Por que devemos deixar de usar o plástico e o teflon na cozinha?

26 de junho de 2015
Visto que os utensílios de plástico e teflon não são tão seguros quanto imaginávamos, deveríamos substituí-los por opções mais saudáveis, como o vidro ou a cerâmica.

Neste artigo explicaremos por que deixar de usar o plástico e o teflon pode ajudar a prevenir possíveis problemas de saúde a longo prazo.

Atualmente, existe uma tendência a prestar muita atenção aos ingredientes dos alimentos que consumimos, mas também é importante selecionar bem os recipientes e utensílios que usamos para manusear esses alimentos.

Possivelmente, você já deve ter ouvido algumas notícias sobre o perigo de usar determinados tipos de plástico ou outros materiais.

O bisfenol A

O bisfenol A, abreviado como BPA, é uma substância que forma parte de numerosas vasilhas de plástico.

Segundo uma grande quantidade de estudos científicos, o BPA pode afetar negativamente o equilíbrio hormonal e está relacionado com algumas patologias.

Exemplos seriam a diabetes, a obesidade, a infertilidade, o câncer de mama ou de próstata, os problemas cardiovasculares, as alterações no desenvolvimento neurológico e cerebral e  os transtornos do comportamento.

Na França, seu uso já está proibido e a União Europeia proibiu a venda de mamadeiras de plástico com esse componente, seguindo os passos dos Estados Unidos e Canadá.

Além do bisfenol A, existem outras substâncias potencialmente tóxicas como os ftalatos ou o poliestireno expandido.

A seguir vamos explicar como podemos evitar esses efeitos nocivos para a nossa saúde.

Descubra: 6 exercícios cardiovasculares para você fazer

agua-zsoltika-500x375

 

Como evitamos o BPA?

Todo vasilhame de plástico deveria levar um código de reciclagem impressa, geralmente na base. Deveríamos dar uma olhada nesse código para saber de que plástico se trata, já que não são todos que contêm o BPA.

Os plásticos que contêm mais quantidade do BPA são os numerados com 3, 7 e 10.

Leia também: 7 alimentos que você nunca deve guardar em recipientes de plástico

Segundo a Unidade Especial de Saúde Ambiental Infantil dos EUA, os plásticos menos prejudiciais, por outro lado, são aqueles com os seguintes números:

  • 1 (PETE).
  • 2 (HDPE).
  • 4 (LDPE).
  • 5 (PP).

Além de escolher esses plásticos quando não temos outra opção de vasilha, também é importante evitarmos reutilizar as garrafas de plástico, já que seu uso prolongado vai facilitando a liberação das substâncias tóxicas.

Por último, não devemos submeter o plástico com alimentos a altas temperaturas, o que inclui esquentar a comida no micro-ondas em vasilhas de plástico.

Este processo libera ainda mais facilmente os produtos químicos.

Sempre que puder, abra mão dos plásticos e inclusive das latas, já que, em geral, elas levam um revestimento interior que também é prejudicial, e opte pelos recipientes de vidro, cerâmica, madeira ou aço inoxidável. 

O teflon

Estudos científicos detectaram níveis importantes de teflon no sangue da maioria de pessoas, por causa do desprendimento gradual desse material antiaderente que recobre panelas, frigideiras e bandejas de forno, principalmente.

A substância tóxica relacionada com o teflon é o ácido perfluoroctânico (PFOA), que demonstrou ser potencialmente cancerígena.

frigideira-teflon-massdistraction-500x333

 

Alternativas ao teflon

Os antigos utensílios de alumínio também não são recomendados, já que a exposição a esse metal pesado está relacionada com a aparição de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer ou o Parkinson.

Portanto, os materiais mais saudáveis na cozinha são os seguintes:

  • Vidro.
  • Cerâmica.
  • Titânio.
  • Aço inoxidável.
  • Ferro fundido.
  • Barro natural.
  • Madeira.
  • Bambu.

tahine-Lisa-500x334

Como escolhemos?

Alguns desses materiais podem nos surpreender ou nos resultar desconhecidos, mas o certo é que cada vez há mais lojas que estão comercializando recipientes de materiais naturais que não incluem componentes tóxicos para a saúde a longo prazo.

Temos que pesquisar e ir testando essas panelas e frigideiras para encontrar as mais adequadas para cada tipo de cozimento, já que com algumas é fácil que a comida grude, com outras, vamos precisar de altas temperaturas, etc. Cada material tem os seus segredos.

Entretanto, desse modo também podemos descobrir novos tipos de cocção e inclusive se inspirar em outras culturas, como é o caso das vaporeiras de bambu para cozinhar ao vapor ou os tahines da cozinha árabe, elaborados com barro cozido.

Também temos quer levar os preços em consideração, já que, infelizmente, os produtos mais ecológicos e efetivos, como os de titânio, costumam ter preços altos.

Por outro lado, os de cerâmica se utilizam cada vez mais e podem ser encontrados a um bom preço.

  • Vandenberg, L. N., Hauser, R., Marcus, M., Olea, N., & Welshons, W. V. (2007). Human exposure to bisphenol A (BPA). Reproductive Toxicology. https://doi.org/10.1016/j.reprotox.2007.07.010
  • Rubin, B. S. (2011). Bisphenol A: An endocrine disruptor with widespread exposure and multiple effects. Journal of Steroid Biochemistry and Molecular Biology. https://doi.org/10.1016/j.jsbmb.2011.05.002