Quais são as utilidades da graviola?

· 8 de outubro de 2014
Ainda que possamos tirar proveito de toda a planta, ou seja, folhas, frutos, talos, raízes e córtex, a parte mais medicinal da graviola são as suas folhas.

Trata-se de uma planta proveniente do México, Caribe, América do sul e central, do tipo perene e muito endêmica. É originária do Peru e tem muitas propriedades, tanto nutritivas quanto para a saúde. Conheça as utilidades da graviola, a seguir.

Características da fruta

A graviola é constituída principalmente por água, e sua polpa oferece dezenas de nutrientes, dentre eles encontramos altas doses de vitamina C; que ajuda a manter os níveis de antioxidantes do organismo saudáveis e equilibrados.

Além disso, conta com proteínas, sais minerais, potássio, cálcio, fósforo, ferro e lipídeos. É bom saber que tem um alto valor calórico devido ao seu teor de carboidratos; por isso não é aconselhável consumi-la em excesso caso esteja realizando uma dieta.

Vitamina de graviola

Usos da graviola

Porém, a polpa da graviola pode ser consumida como suco ou diluída em água para aproveitar seus benefícios diuréticos.

Além disso, é uma potente reguladora das funções do corpo, serve para combater a hipertensão, doenças das vias respiratórias (principalmente resfriados), depurar e manter a saúde do fígado; bem como regular os níveis de açúcar no sangue (ideal para pessoas que sofrem de diabetes).

Também é possível consumir suas folhas, que são excelentes para casos de pacientes com caxumba ou que sofrem de nervosismo e insônia. Usando uma mistura das folhas de graviola com um pouco de suas flores é possível preparar um chá adoçado com mel para tratar estados gripais ou diferentes convalescênças caso soframos de alguma doença ou tenhamos passado por alguma cirurgia.

A graviola tem poucos efeitos secundários, contudo não é aconselhável que mulheres grávidas a consuma em excesso (um pedaço de vez em quando é permitido). É possível aproveitar a planta em sua totalidade, ou seja, folhas, frutas, flores, talos, raízes e casca, visto que cada componente é medicinal.

A polpa é usada para preparar batidas, sucos, sorvetes e sobremesas. Seu gosto é doce e delicioso.

Também é conhecida como fruta-do-conde, Jaca do Pará, Sap-Sap, dentre outros termos, a depender da língua ancestral ou da região onde é cultivada. Igualmente, seu nome científico é Annona Muricata e é Frutal.

beba suco de graviola

Leia também: Comer graviola estimula o sistema imune

Usos medicinais da graviola

Suas sementes em pó servem como repelente para insetos quando untada na pele, a água das folhas é indicada para acabar com piolhos e lêndeas, basta aplicá-la diretamente no couro cabeludo.

É possível preparar uma batida com três folhas de graviola e uma xícara de água para tomar em jejum durante uma semana, isso melhorará os sintomas de uma quimioterapia ou de medicamentos muito fortes.

O fruto da graviola, quando consumido verde, é bom para tratar a icterícia, uma doença que afeta a coloração da pele, tornando-a amarelada. Basta cortá-lo em pedaços, tirar a semente e bater no liquidificador.

Em seguida,  é só coar para beber, adoçando com mel, já que nessa etapa terá um sabor um tanto amargo. Preparar um chá com as folhas dessa planta pode ajudar a conter hemorragias internas.

Lista completa das propriedades medicinais da graviola:

1. Combate a pressão arterial alta;

2. Serve para tratar a asma, uma doença caracterizada pela obstrução das vias respiratórias;

3. Dificulta o crescimento de células cancerígenas;

4. Reduz o aumento do açúcar ou glicose no sangue (diabetes);

5. Combate desordens hepáticas em geral;

6. Pode ajudar a reduzir tumores;

7. É um excelente inseticida, ajudando a eliminar insetos tais como os mosquitos;

8. É maravilhoso para tratar doenças causadas por amebas, que são parasitas tais como a lombriga intestinal;

9. É expectorante, ajudando a tratar doenças relacionadas com o sistema respiratório, dentre elas, a bronquite e a asma;

10. É vasodilatadora, graças as suas folhas, que previnem ou corrigem a má circulação e os derrames;

11. Suas folhas contêm um alto poder sedativo, servem para acalmar os nervos e o estresse, bem como ajudar a dormir melhor;

12. É anti-malária, amenizando os efeitos dessa doença, que são caracterizados por febre, dor de cabeça e dores musculares;

13. Favorece a secreção láctea, ideal para mulheres em fase de lactação que não apresentam uma produção de leite satisfatória;

14. É antiespasmódica, ajudando a prevenir ou tratar contraturas musculares involuntárias;

15. Combate as úlceras, facilitando a cicatrizar as feridas, além disso é muito boa para tratar a gastrite;

16. Além disso, é antidiarreica, seja a diarreia causada por infecções ou transtornos alimentares;

Efeitos secundários

Como é antimicrobiana, quando consumida em altas doses pode alterar a flora intestinal e causar prisão de ventre ou diarreias. Por isso, é preciso consumi-la com moderação, começando com uma dose mínima e ir aumentando aos poucos diariamente ou semanalmente.

Por outro lado, suas propriedades vasodilatadora, hipotensora e cardiodepressora não são indicadas para pessoas que sofrem de problemas cardíacos ou sanguíneos. Mulheres grávidas também não devem exceder no consumo, mesmo que seja boa para produzir leite depois do parto.

Saiba mais: 10 benefícios de consumir o suco de graviola

A graviola e o câncer

graviola

Em suma, um tópico para esclarecer sobre a relação entre a graviola e o câncer é de suma importância. Essa fruta é muito potente na luta contra o câncer ou em sua prevenção, e isso foi demonstrado depois de várias pesquisas.

Tanto sua casca como seus frutos, as folhas, as raízes, atuam nas células do corpo, podendo destruir as que não são boas. Além disso, servem para reduzir os sintomas advindos de sessões de quimioterapia, sem efeitos secundários comprovados, principalmente quanto a vômitos, enjoos e náuseas.

A graviola pode agir contra os cânceres de: mama, ovários, cólon, linfático, fígado, tireóideo, pâncreas, próstata, rins e pulmões.

  • TORRES, M. P. et al. Graviola: A novel promising natural-derived drug that inhibits tumorigenicity and metastasis of pancreatic cancer cells in vitro and in vivo through altering cell metabolism. Cancer Letters, 2012.
  • SUN, S. et al. Three new anti-proliferative Annonaceous acetogenins with mono-tetrahydrofuran ring from graviola fruit (Annona muricata). Bioorganic and Medicinal Chemistry Letters, 2014.
  • HANSRA, D. M. et al. Patient with Metastatic Breast Cancer Achieves Stable Disease for 5 Years on Graviola and Xeloda after Progressing on Multiple Lines of Therapy. Advances in Breast Cancer Research, 2014.
  • IOANNIS, P.; ANASTASIS, S.; ANDREAS, Y. Graviola: A Systematic Review on Its Anticancer Properties. American Journal of Cancer Prevention, 2015.