É possível ficar doente usando certas roupas?

· 26 de janeiro de 2019

Você sabia que alguns tecidos ou hábitos relacionados com as roupas nos fazer ficar doente? Não acredita? Então leia o seguinte artigo! Fique sabendo que dentro de nosso armário podem estar nossos piores inimigos, dos mais silenciosos que existem.

Consequências de usar a roupa muito apertada

A roupa não tem a culpa de ser muito justa, mas é bom saber que é possível ficar doente usando certas roupas muito apertadas, além de poder causar incômodos e podemos sofrer graves consequências.

Uma ardência ou dor no estômago logo após as refeições pode ser consequência de uma roupa que não estica o suficiente. Certos tecidos não cedem quanto os outros, portanto no momento em que você sentar para comer, talvez seja bom desabotoar um botão da camisa ou mesmo usar o cinto um pouco mais solto.

Dessa forma, você se sentirá mais confortável e a digestão ocorrerá melhor. Talvez você coma mais, mas a sensação de inchaço não aparecerá.

Cintos apertados podem te fazer ficar doente

Entre as doenças que aparecem que podem aparecer por causa dos cintos apertados, temos por exemplo:

  • a prisão de ventre,
  • as úlceras,
  • a dor de estômago,
  •  as náuseas
  • e a acidez estomacal

Camisas apertadas podem ser a razão pra sua falta de ar

A respiração superficial, ou seja, o ingresso deficiente de ar aos pulmões pode acontecer por causa de camisas apertadas. Se você ficar muito cansado e não conseguir fazer nada sem se sentir fadigado ou com dor de cabeça, talvez seja falta de oxigenação pelo seu corpo.

Permita que os pulmões, a caixa torácica (o peito) e o ventre se expandam cada vez que respirar.

Recomendamos também a leitura: Sabões ecológicos para lavar roupas

Calças muito apertadas causam celulite e problemas mais severos

A celulite o incomoda? Então deixe de usar calças jeans que apertem suas coxas! Os médicos indicam que o problema mais doloroso que surge como consequência de calças muito justas se chama “meralgia parestésica”.

Trata-se de uma compressão dos nervos das pernas e os sintomas são formigamento, adormecimento e ardor na parte externa da coxa, pode também provocar espasmos e muitas dores na região. É um mal frequente naquelas pessoas que passam o dia inteiro sentadas. O ideal é usar outro tipo de tecido, como o linho ou o algodão.

Outra das consequências para aqueles que possuem trabalhos muito sedentários é o edema ou inchaço das pernas e dos tornozelos. Mesmo que estes sintomas tenham uma relação direta com a falta de movimento, o uso de calças ou meias muito apertadas podem piorar o quadro, pois não permitem a livre circulação do sangue.

Existem meias de descanso (como aquelas usadas em longas viagens de avião) para que isto não aconteça.

Roupa-apertada

Por outro lado, podemos sofrer irritação, erupções e infecções, como fungos, por usar roupa úmida durante muito tempo. Por exemplo, em um dia de calor, chegamos suados ao escritório. Com o passar das horas e o uso do ar-condicionado, a camisa, a calça e a roupa íntima secam.

No entanto, antes disso, a umidade criou um ambiente perfeito para que fungos se proliferem, por exemplo. Isto acontece nos pés, na virilha e nas axilas.

Ao mesmo tempo, a roupa que demora em secar quando as estamos usando podem nos causar doenças, como a gripe. É necessário então usar roupas de algodão e de cor clara para que absorvam a umidade e, ao mesmo tempo, sequem o suor corporal.

Sapatos podem provocar certos incômodos

Por um lado, temos os saltos, que causam muitos problemas nos pés e na coluna das mulheres. Por outro lado, alguns sapatos muito fechados podem ser o lugar perfeito de proliferação dos fungos (pé de atleta) ou causar problemas, como dores lombares e fascite plantar.

O melhor calçado é o esportivo, quando temos que ir trabalhar podemos optar por algum que não aperte tanto o pé e que o deixe se mover com facilidade.

Recomendamos também a leitura: 5 dicas para evitar que os sapatos novos machuquem

É possível ficar doente por causa do modo de lavagem da roupa

Isso não quer dizer que não tenhamos que lavar a roupa, mas sim prestar atenção em determinados detalhes. Começamos pela tarefa de limpeza das roupas, algo que fazemos diariamente em nossa casa.

De acordo com um estudo da Universidade do Arizona, não é bom juntar as meias e as roupas íntimas com as demais peças de roupas no momento de lavá-las na máquina de lavar.

Cómo-quitar-manchas-ropa

Isto porque estas peças contêm certas bactérias inerentes que podem se propagar para as outras roupas. É verdade que, ao lavar, muitos destes micro-organismos desaparecem, mas nem todos. Germes, como a Salmonella e a Escherichia coli resistem a todos os ciclos de lavagem, principalmente de água fria e morna.

Por outro lado, lavar a roupa íntima com sabão em pó e amaciante pode causar erupções, coceira e eczemas na área genital, por exemplo. Alguns conselhos para que a lavagem não te faça ficar doente:

  • Use água quente em seus ciclos de lavagem.
  • Lave a roupa íntima por separado.
  • Tente lavar a roupa íntima e as meias com sabão neutro.
  • Se for a uma lavanderia, não use as lavadoras para a roupa íntima.
  • Lave as mãos logo depois de manipular a roupa suja.

A secagem da roupa também pode causar certas doenças

Uma reportagem da BBC indica que, hoje em dia, as casas apresentam uma grande quantidade de umidade em seus interiores devido ao hábito de secar a roupa.

Mesmo que as máquinas de lavar atuais deixem a roupa quase seca, podem conservar um pouco de umidade, o que está associado à proliferação de esporos de mofo e pó de ácaros, que afetam nossa saúde.

Quando secamos a roupa dentro de casa, por exemplo, quando chove ou não contamos com uma varanda ou quintal, essa umidade fica no ambiente e, os micro-organismos proliferados por causa da umidade, são aspirados pelas pessoas que vivem na casa causando doenças, principalmente, afecções respiratórias e infecciosas.

Para evitar ficar doente, não deixe de secar sua roupa em uma secadora ou mesmo comprar aquelas que funcionam com calor seco.

  • SCOTT, Elizabeth; BLOOMFIELD, Sally F.; BARLOW, C. G. An investigation of microbial contamination in the home. Epidemiology & Infection, v. 89, n. 2, p. 279-293, 1982.
  • KONKEWICZ, Loriane Rita. Prevenção e controle de infecções relacionado ao processamento das roupas hospitalares. www. cih. com. br/lavanderiahospitalar. htm. Acessado em, v. 16, n. 06, p. 04, 2012.
  • BARBOSA LOPES CAVALCANTE, Rosane. Ocorrência de Escherichia coli em fontes de água e pontos de consumo em uma comunidade rural. Ambiente & Água-An Interdisciplinary Journal of Applied Science, v. 9, n. 3, 2014.