Óleo de cártamo: usos, propriedades e benefícios

O óleo de cártamo pode controlar os níveis de açúcar no sangue, diminuir o colesterol LDL e promover a saúde da pele. Mostramos outros benefícios e efeitos adversos a seguir.
Óleo de cártamo: usos, propriedades e benefícios

Última atualização: 07 Julho, 2021

O cártamo (Carthamus tinctorius) se caracteriza por ser uma planta oleaginosa, ou seja, possui sementes ou frutos dos quais é extraído um óleo, cuja utilização pode ser culinária ou industrial.

Embora inicialmente tenha sido cultivado para uso como corante, condimento ou substituto da anilina, a partir dos anos 50 passou a ser cultivado para extrair o óleo de suas sementes.

Tanto o óleo comestível quanto o óleo essencial fornecem benefícios interessantes. Enquanto o primeiro é uma fonte de ácidos graxos insaturados, o óleo essencial pode ajudar a tratar doenças de pele como acne e eczema.

Características nutricionais do óleo de cártamo

Existem 2 tipos de óleo de cártamo: monoinsaturado e poli-insaturado. Cada um deles contém compostos ativos que lhe atribuem características nutricionais específicas. Vamos ver em detalhes.

Óleo de cártamo monoinsaturado

Entre as suas propriedades encontra-se o ácido oleico, um ácido graxo monoinsaturado da série ômega 9 que tem a capacidade de suportar altas temperaturas sem perder seus nutrientes.

O ponto de fumaça ou de queima do óleo de cártamo monoinsaturado se destaca de outros óleos mais populares, como milho, oliva ou canola, tornando-o um substituto saudável.

Da mesma forma, há quem pense que poderia ser mais adequado para cozinhar, uma vez que o seu sabor, cor e cheiro são neutros.

Óleo de cártamo poli-insaturado

Esse óleo, por sua vez, é rico em ácido linoleico, um ácido graxo essencial da série ômega 6 mais sensível que o anterior e, portanto, não deve ser exposto a altas temperaturas.

Se você quiser evitar a oxidação, deve armazená-lo em locais frios como a geladeira e evitar a sua exposição à luz. O óleo de cártamo poli-insaturado costuma ser vendido como suplemento nutricional, pois seus níveis de ácido linoleico são altos.

Lembre-se de que embora o ômega 6 seja essencial para o bom funcionamento do corpo, é necessário obtê-lo através dos alimentos devido à nossa incapacidade de produzi-lo.

Quais são os usos do óleo de cártamo?

Poedemos usar o óleo de cártamo para fazer tintas a óleo em tons de branco e outros tons claros. Mas existem muitos outros usos, até mesmo relacionados à medicina. A seguir, veja quais são os outros usos desta substância.

Na pele

Devido aos seus potenciais benefícios para a saúde da pele, o óleo de cártamo costuma estar presente nas listas de ingredientes de uma variedade de cosméticos. Se você pretender utilizá-los, basta seguir as indicações da embalagem.

Agora, nas versões pura, comestível e corporal, podemos utilizá-lo diretamente na pele. Se for óleo essencial, devemos diluí-lo antes de utilizar.

Como usar?

Adicione algumas gotas ao óleo carreador (óleo utilizado para diluir). Recomenda-se os de jojoba e semente de uva por sua eficácia para peles oleosas.

Por fim, por ser considerado um óleo seguro, pode ser aplicado diariamente. Lembre-se também de que os óleos essenciais são mais poderosos, por isso seu uso é de curto prazo.

Na cozinha

O óleo de cártamo monoinsaturado tem um ponto de fumaça, ou de queima, de aproximadamente 232 graus, o que o torna resistente à oxidação. Portanto, é uma excelente opção para cozinhar em altas temperaturas, seja para fritar ou para assar. Da mesma forma, seu sabor neutro não altera o sabor e o aroma dos alimentos. Além disso, previne a formação de radicais livres.

Por sua vez, o óleo de cártamo poli-insaturado geralmente é usado para temperar saladas e outros pratos crus, bem como para cozinhar em fogo baixo. Neste último caso, você deve ter cuidado, pois tende a oxidar rapidamente.

Óleo de cártamo para uso na cozinha
O sabor neutro do óleo de cártamo é ideal para temperar os alimentos.

Benefícios do óleo de cártamo para a saúde

Até agora, mostramos a você alguns dos benefícios do óleo de cártamo, mas a seguir, indicamos os que a ciência comprovou através de estudos.

1. É uma fonte de ácidos graxos

O óleo de cártamo é uma fonte de ácidos graxos insaturados (monoinsaturados e poli-insaturados) que desempenham um papel fundamental no funcionamento do organismo.

Essas gorduras boas ajudam na regulação hormonal, nos processos de memória e na absorção das vitaminas A, D, E e K. Além disso, são capazes de criar uma maior sensação de saciedade.

Por outro lado, o óleo de cártamo também contém gorduras saturadas, muitas vezes consideradas prejudiciais à saúde ou nocivas. No entanto, seus níveis são muito mais baixos do que os de outros óleos populares, como azeite de oliva, abacate e girassol.

Uma dieta rica em gorduras consideradas saudáveis e pobre em gorduras nocivas é a chave para muitos benefícios à saúde. Elas podem reduzir a inflamação e melhorar a saúde do coração.

2. Estabiliza os níveis de açúcar no sangue

Uma pesquisa publicada na revista PLoS Medicine demonstrou que uma dieta rica em ácidos graxos monoinsaturados torna mais fácil manter os níveis de glicose sob controle.

De acordo com o estudo, a substituição de gorduras saturadas por insaturadas (especialmente ácidos graxos poli-insaturados) melhorou significativamente os níveis de açúcar no sangue, secreção e resistência à insulina.

Da mesma forma, um estudo publicado na Clinical Nutrition determinou que consumir 8 gramas de óleo de cártamo por dia durante 4 meses pode diminuir a inflamação e melhorar os níveis de glicose em pacientes com diabetes tipo 2.

Por esse motivo, os pesquisadores concluíram que combinar uma dieta rica em gorduras boas com tratamentos para a diabetes é eficaz na redução das complicações da doença.

3. Reduz os níveis de colesterol e promove a saúde do coração

O mesmo estudo publicado na Clinical Nutrition descobriu que o uso de óleo de cártamo por 4 meses foi capaz de reduzir os níveis de colesterol, o que certifica que as gorduras insaturadas podem reduzir o LDL, ou colesterol ruim.

No entanto, essa não é a única maneira pela qual essa substância pode favorecer a saúde do coração. Os ácidos graxos insaturados do óleo de cártamo fazem com que as plaquetas se aglomerem menos, evitando coágulos associados a um risco aumentado de ataque cardíaco ou derrame.

4. É um anti-inflamatório natural

A inflamação crônica pode causar doenças cardíacas, doenças autoimunes e até câncer. Felizmente, há evidências científicas de que o óleo de cártamo possui propriedades anti-inflamatórias que reduzem marcadores importantes associados a reações de células hiperativas.

5. Melhora a saúde da pele

Uma vez que pode hidratar e aliviar a coceira, assim como outros sintomas de pele seca, é um ingrediente popular em produtos para cuidados dermatológicos.

Além das propriedades anti-inflamatórias, também é uma fonte de vitamina E. Este é um nutriente que, de acordo com um estudo publicado no Indian Dermatology Online Journal, pode ajudar a tratar doenças de pele como acne, psoríase e eczema, além de melhorar a cicatrização de feridas.

Efeitos colaterais do óleo de cártamo

O óleo de cártamo é seguro, desde que não se excedam as dosagens recomendadas. Em adultos, são as seguintes:

  • Mulheres entre 19 a 30 anos: 6 colheres de chá.
  • Mulheres com mais de 30 anos: 5 colheres de chá.
  • Homens entre 19 a 30 anos: 7 colheres de chá.
  • Homens com mais de 30 anos: 6 colheres de chá.

Por outro lado, pessoas com distúrbios hemorrágicos e prestes a se submeter a uma cirurgia devem evitar o consumo desse óleo, pois ele pode afetar a coagulação e aumentar o risco de sangramento.

Quanto ao seu uso tópico, recomenda-se fazer um teste para determinar o grau de sensibilidade da pele. Para isso, coloque uma pequena quantidade no antebraço. Aguarde entre 24 a 48 horas e, se não houver nenhuma erupção ou irritação, o seu uso será seguro.

Irritação da pele
Antes de usar qualquer produto, é aconselhável fazer um teste de alergia em uma região pequena.

Óleo de cártamo: uma importante fonte de gorduras insaturadas

Tradicionalmente, cultivava-se essa planta para seu uso como corante. Porém, atualmente o foco está nas sementes, que possibilitam a obtenção de um óleo muito cobiçado.

A razão? É rico em ácidos graxos insaturados e podemos encontrá-lo em 2 formas: monoinsaturado (capaz de suportar altas temperaturas sem perder seus nutrientes) e poli-insaturado (o óleo com a maior fonte de ácido linoleico do mercado).

Essas gorduras insaturadas, juntamente com outros compostos, são responsáveis ​​por benefícios como controle dos níveis de açúcar no sangue, redução do colesterol LDL e melhoria da saúde da pele.

No que diz respeito às suas contraindicações, é seguro desde que consumido dentro dos limites das doses recomendadas e após a realização de um teste de alergia para uso tópico. Pessoas com problemas de sangramento e planos de cirurgia devem evitá-lo.

Pode interessar a você...
Os melhores e piores óleos de cozinha para sua saúde
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Os melhores e piores óleos de cozinha para sua saúde

Uma das principais fontes de gordura são os óleos de cozinha. Nesse artigo vamos classificar os que são bons e os que podem ser nocivos para o orga...



  • Imamura, F., Micha, R., Wu, J. H., de Oliveira Otto, M. C., Otite, F. O., Abioye, A. I., & Mozaffarian, D. (2016). Effects of Saturated Fat, Polyunsaturated Fat, Monounsaturated Fat, and Carbohydrate on Glucose-Insulin Homeostasis: A Systematic Review and Meta-analysis of Randomised Controlled Feeding Trials. PLoS medicine, 13(7), e1002087. https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1002087
  • Asp, M. L., Collene, A. L., Norris, L. E., Cole, R. M., Stout, M. B., Tang, S. Y., Hsu, J. C., & Belury, M. A. (2011). Time-dependent effects of safflower oil to improve glycemia, inflammation and blood lipids in obese, post-menopausal women with type 2 diabetes: a randomized, double-masked, crossover study. Clinical nutrition (Edinburgh, Scotland), 30(4), 443–449. https://doi.org/10.1016/j.clnu.2011.01.001
  • Keen, M. A., & Hassan, I. (2016). Vitamin E in dermatology. Indian dermatology online journal, 7(4), 311–315. https://doi.org/10.4103/2229-5178.185494