8 plantas que você não sabia que eram comestíveis

· 28 de fevereiro de 2018
O desconhecimento faz com que a maioria das pessoas decida se livrar de certas plantas e ervas em vez de aproveitá-las para suas receitas.

Durante muitas décadas, descartamos uma grande variedade de plantas e arbustos que crescem de forma silvestre no campo ou no jardim por serem consideradas “ervas daninhas” ou “matagal”. No entanto, muitas delas são plantas comestíveis.

Na antiguidade, muitas dessas plantas foram usadas ​​de forma alternativa na cozinha, pois elas contêm importantes nutrientes essenciais.

Embora não sejam tão populares quanto as ervas tradicionais, elas são comestíveis e têm sabores exóticos que podem ser interessantes em muitas refeições.

É por isso que, antes de arrancá-las na próxima vez que estiver limpando seu jardim, propomos que você as deixe crescer para criar diferentes receitas cheias de sabor.

Você tem coragem de experimentar estas plantas comestíveis? Descubra as 8 melhores a seguir.

Plantas comestíveis que muitos não conhecem

1. Acelga-brava (Beta vulgaris)

Acelga-brava (Beta vulgaris)

A acelga-brava cresce em lugares mais ou menos férteis. É típico encontrá-las nos lotes de propriedades industriais que não foram cultivados ou nas proximidades das estradas.

  • Destaca-se pelo seu alto teor de vitaminas e minerais, superior ao da acelga cultivada.
  • Além disso, elas não possuem resíduos de produtos químicos.

2. Urtiga (Urtica dioica)

A urtiga é uma planta conhecida na medicina natural, pois suas propriedades facilitam o tratamento de vários sintomas que afetam a saúde.

No entanto, por suas vilosidades causarem coceira, é difícil pensar que ela pode ser incluída em vários pratos.

A verdade é que, quando submetida a temperaturas acima de 60 °C, a substância que causa coceira desaparece e facilita a sua inclusão nos pratos.

  • A urtiga fervida pode ser adicionada, por exemplo, em pratos com batatas.

3. Zimbro (Juniperus communis)

Zimbro (Juniperus communis)

O zimbro é um arbusto espinhoso que se caracteriza por suas frutas lilás que crescem nas florestas de pinheiros. Um tempo atrás, foi usado para a elaboração do gim.

Atualmente, poucos o usam. Apesar disso, suas folhas servem como tempero para ensopados, carnes e molhos.

  • Podemos triturá-las e adicioná-las a estes tipos de receitas, dado que elas fornecem um aroma de floresta que é muito interessante.

4. Escorcioneira (Reichardia picroides)

A escorcioneira é uma planta perene que cresce em terreno argiloso. A parte comestível são as folhas que saem da base antes da florescer.

  • Essas folhas podem ser usadas como alternativas em saladas.
  • Na verdade, elas podem ser consumidas sozinhas, pois são macias, carnudas e têm um sabor agradável.

5. Diplotaxis erucoides

Diplotaxis erucoides

Esta variedade de planta selvagem cresce entre as videiras e as oliveiras, e se destaca pela sua flor branca. É da mesma família que a couve e o brócolis e, na verdade, sua folha tem um sabor semelhante.

No entanto, o seu uso mais interessante é o consumo da flor, que tem um leve sabor de mostarda.

  • Ela é triturada com azeite, como se fosse um vinagrete, e pode ser usada como molho em saladas.

6. Candelária (Silene vulgaris)

É uma das “ervas daninhas” que não foram tão esquecidas. Atualmente, ainda é consumida em vários preparativos da culinária espanhola.

Nasce nas proximidades das terras cultivadas e, embora antes fosse difícil eliminá-la, hoje uma grande parte desapareceu como resultado do uso de herbicidas.

Na cozinha, as folhas pequenas são usadas e, embora seu sabor seja um pouco parecido com o espinafre, elas não têm nada a ver com ele.

  • Elas são usadas ​​para preparar tortilhas, podem ser adicionadas em saladas e também podem ser cozidas como qualquer outro vegetal.

7. Lentuga (Chondrilla juncea)

Lentuga (Chondrilla juncea)

Normalmente cresce em regiões de seca ou em pomares que não são regados com frequência. Quando a planta é pequena, tem características que se assemelham ao popular dente-de-leão.

No entanto, uma vez que cresce, forma um arbusto com flores amarelas.

  • As folhas são consumidas e ficam ótimas em saladas.

8. Erva-doce (Foeniculum vulgare)

A erva-doce cresce em torno de estradas; no entanto, uma variedade cultivada também está disponível hoje.

Ela é fibrosa e, para seu consumo, deve ser cortada em pequenos pedaços que são então misturados com brotos verdes, massas ou legumes, entre outros.

  • Seu sabor particular de anis dá um toque muito fresco às saladas.
  • Pode ser adicionada em sucos de frutas para tirar proveito de suas propriedades digestivas.
  • As sementes são ideais para temperar alguns pratos.

Importante: antes de comer uma dessas plantas comestíveis, é essencial garantir que elas sejam as corretas e que você saiba como prepará-las corretamente.

Se elas estiverem crescendo em áreas expostas a algum produto químico, é melhor descartar seu consumo.