Pessoas com risco de osteoporose: dicas nutricionais

13 de abril de 2019
Além dos possíveis antecedentes familiares, os riscos de osteoporose podem aumentar por determinadas condutas, como o consumo de álcool ou do tabaco, assim como por uma dieta pouco equilibrada.

Em geral, todas as pessoas estão expostas a sofrer problemas nos ossos. No entanto, existem fatores determinantes que aumentam o risco de osteoporose.

Por isso, nesta ocasião oferecemos vários conselhos referentes a algumas medidas de nutrição que podem ser tomadas para reduzir esta doença que enfraquece os ossos do corpo.

Os ossos e a osteoporose

Osteoporose

Nossos ossos são tecidos vivos que frequentemente estão passando por um processo de regeneração. Ou seja, as células novas substituem as células velhas, com isso se garante a saúde óssea, assim como o bom funcionamento ósseo.

No entanto, esse processo pode ser interrompido ou afetado. Situação na qual, ante a falta de regeneração, os ossos se tornam muito fracos e finos.

Nesse caso, tornamo-nos muito mais propensos a sofrer fraturas. Essa situação é conhecida como osteoporose.

Fatores que aumenta o risco de osteoporose

Existem diversos fatores que aumentam o risco de osteoporose. Alguns podem ser considerados como não modificáveis. É o caso da idade avançada, antecedentes familiares, a menopausa e uma estrutura óssea inata pequena.

Por outro lado, encontram-se os fatores de risco que sim são modificáveis e estão relacionados com o estilo de vida. Nesse grupo se encontram o consumo excessivo de álcool e o tabagismo.

Dentro dos fatores de risco modificáveis se encontram certas condições de saúde como a amenorreia, a carência de cálcio ou de vitamina D e o baixo peso corporal.

Todas essas condições podem ser tratadas com medicamentos, com isso se reduz o risco de osteoporose.

Leia: 6 hábitos para levar uma vida mais saudável

Prevenção da osteoporose

Todas as pessoas devem fazer o possível para evitar os fatores de risco modificáveis. No entanto, quem já tem fatores não modificáveis, devem fazer um esforço maior para não adicionar novos elementos.

Ou seja, se contam com antecedentes familiares de osteoporose, caso se encontrem na terceira idade ou atravessando a menopausa, já têm suficiente risco de osteoporose frente aos quais não se pode fazer nada.

Por isso, não é bom adicionar fatores que sim dependem dos hábitos, como fumar ou beber álcool em excesso.

Por outro lado, devem ser tratadas oportunamente aquelas condições modificáveis que possam aumentar as chances de sofrer com esta doença.

Medias contra a osteoporose

A seguir enumeramos as principais medidas de alimentação que podem ser aplicadas para reduzir o risco de sofrer osteoporose:

  • Consuma a quantidade adequada de proteínas: as proteínas são as substâncias encarregadas de alimentar nossos tecidos. Uma dieta baixa em proteínas implica em deficiências na regeneração dos tecidos corporais, incluindo os ossos.
  • Ingira produtos com vitamina D: os principais alimentos com vitamina D são o óleo de peixe, o atum, o salmão, a sardinha, os produtos lácteos, a gema do ovo, o abacate e os champignons.
  • Consuma alimentos com cálcio: os produtos com elevado teor de cálcio por excelência são os lácteos. Contudo, também pode-se obter este mineral mediante o consumo de sardinhas, gergelim, kiwi, amêndoas, couve e figos secos.
  • Evite o excesso de fibra: mesmo que a fibra seja um composto muito recomendado para muitas doenças, no caso da osteoporose pode ser nocivo, já que tem efeitos sobre o intestino que podem reduzir a absorção de cálcio.

Descubra também: Remédios caseiros para a osteoporose

Outras recomendações

Paciente com risco de osteoporose

  • Reduza o consumo de sal.
  • Controle seus maus hábitos. Se é fumante, tente tratar esse vício, pois aumenta o risco de sofrer osteoporose, assim como de uma infinidade de afecções que prejudicam a saúde. O mesmo é aplicável para quem consome muito álcool.
  • Caso tenha sobrepeso ou baixo peso, coloque-se em contato com um nutricionista que te proporcione uma dieta adequada.
  • Caso sofra com amenorreia trate o quanto antes dessa situação com ajuda de especialistas médicos.
  • Caso tenha deficiência de cálcio ou vitamina D, procure um nutricionista. Esse poderá te guiar no que deve fazer para determinar se a causa do déficit se deve a uma ingestão inadequada ou se existem fatores internos.
  • Não se esqueça de praticar exercício físicocomo caminhar 30 minutos por dia.

Seja qual for o caso, a mão de um especialista pode ajudar a superar essas condições que aumentam os riscos de osteoporose. Lembre-se de que sua saúde e qualidade vida são temas que não deve ignorar.

Sofre com a osteoporose na atualidade? Recomendamos que não falte os controles médicos e que tente incorporar novos hábitos saudáveis em sua vida para levar esta condição muito melhor.

  • Curiel, M. D., García, J. J., Carrasco, J. L., Honorato, J., Cano, R. P., Rapado, A., & Sanz, C. A. (2001). Prevalencia de osteoporosis determinada por densitometría en la población femenina española. Medicina clínica116(3), 86-88.
  • Mikosch, P. (2014). Alcohol and bone. Wiener Medizinische Wochenschrift. https://doi.org/10.1007/s10354-013-0258-5
  • Quesada, J., & Sosa, M. (2011). Nutrición y osteoporosis. Calcio y Vitamina D. Revista Osteoporos Metabólico Miner. https://doi.org/10.5565/rev/athenea.1697