O que são os peptídeos e como eles beneficiam a pele?

Os peptídeos são os componentes básicos do colágeno. Continue lendo e descubra por que eles são tão importantes na indústria cosmética da atualidade.
O que são os peptídeos e como eles beneficiam a pele?

Última atualização: 22 Maio, 2021

Hoje em dia, há uma enorme quantidade de novos produtos e tecnologias usados ​​e aplicados para fins estéticos ou cosméticos. Entre eles, estão os peptídeos para a pele.

Os peptídeos são moléculas que constituem cadeias curtas formadas por aminoácidos. O importante, do ponto de vista da pele, é que os peptídeos são os componentes básicos do colágeno e da elastina.

Embora essas moléculas sejam produzidas naturalmente pelo organismo, com o tempo, a produção de colágeno diminui a uma taxa de 1% ao ano após os trinta anos.

Esse é o motivo pelo qual a pele perde sua suavidade e começa a ficar enrugada, flácida e menos brilhante. É por isso que hoje em dia os peptídeos estão incluídos em muitos produtos de cuidado desse órgão.

Contudo, dado que existem tantos modismos e componentes apresentados como milagrosos para reconquistar a juventude, vale a pena se perguntar: os peptídeos são realmente eficazes? Tentaremos esclarecer essa dúvida nas linhas a seguir.

Quais tipos de peptídeos existem?

Benefícios dos peptídeos para a pele
Os peptídeos são componentes do colágeno, uma substância que começa a ser produzida em menor quantidade a partir dos 30 anos.

Vamos começar observando que existem vários tipos de peptídeos, cada um com funções e efeitos diferentes na pele. Vamos ver os principais tipos abaixo.

Peptídeos transportadores

Eles também são conhecidos como peptídeos de penetração celular porque têm a propriedade de atravessar a membrana da célula. Entregam minerais (como cálcio, manganês e ferro), o que permite aumentar o nível de colágeno.

Peptídeo inibidor de enzimas

Esse tipo de peptídeo, como o próprio nome indica, inibe certas enzimas. Por exemplo, a angiotensina, que é encontrada principalmente no sistema vascular. Por outro lado, ajuda a interromper o processo natural de degradação do colágeno encontrado na pele.

Peptídeos de sinal ou de sinalização

O peptídeo de sinal é o primeiro a aparecer na síntese da cadeia polipeptídica e indica o destino das proteínas. Essa “mensagem”, uma vez enviada à pele, ajuda a promover a formação de colágeno e elastina.

Peptídeos neurotransmissores

Os peptídeos neurotransmissores, também chamados de neurotransmissores peptídicos (NPT), são substâncias químicas, basicamente compostas por aminoácidos. Eles são secretados pelas terminações nervosas e afetam a atividade de vários órgãos.

Isso resulta no bloqueio de certas substâncias químicas, cuja liberação causa a contração muscular. Dessa forma, em termos de efeitos estéticos, os NPTs suavizam as rugas e as linhas de expressão.

Tetrapeptídeos e hexapeptídeos

Dependendo do comprimento da cadeia peptídica, existem tetrapeptídeos, pentapeptídeos e hexapeptídeos, cujas funções e efeitos são diferentes:

  • Os primeiros, tetrapeptídeos e pentapeptídeos, atuam em áreas delicadas (como as bolsas sob os olhos) e servem como firmadores. Por sua vez, os pentapeptídeos estimulam a reparação dos tecidos, contribuem para a cicatrização, e melhoram e aumentam a síntese de colágeno.
  • Por sua vez, os hexapeptídeos ajudam a relaxar a musculatura, atuando sobre as rugas dinâmicas. Têm um efeito semelhante ao do botox, embora sem as agulhas ou as consequências derivadas do uso dessa substância.

Outros tipos

O peptídeo Q10 promove a síntese da coenzima Q10. Foram conduzidas pesquisas para determinar os seus efeitos no desempenho esportivo. Além disso, é considerado um antioxidante que retarda o envelhecimento precoce e neutraliza os radicais livres.

Por último, existem também os peptídeos de cobre. Até o momento, estão sendo realizados estudos sobre suas propriedades, pois estima-se que possam ser úteis para prevenir a atividade oxidativa desse metal nas células. No entanto, seus efeitos estéticos ainda não foram demonstrados.

Quais são os benefícios dos peptídeos para a pele?

Creme facial
Os peptídeos ajudam a manter a pele hidratada, macia, elástica e, consequentemente, mais jovem.

Os peptídeos cumprem uma variedade de funções dentro do organismo, desde serem os componentes básicos das enzimas e dos hormônios até serem uma fonte de energia.

É válido lembrar que são os peptídeos que enviam o sinal às células, indicando-lhes que devem produzir mais colágeno quando este se decompõe para repor o que se perde.

Portanto, a principal função dos peptídeos é auxiliar na produção, na proteção e na reposição do colágeno. É possível afirmar que os demais benefícios são derivados ou são uma consequência disso.

Em particular, os peptídeos fornecem vários benefícios para a pele:

  • Hidratação: com a diminuição do colágeno, ocorre também a desidratação. Então, à medida que os peptídeos aumentam a produção dessa substância, os efeitos da perda de umidade pela pele são revertidos ou atenuados.
  • Maciez, elasticidade e firmeza da pele: a consequência imediata da recuperação do colágeno e da umidade da pele é a sua maciez, elasticidade e firmeza visíveis. Lembre-se de que os peptídeos também fazem parte das fibras de elastina.
  • Redução das rugas e linhas de expressão: o aumento do colágeno se traduz em suavidade e uma aparência jovem, já que, quando a pele está mais firme e lisa, as rugas e linhas de expressão ficam menos visíveis.
  • Barreira cutânea: é a primeira linha de defesa contra as infecções. Ao aumentar a produção de colágeno, a pele se torna uma verdadeira fortaleza para o organismo.

Também pode ser do seu interesse: 8 alimentos ideais para repor o colágeno da sua pele

Como os peptídeos funcionam?

Os peptídeos são cadeias de aminoácidos. No entanto, deve-se acrescentar que os aminoácidos são componentes básicos das proteínas em todo o corpo.

Ao usar produtos e tratamentos que contêm peptídeos, basicamente o que acontece é que eles penetram na pele e enviam às células do corpo o sinal de que elas devem produzir mais colágeno. É como se estivéssemos enganando, de certa forma, o corpo. Nesse caso, o fim justifica os meios.

Além disso, existem outras formas de estimular a produção de colágeno, além do uso de produtos cosméticos, uma vez que existem alimentos ricos nessa substância, como a gelatina, o salmão e o tomate, entre outros.

O que se deve buscar em um produto com peptídeos para a pele?

Em geral, os peptídeos são benéficos para a pele, mas nem todos são iguais. Já vimos que alguns emitem sinais para estimular a produção de colágeno, enquanto outros inibem a produção de enzimas, embora a maioria funcione como coletores hídricos.

Além disso, os peptídeos podem ser combinados com outros ingredientes. Ao se unir a receptores específicos na pele, os diferentes peptídeos podem produzir uma ampla variedade de efeitos: antienvelhecimento, hidratação, antioxidação, firmeza ou elasticidade, reparação dos tecidos, clareamento da pele, redução da acne…

Portanto, ao escolher um produto cosmético com peptídeos para a pele, deve-se levar em consideração o seguinte:

  • Certificar-se de que realmente contém peptídeos, embora às vezes possa aparecer com outro nome (como palmitoyl).
  • Escolher a apresentação mais adequada do produto. Por exemplo, um creme será mais eficaz quanto mais tempo ficar em contato com a pele, o que significaria que os peptídeos seriam mais absorvidos.
  • Não existe um produto que contenha tudo, por isso esse aspecto deve ser decidido com base em cada necessidade. É importante observar que os tetrapeptídeos aumentam a elasticidade e a firmeza, enquanto os hexapeptídeos ajudam no brilho.
  • Por fim, verificar os outros ingredientes. Alguns peptídeos funcionam melhor em conjunto com outros elementos, como a vitamina C e a niacinamida. Se o produto os incluir, melhor.

Limitações e contraindicações

Creme para a pele seca
Em geral, os peptídeos não apresentam contraindicações, embora possam provocar alergias em casos raros.

Até aqui, tudo bem, mas… sempre há um “mas” e essas substâncias não são exceção. Para começar, a palavra “peptídeo” pode ser usada de forma genérica para fazer referência a qualquer cadeia curta de aminoácidos.

De fato, existem muitos tipos diferentes de peptídeos e nem todos eles têm algum efeito na pele. Portanto, é possível que o termo seja utilizado como um rótulo, para fins de marketing, sem que o produto realmente contenha um ingrediente que auxilie adequadamente na regeneração da pele.

As pesquisas ainda estão em andamento. Alguns peptídeos já foram testados, embora apenas em estudos clínicos com grupos controlados, ou seja, com pequenas amostras ou em condições de laboratório (in vitro). Embora os peptídeos possam ser benéficos para a pele, ainda há um longo caminho científico a percorrer para poder fazer afirmações enfáticas.

A boa notícia é que nenhuma reação desfavorável foi observada. Eles têm pouca toxicidade e poucos efeitos colaterais. Em casos raros, muito raros, ocorreram reações alérgicas. O único detalhe é: os produtos à base de peptídeos costumam ser caros.

Peptídeos: um tônico de juventude?

Como tantos outros produtos, os peptídeos são promovidos como a resposta definitiva ao envelhecimento. Em grandes redes e lojas on-line, eles estão disponíveis na forma de cremes, máscaras e outros.

De fato, os peptídeos podem ajudar, mas não são milagrosos. É necessária uma combinação de vários fatores para atrasar ou reduzir o envelhecimento, incluindo desde a alimentação e a prática de exercícios até a hidratação adequada e a redução do estresse. Lembremos também que os peptídeos já estão em nosso corpo.

Eles podem ser aplicados com moderação e seguindo as recomendações: duas vezes ao dia, no máximo, usando o produto adequado para que seja melhor absorvido. Enquanto isso, os pesquisadores continuarão a testar a eficácia dos peptídeos para o rejuvenescimento da pele.

Pode interessar a você...
8 alimentos ideais para repor o colágeno da sua pele
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 alimentos ideais para repor o colágeno da sua pele

Embora possamos conseguir isso com loções faciais, para repor o colágeno é mais conveniente incluir em nossa dieta alimentos ricos neste nutriente.



  • Alencar-Silva T, et al. (2018). Breaking the frontiers of cosmetology with antimicrobial peptides. Biotechnology Advances. 2018; 36(8): 2019-2031.
  • Deptuła M, Wardowska A, Dzierżyńska M, Rodziewicz-Motowidło S, Pikuła M. Antibacterial Peptides in Dermatology-Strategies for Evaluation of Allergic Potential. Molecules. 2018; 23(2): 414.
  • Edgar S, Hopley B, Genovese L, Sibilla S, Laight D, Shute J. Effects of collagen-derived bioactive peptides and natural antioxidant compounds on proliferation and matrix protein synthesis by cultured normal human dermal fibroblasts. Sci Rep. 2018; 8(1):10474.
  • Elias P. Skin barrier function. Curr Allergy Asthma Rep. 2008; 8(4): 299–305.
  • Errante F, Ledwoń P, Latajka R, Rovero P, Papini AM. Cosmeceutical Peptides in the Framework of Sustainable Wellness Economy. Front Chem. 2020; 8: 969-977.
  • Ito N, Seki S, Ueda F. Effects of Composite Supplement Containing Collagen Peptide and Ornithine on Skin Conditions and Plasma IGF-1 Levels—A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Trial. Marine Drugs. 2018; 16(12):482.
  • Lei J et al. The antimicrobial peptides and their potential clinical applications.
    Am J Transl Res. 2019; 11(7): 3919–3931
  • Lim, S.H., Sun, Y., Thiruvallur Madanagopal, T. et al. Enhanced Skin Permeation of Anti-wrinkle Peptides via Molecular Modification. Sci Rep. 2018; 8: 1596
  • Lin’kova N, Drobintseva A, Orlova O et al. Peptide Regulation of Skin Fibroblast Functions during Their Aging In Vitro. Bull Exp Biol Med. 2016; 161: 175–17.
  • Pascarella S, Tiberi C, Sabatino G, Nuti F, Papini A, Giovannelli L, Rovero P. Serpin A1 C-Terminal Peptides as Collagen Turnover Modulators. ChemMedChem. 2016; 11: 1850-55.
  • Proksch E, Segger D, Degwert J, Schunck M, Zague V, Oesser S. Oral supplementation of specific collagen peptides has beneficial effects on human skin physiology: a double-blind, placebo-controlled study. Skin Pharmacol Physiol. 2014; 27(1): 47-55.
  • Qian B, Zhao X, Yang Y, Tian C. Antioxidant and anti-inflammatory peptide fraction from oyster soft tissue by enzymatic hydrolysis. Food Sci Nutr. 2020; 8(7): 3947-3956.
  • Sinjari B, Diomede F, Khavinson V et al. Short Peptides Protect Oral Stem Cells from Ageing. Stem Cell Rev and Rep. 2020; 16, 159–166.
  • Varani J, et al. (2006). Decreased collagen production in chronologically aged skin.
    The American Journal of Pathology. 2006; 168(6): 1861-1868.