Shiatsu: contribuições e benefícios para o corpo

· 18 de abril de 2018
Embora algumas pessoas possam relutar em receber uma massagem shiatsu, a verdade é que ela pode nos ajudar a equilibrar nossas energias e ter efeitos benéficos sobre a saúde.

A massagem shiatsu teve origem no Japão, embora ela tenha algumas contribuições da medicina tradicional chinesa (MTC). O que caracteriza o shiatsu é que, no momento de fazer a massagem, é aplicada pressão com intensidade moderada nas áreas afetadas. Nesta técnica, a massagem é realizada com o polegar, a palma da mão e os cotovelos.

A pressão com o polegar coincide com os pontos de acupuntura da medicina tradicional chinesa. Técnicas de massagem, alongamento e mobilização também são usadas, mas em menor grau.

Como é uma sessão de massagem shiatsu?

Massagem shiatsu

A sessão de shiatsu acontece em uma sala espaçosa e arejada. Não é necessário se despir, mas usar roupas confortáveis ​​que não perturbem o corpo. A sessão geralmente ocorre no chão ou em um tatame que não seja muito mole.

Você tem a opção de ouvir música ou receber a massagem em silêncio.

  • Quando o paciente está posicionado corretamente, o massagista executa o chamado “Chi”, que consiste em girar as energias através do corpo. Desta forma, ele conhece os possíveis problemas que o paciente possa ter.
  • Então ele exercerá uma pressão firme nas áreas que precisam de tratamento.

Como a massagem shiatsu pode ajudar

É um bom método de medicina preventiva, já que a massagem estimula o sistema imunológico e o poder curativo natural do corpo humano. Além disso, estimula um equilíbrio integral do corpo e da mente.

Algumas das doenças que o shiatsu pode tratar são:

  • Problemas nas costas
  • Dores de cabeça e enxaqueca
  • Mobilidade reduzida
  • Dores crônicas ou agudas
  • Dores menstruais
  • Lesões esportivas
  • Depressão
  • Estresse

Efeitos da sessão de shiatsu

Mulher recebendo massagem

A dor e o nervosismo são respostas naturais do corpo quando há um desequilíbrio.

Também pode ser que, devido ao efeito energético e físico do shiatsu, algumas sensações desagradáveis ​​apareçam, como distúrbios do sono, dores de cabeça ou necessidade de ir ao banheiro com mais frequência.

Com o passar das sessões, o corpo se acostumará e os efeitos benéficos do shiatsu serão despertados. Quando isso acontece, a energia vital e o corpo encontram uma harmonia.

É aconselhável continuar praticando as sessões de shiatsu, pois com apenas uma você não conseguirá os resultados esperados.

Mesmo assim, o shiatsu não tem repercussões secundárias que afetam o corpo, devido ao fato de que nenhuma substância química é aplicada.

Outras características

O shiatsu zen é semelhante à acupuntura, mas sem agulhas e sem incidir diretamente em pontos específicos.

  • A acupuntura trabalha enquanto as agulhas estão no paciente.
  • Em contrapartida, o shiatsu ajuda a mobilizar a energia através do trabalho físico nos músculos e articulações, conseguindo uma maior flexibilidade e rotação dos mesmos.

No entanto, é importante notar que, em geral, a acupuntura tem efeitos mais poderosos do que o shiatsu, já que a agulha é mais precisa e funciona melhor.

Em suma, essa terapia oriental natural é muito útil para nos sentirmos melhor com nós mesmos, pois equilibra todas as partes do corpo e alivia as tensões.

É uma técnica muito boa para gestantes, pois elimina os bloqueios na pelve e no quadril, favorecendo sua mobilidade no momento do parto.

  • Além disso, é recomendada para problemas lombares, ciáticos e outras dores nas costas, como contraturas profundas.
  • Também é recomendada para pessoas com músculos muito rígidos, uma vez que o bloqueio é alcançado mais facilmente com manobras de shiatsu do que com uma massagem normal.
  • É adequado para tratar problemas de retenção de líquidos, dores nas pernas ou nos músculos.

Acima de tudo, o shiatsu ajuda o paciente a lembrar que a maioria das doenças vem do estresse externo e que uma mente calma é sempre sinônimo de um corpo equilibrado.

O shiatsu, ao ser uma terapia alternativa, tem pouca pesquisa científica comprovando seus resultados. Assim, existem poucos estudos que possam garantir que sejam métodos seguros e eficazes quando aplicados a um paciente.

O maior apoio que ele tem é o testemunho daqueles que fizeram essa terapia.