Os melhores e piores óleos de cozinha para sua saúde

· 29 de julho de 2015
Apesar da má fama que colheu durante anos, o óleo de coco contribui com energia ao cérebro e ajuda a manter saudável o organismo.

Há muitos anos, alguns óleos de cozinha ganharam uma má reputação pelo fato de serem uma das principais causas do excesso de peso e da obesidade, além de levar a outros problemas de saúde sérios.

Entretanto, vários estudos evidenciaram que há gorduras saudáveis e elas devem ser consumidas em determinada quantidade para garantir um bom funcionamento de todos os órgãos do corpo.

Uma das principais fontes de gordura são os óleos usados com frequência na cozinha. A maioria deles é de origem vegetal e, em menos casos, chegam a ser usados os de origem animal, embora tenha sido comprovado que são mais prejudiciais para a saúde.

Muitas pessoas acreditam que, por ser de origem vegetal, todos os óleos de cozinha são bons para a saúde. No entanto, a verdade é existem alguns que não são recomendados por serem submetidos a um processo que tira suas propriedades e os fazem tornam nocivos para o corpo.

Para as pessoas que estão preocupadas com o tipo de óleo de cozinha que estão usando na preparação dos seus alimentos, hoje vamos compartilhar uma lista. E, além disso, também vamos classificar os que são bons e os que podem ser nocivos.

Os melhores óleos de cozinha para a saúde

Os óleos de cozinha que não fazem mal à saúde são aqueles que estão compostos por gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas, ou também conhecidas como “gorduras boas”.

Azeite de oliva

O azeite de oliva é um dos melhores óleos de cozinha

Sem dúvida, o óleo saudável número 1 é o de oliva. É um ingrediente básico na dieta mediterrânea, caracterizado por ser uma gordura monoinsaturada com grandes benefícios para a saúde cardiovascular.

O melhor que se pode comprar é aquele que não é refinado, já que foi submetido a baixos níveis de calor e isso ajuda a conservar os polifenóis que são bons para a saúde.

Leia também: 5 tratamentos com azeite de oliva para a pele

Óleo de coco

Embora durante muitos anos ele tenha tido má fama por seu alto conteúdo de gordura saturada, vários estudos demonstraram que na realidade ele é um óleo muito bom.

Isso porque a maior parte da gordura saturada que ele contém é do tipo conhecido como triglicerídeos de cadeia média, que o corpo transforma em energia em vez de armazená-lo como gordura corporal.

Ele tem propriedades antibióticas e antimicrobianas que protegem o organismo de diferentes patogênicos. Além disso, é uma fonte de energia para o cérebro e contribui com um organismo saudável. Mas, atenção! Deve-se evitar reaquecer ou misturar com outros óleos.

Óleo de gergelim

O óleo de gergelim é um dos melhores óleos de cozinha

Este óleo de origem asiática é reconhecido por ser uma fonte de gorduras monoinsaturadas. Seus principais benefícios são atribuídos ao seu alto conteúdo de antioxidantes que não são destruídos pela exposição ao calor.

Além disso, ele contém fosfatidilcolina, um nutriente relacionado com a boa saúde cerebral. Apesar disso, recomenda-se um consumo limitado, já que ele também contém ácidos graxos ômega 6.

Leia também: 6 incríveis benefícios do óleo de coco

Os piores óleos de cozinha para a saúde

A maioria dos óleos vegetais que são comercializados no mercado a baixos preços são os óleos compostos por “gorduras ruins”, também chamadas de gorduras saturadas ou gorduras trans.

O consumo desse tipo de óleo se tornou uma das principais causas dos problemas de colesterol alto.

Óleo de soja

O óleo de soja é um dos piores óleos de cozinha

Esse tipo de óleo é submetido a um processo de hidrogenação que tem como objetivo retardar seu vencimento e manter estável o sabor dos alimentos; da mesma forma, este mesmo processo é o responsável por converter essa gordura em um alimento pouco saudável.

Assim, para não ser considerado um óleo nocivo, ele deve ser de origem orgânica.

Margarinas

A princípio pensava-se que a margarina era muito melhor do que a manteiga pelo fato de ser de origem vegetal. Entretanto, vários estudos demonstraram que é muito pior, já que é rica em gorduras trans.

Assim, para elaborar a margarina, a gordura é submetida a um processo de hidrogenação; que a faz parecer fresca, cremosa e de sabor agradável. Esse procedimento faz que essa gordura seja nociva para a saúde, especialmente quando submetida a altas temperaturas.

Banha de porco

A banha de porco é um dos piores óleos de cozinha

Este é um dos óleos preferidos em muitas cozinhas do mundo, devido ao sabor que pode atribuir às comidas. Apesar disso, não é recomendada, pois é rica em gorduras saturadas que obstruem as artérias e aumentam o colesterol.