Próteses sobre implantes dentários: o que são e que tipos existem?

As próteses sobre implantes dentários são uma excelente alternativa para quem perdeu dentes. Além de garantir um bom resultado estético e restaurar a funcionalidade da cavidade oral, elas dão segurança ao paciente devido ao seu alto nível de fixação.
Próteses sobre implantes dentários: o que são e que tipos existem?

Última atualização: 13 Julho, 2021

A falta de um ou mais dentes não é apenas um problema estético, já que também compromete a funcionalidade da cavidade oral. As próteses sobre implantes dentários são uma alternativa para repor os dentes perdidos que muitos pacientes escolhem pelo conforto e estabilidade oferecidos.

Estas próteses são mantidas no lugar por implantes dentários que consistem em parafusos de titânio inseridos nos ossos dos maxilares. Devido à sua biocompatibilidade, o metal se integra ao tecido ósseo, atuando como ponto de apoio para uma coroa ou prótese maior.

Neste artigo, vamos falar sobre os diferentes tipos de próteses sobre implantes e em que casos elas são úteis. Também vamos explicar os detalhes do tratamento e seus benefícios.

Tipos de próteses sobre implantes dentários e seus benefícios

As próteses sobre implantes dentários são estruturas com dentes artificiais que substituem os perdidos fixando-se nos implantes dentários inseridos na mandíbula. Elas diferem das próteses convencionais por se manterem no lugar não apenas pela gengiva, mas também pelos parafusos de metal que são inseridos no osso.

As próteses sobre implantes proporcionam muitos benefícios ao paciente. Entre eles estão os seguintes:

  • Estabilidade: geralmente têm pouca ou nenhuma mobilidade. O paciente pode falar e mastigar sem que a prótese se solte ou se mova, mesmo comendo alimentos duros e pegajosos.
  • Conforto: por ter um bom ajuste e menos atrito com as mucosas, o paciente se acostuma com a presença da prótese, exercendo as funções orais com naturalidade.
  • Conservação óssea: a presença de implantes no tecido ósseo e a recepção dos estímulos gerados pela prótese auxiliam na retenção da massa óssea, prevenindo a perda da mesma.
  • Naturalidade: é o método de reabilitação mais semelhante à estrutura dentária, pois restaura a porção coronária dos dentes e também a porção radicular por ter um setor dentro do osso.
  • Recuperação de funções: o paciente recupera as funções de mastigação, fala e deglutição alteradas pela falta de dentes. O aspecto estético do sorriso também é restaurado.
  • Muitas possibilidades para cada caso: existem diferentes próteses sobre implantes dentários. Elas variam de acordo com a possibilidade ou não de remoção individual e com a quantidade de dentes a serem substituídos.
Tipos de próteses sobre implantes dentários e seus benefícios
Os implantes dentários consistem na introdução de um material biossintético no osso maxilar.

Prótese fixa

As próteses fixas são próteses dentárias que são fixas, cimentadas ou parafusadas a vários implantes osseointegrados. Como o nome indica, elas não podem ser removidas.

Elas substituem os elementos dentários dos maxilares com um número reduzido de implantes, que são dispostos em áreas especialmente escolhidas dos maxilares para apoiar a estrutura e cumprir as mesmas funções biomecânicas que as raízes dos dentes naturais.

São menores que as próteses tradicionais, pois consistem apenas na parte dentária, sem gengivas como outras próteses. Em geral, são usados ​​8 implantes para o maxilar superior e 4 para o inferior. Esses números variam de acordo com cada caso clínico.

Seu design é personalizado de acordo com suas possibilidades e as necessidades do paciente, podendo ser feitas de diferentes materiais. As mais comuns são feitas de metal e cerâmica, com acabamento semelhante à porcelana.

Atualmente, também são utilizadas as próteses fixas feitas de zircônia, que é uma cerâmica dura, muito resistente e de aspecto natural. Por serem compostas apenas por dentes parafusados ​​ou cimentados sobre os implantes, são quase imperceptíveis e muito confortáveis ​​para o paciente.

Sobredentaduras

As sobredentaduras são um tipo de prótese sobre implantes dentários semelhantes às próteses usuais, com a diferença de que utilizam parafusos no osso como elementos fixadores. Essa forte união da prótese com os implantes integrados ao osso dá à pessoa segurança e conforto ao mastigar e ao falar.

Elas utilizam ​​menos implantes do que as próteses fixas. Em geral, são suficientes apenas 4 para o maxilar superior e 2 ou 3 para o inferior. Por isso, é uma alternativa ideal para pacientes com perda de tecido ósseo.

Os sistemas de ancoragem são parafusados ​​aos implantes nos quais a prótese será inserida quando colocada. Esse sistema especial possibilita à pessoa retirar a prótese, mas oferecendo uma retenção muito maior. Isso permite a sua retirada para higienização após as refeições.

Híbridas

As próteses híbridas utilizam como suporte o apoio oferecido pelos implantes e pela mucosa gengival. São parafusadas aos implantes e só podem ser removidas pelo dentista.

Elas consistem em uma porção dentária e uma de gengivas rosadas, substituindo assim não apenas os dentes perdidos, mas também os tecidos moles. São indicadas para pacientes que apresentam reabsorção óssea significativa. Utilizam 6 implantes no maxilar superior e 4 no inferior.

Ao contrário das próteses fixas, as próteses híbridas são confeccionadas com materiais acrílicos ou compósitos de última geração, como as próteses convencionais, o que atribui a elas um aspecto mais artificial. No entanto, melhoram a estética dental e proporcionam segurança e conforto à pessoa.

De acordo com o número de dentes

Outra classificação para as próteses sobre implantes dentários se baseia no número de dentes a serem substituídos. É a seguinte:

  • Unitárias: substituem um único dente perdido. Consiste em um único dente artificial que se fixa a um implante, devolvendo à boca uma estética e harmonia de aspecto natural.
  • Parciais: substituem vários dentes de maneira fixa.
  • Totais: substituem todos os dentes da boca, em uma ou em ambas as arcadas. Podem ser fixas, removíveis ou híbridas.

Como é o processo de colocação de uma prótese sobre implantes dentários?

O planejamento e a colocação de uma prótese sobre implantes dentários constituem um processo longo e lento. A fase de diagnóstico prévio e a fase de cicatrização do implante devem ser consideradas.

É necessário começar com um diagnóstico completo, com extensos estudos clínicos e radiográficos antes da colocação. Isso permite saber a espessura e a qualidade do osso no qual serão fixados os parafusos.

Além disso, o tipo de prótese a ser colocado é escolhido conforme o caso clínico. Isso também determina o número de implantes a serem colocados e a localização de cada um. Em alguns casos, é necessário realizar um enxerto ósseo para aumentar a espessura do tecido que receberá os parafusos.

Depois de tudo isso, procede-se à colocação dos implantes no osso. Trata-se de uma cirurgia feita sob anestesia local em que o dentista insere os parafusos no tecido ósseo.

Demora de 2 a 6 meses para o implante de titânio se aderir ao osso, formando uma forte união para suportar a carga das dentaduras. Dependendo do tipo de prótese a ser usado, uma segunda cirurgia pode ser necessária para descobrir os implantes e colocar extensões ou localizadores. Durante esse período, o paciente pode usar dentaduras temporariamente.

Quando os implantes estão prontos, com seus elementos de fixação específicos para o tipo de prótese a ser utilizada, inicia-se a confecção da prótese. Uma vez fabricada e testada, ela é colocada na boca do paciente.

As próteses fixas e híbridas podem ser cimentadas ou parafusadas. No caso das sobredentaduras, o profissional ensina ao paciente como colocar e retirar esse tipo de prótese. Além disso, ele orienta o paciente sobre os cuidados que ele deve tomar para o uso correto da sua nova prótese.

Radiografia dos dentes
O planejamento do procedimento de colocação de uma prótese sobre implantes dentários é fundamental para o seu sucesso, pois envolve várias etapas.

Em quais casos as próteses sobre implantes dentários são recomendadas?

As próteses sobre implantes dentários são indicadas para recuperar os dentes perdidos. Elas são usadas ​​por pacientes que não têm os dentes no maxilar ou na mandíbula, ou em ambas as arcadas, e que apresentam perda óssea moderada.

Elas são ideais para quem não se sente confortável com as próteses comuns, principalmente pelo desconforto que seu uso implica ou pelo medo de que caiam. Em suma, elas contribuem para o aumento da confiança do paciente, ajudando a evitar problemas de autoestima.

Cuidados e conselhos em relação às próteses sobre implantes dentários

As próteses sobre implantes dentários são uma solução definitiva que ajuda as pessoas que perderam dentes a voltarem a mastigar, comer, falar e sorrir com confiança e segurança. Independentemente do tipo escolhido, seus cuidados e manutenção são essenciais para o sucesso da reabilitação.

É fundamental escovar os dentes, a língua e as gengivas com uma escova de cerdas macias, podendo, às vezes, ser necessário usar enxaguantes bucais.

No caso das sobredentaduras, é importante removê-las e limpá-las após as refeições. Quando elas não estiverem sendo usadas, devem ser colocadas em um copo de água limpa em um local seguro.

Visitas regulares ao dentista também ajudam a garantir o bom andamento do processo. Como você pode ver, é possível voltar a sorrir, comer e falar com confiança com as próteses sobre implantes dentários.

Pode interessar a você...
O que são as facetas dentárias?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
O que são as facetas dentárias?

Nos últimos anos, os facetas dentárias têm se popularizado no tratamento odontológico, pois contribuem para a estética dentária.



  • González, Fabián Pérez, et al. “Criterios de selección para sistemas de retención en sobredentaduras mandibulares implantorretenidas sobre dos implantes.” Revista internacional de prótesis estomatológica 19.1 (2017): 7-12.
  • Berro, Mariela, María Laura Samprón, and Emanuel Ricardo Tomaghelli. “Rehabilitación sobre implantes: Sobredentadura.” IV Jornadas de Actualización en Prácticas Odontológicas Integradas PPS-SEPOI (La Plata, 7 de julio de 2020). 2020.
  • Barreto, A. P., et al. “Sobredentadura mandibular:: opción de tratamiento rehabilitador.” Acta odontológica venezolana 55.1 (2017): 39-40.
  • Díaz Sarabia, Edinson Antonio, and José Antonio Balarezo Razzeto. “Tipos de prótesis sobre implantes en pacientes edéntulos planificados en la Clínica Dental Docente de la Universidad Peruana Cayetano Heredia.” (2019).
  • Díaz Reyes, Kusi Yveth. “Prótesis híbridas sobre implantes dentales, indicaciones, protocolo de manejo clínico y laboratorio.” (2017).
  • Zabalbú, Sirhua, and Jazmín Nozhatú. “Prótesis híbrida en pacientes edéntulo total.” (2017).
  • Navarro, Iván, et al. “Rehabilitación oral maxilar y mandibular con prótesis híbridas, utilizando implantes convencionales de una y dos fases e implantes zigomáticos en paciente con displasia ectodérmica. Caso clínico.” Odontología Vital 29 (2018): 77-83.
  • Villafuerte, Rolando F. Dau, Elizabeth C. Ortiz Matias, and Veronica R. Huacon Cherrez. “Eficacia del tratamiento con injerto óseo, prótesis fija e implantes en paciente con reabsorción del reborde óseo maxilar.” Dominio de las Ciencias 3.2 (2017): 33-45.
  • Angulo-Serrano, Aldo, Diana Quijandria-Briceño, and Sergio Alvarado-Menacho. “Rehabilitación Integral de un paciente con reabsorción ósea horizontal, mediante regeneración ósea guiada simultánea a la colocación de implantes.” Revista Estomatológica Herediana 28.2 (2018): 115-124.