Plantas abortivas proibidas durante a gravidez

24 Junho, 2020
Você sabia que algumas plantas medicinais podem acabar causando um aborto? Saiba tudo sobre o tema a seguir.
 

Você sabia que existem algumas plantas que você não deve consumir durante a gravidez? Geralmente, são conhecidas como plantas abortivas pois podem causar sérios danos à saúde do seu filho e até provocar um aborto. Saiba mais detalhes a seguir.

Plantas abortivas: quais evitar durante a gravidez?

As plantas conhecidas como abortivas têm em seus compostos alguns princípios ativos que podem favorecer o início das contrações e desencadear um aborto, principalmente durante os primeiros meses de gravidez.

Por esse motivo, geralmente não é recomendável que as mulheres grávidas consumam chás à base de plantas medicinais, a menos que tenham receita médica e a orientação do profissional. Portanto, antes de consumir qualquer chá natural, consulte o seu médico.

Você pode se interessar: Por que o aborto espontâneo pode ocorrer?

Plantas abortivas proibidas durante a gravidez

Arruda, uma das plantas abortivas proibidas durante a gravidez
A arruda é uma das plantas que podem causar um aborto espontâneo.

Saiba quais são as plantas que podem causar problemas de saúde para o seu bebê e para você mesma, para evitá-las durante a gravidez:

  • Absinto
  • Verbena
  • Arruda
  • Boldo
  • Milefólio
  • Alcaçuz
  • Sálvia
  • Tanaceto
  • Tussilagem
  • Hortelãzinho
  • Arnica
  • Erva-de-santa-maria
 
  • Ginkgo biloba

O consumo regular de infusões feitas com essas plantas pode causar algumas complicações, especialmente durante o primeiro trimestre da gravidez, embora o consumo no segundo e terceiro trimestres também não seja recomendado. Entre os possíveis problemas, encontramos:

  1. Aumento do fluxo sanguíneo no útero.
  2. Provocação de contrações uterinas.
  3. Indução de parto prematuro ou aborto.
  4. Efeitos prejudiciais sobre a saúde do feto.
  5. Sangramento, que pode levar à perda do feto.
  6. Vômitos e náuseas.
  7. Diarreia.
  8. Formigamento.

Como já dissemos no início deste artigo, consulte seu médico antes de ingerir qualquer uma dessas plantas medicinais. Lembre-se de que, durante a gravidez, você deve prestar uma atenção especial à sua dieta para cuidar da sua saúde e da do seu bebê.

Consumo de infusões de plantas abortivas e risco de aborto

Aborto espontâneo
O consumo excessivo de cafeína está associado a um risco maior de aborto.

Muitas mulheres consomem infusões de qualquer uma das plantas mencionadas acima na tentativa de minimizar a ingestão de cafeína, que não deve exceder os 300 mg por dia. Lembre-se de que a cafeína também está presente no chá, em alguns refrigerantes e no chocolate.

 

Não deixe de ler: É seguro consumir cafeína na gravidez?

Agora, essas informações significam que, se você tomou chá de absinto, tem um alto risco de aborto? Como regra geral, considera-se que o risco de aborto aumenta quando o consumo é regular e habitual. Isso significa que, se você ingeriu um chá de uma dessas plantas abortivas antes de saber que elas poderiam ser prejudiciais, não há perigo.

Em caso de dúvida, recomendamos que você consulte seu médico para pedir a sua opinião e se tranquilizar, para o bem da sua saúde e da do seu filho. Ninguém pode guiá-la melhor do que o especialista que acompanha o seu caso.

Bebidas benéficas para as mulheres grávidas

Chá de camomila
O chá de camomila pode ser uma boa opção para substituir a cafeína na gravidez.

Já vimos quais infusões não são recomendadas durante a gestação, pois podem acabar agindo como plantas abortivas. Agora, apresentaremos algumas opções com as quais você pode substituir o café ou o chá preto no café da manhã:

  1. Camomila: suas propriedades podem ajudá-la se você tiver dificuldades digestivas. Além disso, ela pode ajudar a combater a insônia.
  2. Chá vermelho: não contém teína, e por isso costuma ser recomendado na gravidez. Suas propriedades anti-histamínicas o tornam uma boa opção para mulheres grávidas que sofrem de alergias.
  3. Tila: famosa por suas propriedades calmantes, pode ajudar a reduzir a ansiedade e ajudar a dormir em paz.
  4. Gengibre: o chá de gengibre costuma ser usado para aliviar dores de estômago, náuseas e vômitos.
  5. Folhas de framboesa: as avós costumam recomendar chá de folhas de framboesa quando o trabalho de parto se aproxima, devido aos seus supostos benefícios para tonificar os músculos uterinos.
 

Nota: Embora essas infusões não costumem causar problemas em mulheres grávidas, consulte seu médico antes de consumi-las.

Se você estiver grávida, deve ter um cuidado especial com a sua dieta e hidratação. Preste atenção a tudo que você come e bebe, para evitar prejudicar a sua saúde e a do seu filho.

  • NCBI. (2003). Herbal infusions used for induced abortion. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12807304
  • NCBI. (2013). Is caffeine consumption safe during pregnancy? https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3625078/
  • Durán, R. I. B. (2012). ABORTO ESPONTÁNEO. Liberabit. Revista de Psicología.