teste in situ conhecido como FAST (um acrônimo que significa “rápido” em inglês) e significa Face Arm Speech Test (teste de rosto, braços e fala).

É composto por três partes:

  • Rosto: Analisar se há assimetria muscular involuntária nas características faciais.
  • Braços: Se o paciente não pode mover os braços de forma voluntária, ou se sente formigamento e dormência.
  • Fala: fazer uma série de perguntas para determinar se tem ou não dificuldade para falar ou a voz parece de alguém bêbado ou drogado.
Recomendados para você