O tabaco aumenta o risco de doenças degenerativas

Como os compostos químicos do tabaco passam dos nossos pulmões para a corrente sanguínea, eles podem acelerar o desenvolvimento de diferentes doenças, já que todo o nosso corpo é afetado.
O tabaco aumenta o risco de doenças degenerativas

Última atualização: 26 Setembro, 2021

Todos nós sabemos que o tabagismo causa sérios problemas de saúde a longo prazo. A maioria da população geralmente associa o consumo de tabaco ao risco de desenvolver câncer, mas existem muitas outras doenças degenerativas que devemos conhecer.

Além disso, há outro aspecto que devemos levar em consideração: quando somos diagnosticados com certas doenças, o tabaco pode acelerar a sua evolução. Um exemplo disso são as doenças cardíacas e até a esclerose múltipla.

Fornecemos todas as informações no artigo a seguir.

O tabaco aumenta o risco de doenças degenerativas

Tabaco e Alzheimer

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa progressiva de origem ainda obscura.

Sabemos que é mais comum entre as pessoas com mais de 65 anos e, apesar de não sabermos o que o provoca, existem alguns fatores relevantes:

  • Déficit em um tipo de proteína geralmente associado ao colesterol alto.
  • Estresse oxidativo e velhice.
  • A interação entre doenças cardiovasculares e diabetes.
  • Estilo de vida sedentário.

Descubra também: Os motivos para parar de fumar

Qual é a relação entre o tabaco e o Alzheimer?

  • O tabaco pode aumentar o risco e até agravar a doença de Alzheimer. De acordo com um estudo realizado pelo Centro de Doenças Neurodegenerativas da Universidade de Málaga, a nicotina pode exercer uma ação inflamatória.
  • O tabaco ataca a mielina que envolve os neurônios, causando uma resposta inflamatória e danos neuronais no hipocampo e no córtex cerebral.
  • O tabaco, por si só, nunca nos levará a desenvolver a doença de Alzheimer. Porém, o que ele faz é interagir com outros fatores, acelerando o seu desenvolvimento.
  • Hoje, o Alzheimer não pode ser prevenido, mas, de acordo com este estudo, se parássemos de fumar, ele poderia surgir até 20 anos mais tarde.

Tabaco e esclerose múltipla

O tabaco aumenta o risco de doenças degenerativas

O tabaco não causa esclerose múltipla. No entanto, o que ele pode fazer é piorar a doença se ela for diagnosticada.

De acordo com um estudo recente realizado pela Universidade Karolinska em Estocolmo (Suécia), e publicado na revista “Neurology”, as pessoas que continuam a fumar depois de serem diagnosticadas com esta doença experimentam uma aceleração da mesma.

Qual é a relação entre tabaco e esclerose múltipla?

  • A esclerose múltipla geralmente começa com pequenas recidivas. Depois disso, ocorre uma piora progressiva da mobilidade. No entanto, os fumantes correm o risco de piorar mais rapidamente.
  • Este estudo mostra que o tabaco tem um efeito muito negativo nas doenças degenerativas, como a esclerose múltipla. O simples ato de parar de fumar nos oferece a oportunidade de ter uma melhor qualidade de vida e adiar a degeneração.

Tabaco e degeneração macular

Degeneração macular

Outro aspecto menos conhecido dos efeitos do tabaco são a catarata e a degeneração macular. É bem possível que este dado o surpreenda e você se pergunte se fumar tem uma relação direta com a saúde da nossa visão.

A resposta é simples: fumar acelera nosso envelhecimento e, portanto, aumenta o risco de doenças associadas ao passar do tempo.

Qual é a relação entre tabagismo e degeneração macular?

  • O risco de catarata aumenta entre 40 e 60% em pessoas que, ao longo da vida, consumiram mais de um maço por dia.
  • Os olhos perdem a nitidez e ficam inflamados. Também não podemos ignorar que nossos pulmões se enchem de substâncias químicas que atingem a corrente sanguínea. Tudo isso afeta a nossa saúde geral.
  • O risco de catarata e degeneração macular é algo que todos nós temos. No entanto, ser fumante aumenta as chances de sofrer desses problemas oculares em uma porcentagem muito significativa.
  • Segundo os médicos, quase 20% das cataratas diagnosticadas todos os dias estão relacionadas ao tabagismo.
  • O tabaco influencia várias doenças vasculares dos olhos, bem como aquelas relacionadas aos olhos secos.

Trace um plano para parar de fumar

Mulher se exercitando

Se você continua mantendo este hábito, vale a pena agir para parar de fumar. Apesar das informações que chegam até nós, muitas vezes não nos conscientizamos o suficiente.

Se não o fizer por si mesmo, tente pelos seus entes queridos, por aqueles que o amam e não querem vê-lo doente amanhã. Oferecemos algumas orientações básicas.

  • Vá ao médico para fazer um check-up prévio. Sua saúde e boa forma são importantes. A partir daí, seu médico pode oferecer orientações adequadas.
  • Não se trata, por exemplo, de começar a fazer exercícios físicos de alta intensidade. Parar de fumar é algo progressivo que deve ser feito de acordo com a sua particularidade física. Então, vá com calma.
  • Controle os horários do dia e as situações em que você mais precisa de um cigarro: ao se levantar, após as refeições, nas reuniões com os amigos.
  • Informe ao seu círculo pessoal e social que você vai parar de fumar. Eles devem apoiá-lo.
  • Elimine todas as memórias do tabaco: isqueiros, cinzeiros de casa e do carro… Elimine também o cheiro de cigarro da sua casa e dos seus pertences.
  • Faça uso de plantas naturais. A passiflora é um ótimo exemplo.
  • Descubra suas próprias estratégias para enfrentar a abstinência: caminhar, pintar, dançar, tricotar, criar um blog contando sua experiência do dia a dia…
Pode interessar a você...
Como o tabaco afeta o coração?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como o tabaco afeta o coração?

Todos sabemos que os efeitos do tabaco no coração, nos vasos sanguíneos e no resto dos nossos órgãos são muito prejudiciais. Saiba mais aqui!



    • Timothy C. Durazzo et al. “Smoking and increased Alzheimer’s disease risk: A review of potential mechanisms”, Alzheimers Dement. 2014 Jun; 10(3 0): S122–S145.
    • Tiffani Stroup, “Multiple Sclerosis and Smoking”, National Multiple Sclerosis Society, 2015