Radiculopatia: causas, sintomas e tratamento

19 de maio de 2020
Se você suspeitar de radiculopatia, é melhor consultar um médico. Um diagnóstico preciso é decisivo na escolha do tratamento apropriado. Saiba o que pode causar esta doença e quais são os sintomas que ajudam a reconhecê-la.

Certamente, você já deve ter ouvido o termo “radiculopatia” antes, mas talvez ainda não saiba o que é. Para saber em que consiste essa condição, primeiro você deve conhecer um pouco mais sobre a coluna vertebral.

A coluna vertebral é uma estrutura óssea formada por vértebras que, por sua vez, protegem a medula óssea e nos permitem circular livremente sem maiores dificuldades. As vértebras têm orifícios em cada um dos lados, dos quais saem os nervos que vão para as diferentes partes do corpo.

A parte do nervo que sai da vértebra é chamada de “raiz nervosa”. Uma radiculopatia é a compressão do nervo, mais precisamente da raiz do nervo. Quais são as suas causas? Quais manifestações clínicas ela apresenta? Responderemos a estas perguntas a seguir.

Causas da radiculopatia

Mulher com dor na lombar
É importante especificar a causa da radiculopatia, pois é disso que depende o tratamento.

A radiculopatia pode ser causada por:

  • Problemas do disco vertebral.
  • Osteófitos.
  • Espessamento dos ligamentos na região afetada.
  • Espondilolistese.
  • Diabetes mellitus.
  • Tumor na região afetada.
  • Escoliose grave.
  • Meningite.

Qualquer uma dessas causas poderá reduzir o espaço por onde o nervo passa e comprimi-lo.

Leia também: Hipermobilidade da articulação sacroilíaca

Sintomas

Como o problema ocorre na raiz nervosa, os sintomas geralmente surgem na parte do corpo que corresponde ao nervo afetado. Em geral, os sintomas são uma combinação de:

  • Dor, chamada de “dor radicular”.
  • Fraqueza ou dificuldade para controlar os músculos.
  • Maior sensibilidade à dor na região afetada (hiperalgesia).
  • Dormência e formigamento.

A localização desses sintomas dependerá do local da radiculopatia.

Radiculopatia cervical

Corresponde à coluna cervical. Os nervos nessa área controlam os músculos e a sensibilidade da pele do pescoço e dos braços. Na radiculopatia cervical, os sintomas geralmente são percebidos no braço, ombro ou pescoço.

Uma radiculopatia cervical pode causar dor e fraqueza no antebraço e formigamento em alguns dedos, por exemplo.

Radiculopatia torácica

Corresponde à coluna torácica. Esses nervos controlam os músculos e a sensibilidade da pele do peito e das costelas. Às vezes, é confundida com herpes zóster. É a menos comum de todas.

Radiculopatia lombar

Corresponde à coluna lombar. Os nervos nessa área controlam os músculos e a sensibilidade da pele dos glúteos e dos quadris aos pés. Portanto, os sintomas da radiculopatia lombar costumam ser observados na região lombar, quadril, pernas e pés.

Nos casos mais graves, o controle dos esfíncteres fica comprometido. Se a compressão ocorrer na saída do nervo ciático, o sintoma mais comum é a dor da região lombar até a sola dos pés, passando pela parte posterior da perna. Isso é conhecido como ciática.

Não perca: Exercícios simples para aliviar a dor no nervo ciático, das costas e do quadril

Tratamento

Fisioterapia para dor ciática
A fisioterapia e os exercícios podem ser suficientes para alguns pacientes com radiculopatia. No entanto, existem aqueles que necessitam de medicamentos e outras intervenções.

O tratamento deve ser direcionado para resolver a causa da compressão do nervo, pois restaurando o nervo à sua função normal, os sintomas desaparecerão.

A grande maioria dos pacientes com radiculopatia responde muito bem à fisioterapia e ao exercício. No entanto, em alguns casos, é necessário administrar medicamentos quando a dor é incapacitante.

O tempo desde o início dos sintomas até a resolução do problema pode variar muito de pessoa para pessoa, pois depende de dois fatores:

  • A severidade dos sintomas. Se houver muita dor, ela deverá ser reduzida primeiro para facilitar o tratamento da causa.
  • Causa da compressão nervosa. Uma fratura ou tumor pode exigir uma abordagem cirúrgica, que modifica o tratamento subsequente e varia o tempo de resolução. Por outro lado, um problema no disco pode ser tratado com um bom programa de exercícios.

Duas pessoas podem ter os mesmos sintomas, mas podem exigir tratamentos totalmente diferentes. Portanto, é importante consultar um médico. Quanto mais cedo a causa for determinada, mais bem-sucedido será o tratamento. 

Se você suspeitar de radiculopatia, procure um médico de confiança para avaliá-lo e ajudá-lo a decidir o melhor plano de tratamento.